GTA

Ontário pede ajuda às Forças Armadas Canadianas

As autoridades de saúde de Ontário revelaram segunda-feira (20) que as medidas para evitar a propagação do novo vírus estão a funcionar e alertam agora que o pico da COVID-19 em Ontário será em abril e não em maio como tinha sido anunciado na primeira projeção.

O número de casos na província projetado é agora inferior a 20,000 casos, um número pequeno quando comparado com os 300,000 anunciados na primeira projeção.

As autoridades da saúde dizem que as medidas de distanciamento físico devem continuar em prática para reduzir o número de casos novos e de vítimas mortais e embora a projeção indique que a transmissão comunitária está a reduzir, o número de casos nos lares de idosos continua a aumentar.

A ministra da Saúde manifestou-se satisfeita com as novas projeções, mas garante que “os números não são acidentais”, muito pelo contrário, “são o resultado de meses de planeamento e de esforço coletivo para parar a propagação do novo vírus e reduzir a curva”.

A associação dos médicos diz que a ajuda do Governo não é suficiente para sobreviver à COVID-19. A associação que representa os médicos de Ontário esclarece que a proposta do Governo da província de oferecer adiantamentos não vai ser suficiente para manter as clínicas abertas durante a pandemia. O adiantamento que o Governo propõe equivale a 70% dos rendimentos de cada clínica e terá de ser devolvido durante cinco meses a partir de novembro.

Uma pequena comunidade no leste de Toronto parece ser a primeira municipalidade de Ontário a oferecer um desconto nos impostos a pessoas que perderam rendimentos devido à COVID-19. O município de Clarington passou a resolução na semana passada para permitir que os contribuintes “cancelem, reduzam ou reembolsem 50% dos impostos de Clarington durante o período de emergência declarada para contribuintes residenciais”. A maioria dos municípios optou por adiar o pagamento dos impostos, mas Clarington preferiu reduzir. Clarington tem 92,000 habitantes e fica a leste de Oshawa em Ontário.

A província e o sindicato dos professores do ensino secundário chegaram agora a um acordo provisório. A informação foi avançada segunda-feira (20) em comunicado pelo Ontario Secondary School Teachers’ Federation que sublinha que o acordo “não satisfaz” todas as preocupações do sindicato, mas que os professores reconhecem que os alunos precisam de estabilidade durante a pandemia.

A eventual reabertura de Toronto será “implementada gradualmente por um período de meses”. Em declarações à CP24, o presidente da autarquia avisa que a reabertura do município vai demorar ainda algum tempo, mesmo depois das autoridades de saúde darem a luz verde para reabrir.

A Ontario Community Support Association vai receber $11 milhões para ajudar na entrega de comida e de medicamentos a idosos e deficientes. O anúncio foi feito terça-feira (21) pelo Premier de Ontário que sublinha que este grupo é um dos mais vulneráveis durante esta pandemia. A província já tinha anunciado que ia duplicar o apoio para idosos com poucos rendimentos e o dinheiro deverá ser entregue ainda esta semana. Ao todo são 190,000 idosos que vão beneficiar deste apoio.

A enfrentar uma grande crise financeira devido à COVID-19, a autarquia de Toronto está a oferecer aos milhares de trabalhadores a possibilidade de se mudarem para trabalhos essenciais ou optarem pela licença sem vencimento. Segundo a autarquia, 500 funcionários já foram transferidos para áreas essenciais como os lares de idosos, abrigos e call centre.

O Premier de Ontário pediu quarta-feira (22) às Forças Armadas Canadianas para enviarem soldados para ajudar os cinco lares idosos da província que foram mais atingidos pela COVID-19. Até agora já morreram 400 pessoas em lares de idosos da província e o anúncio surge pouco depois do Quebec pedir ao Governo Federal que envie 1,000 soldados para ajudar no combate à pandemia no Quebec. Doug Ford não adiantou o nome dos lares, mas disse que “os soldados deverão estar disponíveis para tomar conta dos cinco lares 24 horas por dia”.

A Health Canada aprovou um produto que pode aumentar drasticamente a oferta de desinfetante para as mãos durante a pandemia de COVID-19. Em declarações à CBC, a empresa que propôs este produto à Health Canada explicou que agora vão poder produzir em grandes quantidades porque vão recorrer a outros tipos de etanol. A Health Canada sublinha que a medida é temporária e a Greenfield Global Inc quer aumentar a produção em 20 vezes, cerca de 20 milhões de litros por mês.

As Áreas Metropolitanas de Toronto e Hamilton (GTA/GTHA) alertam que podem perder 355,000 postos de trabalho durante a pandemia. O número representa 28% do PIB e as empresas podem perder receitas na ordem dos $3,7 mil milhões.

Cinco autocarros do TTC foram convertidos em veículos de transporte para pacientes em macas. A conversão dos autocarros ficou concluída na segunda-feira (20) e os paramédicos vão acompanhar os pacientes durante a deslocação. Os condutores do TTC vão continuar a operar os veículos.

Toronto recebeu uma encomenda de $3 milhões de máscaras que vão ser utilizadas em lares de idosos e em abrigos. O equipamento foi comprado à AMG Medical Inc, um distribuidor com base em Montreal. A cidade já procedeu à inspeção do equipamento que vai agora ser distribuído pela cidade. Com estas máscaras, Toronto tem agora um stock que será suficiente para 127 dias.

Os funcionários do Tim Hortons vão utilizar máscaras e a sua temperatura vai ser verificada antes do início dos turnos. A empresa esclarece em comunicado que a medida pretende proteger funcionários e clientes e diminuir a propagação de COVID-19. As máscaras são canadianas e são diferentes das que estão a ser utilizadas nos hospitais.
Os lucros do Metro Inc. aumentaram no segundo trimestre deste ano. As vendas da cadeia de supermercados que opera em Ontário e no Quebec subiram quando as pessoas começaram a comprar para ter stock durante a pandemia. Até 14 de março os lucros do Metro superavam os $176 milhões, mais $55 milhões do que em relação ao mesmo período do ano passado.

O Premier de Ontário estendeu quinta-feira (23) o estado de emergência na província por mais duas semanas e os serviços que não são essenciais continuam encerrados até 6 de maio. O número de mortes e de casos de COVID-19 continua a aumentar nos lares em Ontário e o Governo voltou a reforçar as medidas de segurança nestas instituições. As agências de saúde mental e de dependências também vão poder contratar mais funcionários
O TTC vai avançar com um lay-off temporário a 1,200 funcionários. O TTC está a perder $90 milhões por mês e o sindicato que representa os trabalhadores pede ao Governo Federal e Provincial e provincial que intervenham.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW