Comunidade

Together Helping Women Unir forças contra o cancro

Unir forças para ajudar mulheres a superar o cancro: este foi o mote do jantar de gala promovido pela organização Together Helping Women, no dia 5 de outubro. O evento anual teve desta vez lugar no Pearson Convention Centre e o objetivo foi angariar fundos para utentes sem plano de saúde, com baixo rendimento e que precisem de algum tipo de apoio ao longo da sua jornada. A fundadora do projeto é Ana Pereira, que tem vindo a ajudar mulheres desde 2016, depois de ela própria vencer a batalha contra o cancro da mama: “O principal é não deixar que as mulheres desistam. Mas não é só isso. Também há a carga que cai sobre a mulher quando ela é diagnosticada e o objetivo do jantar é tentar angariar fundos para poder ajudar a mulher naquilo que ela precisar, dentro dos estatutos da charity”.

Algumas mulheres que também sobreviveram à doença estiveram reunidas neste encontro. Ana Gonzalez é uma das lutadoras que trouxe inspiração a esta noite, partilhando connosco um pouco da sua jornada e do que lhe deu mais força na caminhada: “O mais importante foi a minha família, que me ajudou sempre a continuar. Também a minha força de vontade e manter-me sempre positiva. Tive sempre em mente que ia derrotar esta doença e lutei com toda a força que tinha”.

O evento não uniu apenas mulheres vítimas da doença, antes pelo contrário. Muitos dos convidados marcaram presença com a simples intenção de contribuir para a causa e de mostrar o seu apoio. Alguns deles já fornecem suporte à organização desde o início. “Eu já venho há vários anos, foi através de uma amiga. Acho que é uma causa muito nobre e esta é uma doença que marca muito as pessoas”, contou Vera Esteves ao Milénio Stadium.

Apesar da luta contra o cancro ser dura, a mensagem que prevalece é de força e empoderamento. Com um sorriso, Ana Pereira reafirmou: “A minha mensagem é que não desistam. Por mais que o dia de hoje possa estar muito mau, há sempre um novo amanhecer. Se tiverem vontade de viver e de superar, vão superar. Não há marido, amigo, filhos ou vizinho que faça isso. Tem de ser uma força que vem de dentro de nós, essa vontade. Não desistam. Vale a pena viver. Vale mesmo!”.


Autor(a): Telma Pinguelo/MS
Fonte:

Redes Sociais - Comentários

Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close