Comunidade

Quando a universidade não é a primeira opção

Joel de Sousa já gostava de trabalhar a madeira antes de decidir estudar no College of Carpenters. O luso-canadiano de 41 anos foi um dos 82 alunos que recebeu o certificado na passada quinta-feira (7) em Vaughan.

Sindicato dos carpinteiros tem membros de diferentes grupos étnicos

Em declarações ao Milénio Stadium, Sousa garante que atualmente a construção atravessa um bom momento. “Agora o mercado tem muitas oportunidades de emprego porque muitos trabalhadores estão a reformar-se. O sindicato dos carpinteiros é uma excelente união porque poucos meses depois de começarmos a trabalhar temos direito a benefícios”, disse.

Shannon Whitten é a única mulher no meio deste grupo de formados. Com apensa 25 anos, Whitten sempre gostou de carpintaria. “Felizmente tive a sorte de crescer numa família que nunca questionou a minha vocação. E para ser franca só mais tarde é que percebi que era um meio dominado por homens. Quando as minhas amigas estavam a candidatar-se a universidades ou a colleges eu estava à procura de formação em carpintaria”, contou.

Shannon Whitten com a família

A jovem, que tem raízes europeias, sente-se orgulhosa por representar as mulheres e lamenta que ainda exista discriminação. “Percebo que no início duvidam das minhas capacidades para executar o trabalho. Mas depois percebem que estavam errados e olham para mim de outra forma”, referiu.

O Carpenters’ District Council of Ontario (CDC) é composto por 16 sindicatos afiliados do United Brotherhood of Carpenters and Joiners em toda a província. O CDC representa 20,000 membros e Michael Yorke, presidente da Carpenters Union Local 27, salienta que é importante fazer este tipo de cerimónia.

“Quando completamos o 8.º ano, o secundário, a universidade ou o college temos uma cerimónia de entrega de diplomas. Por isso também é importante reconhecer o esforço e a dedicação dos nossos alunos que concluíram a formação no College of Carpenters. Agora eles fazem parte de uma indústria onde vão ter de mostrar liderança”, explicou Michael Yorke.

Toronto é atualmente a cidade que está a crescer mais rápido na América do Norte e este sindicato quer fazer parte desse processo. “Toronto recebe milhares de pessoas por ano e as infraestruturas da cidade estão saturadas. Os carpinteiros estão comprometidos a trabalhar com todos os níveis de governo para garantir as novas infraestruturas para as próximas gerações. Desde os cuidados de saúde ao trânsito, os carpinteiros reconhecem as necessidades da comunidade e estão dispostos a colocar as mãos à obra”, antecipou.

A Carpenters Union Local 27 tem mais de 10,000 membros de diferentes grupos étnicos, nomeadamente portugueses. Para Horácio Leal, Business Representative da Carpenters Union Local 27, os centros de formação são essenciais.

“Julgo que neste momento devemos ter cerca de 3,000 portugueses no sindicato dos carpinteiros. Estes jovens vão receber hoje um diploma em carpintaria e na próxima segunda-feira de certeza que vão estar a trabalhar. No nosso centro de formação eles têm aulas teóricas e práticas que vão ser úteis no terreno. Tenho participado em conferências nacionais e noto que há falta de operários para a construção, mas nos próximos cinco anos este setor tem ótimas perspetivas”, avançou.

O Business Representative assegurou ao nosso jornal que a mão-de-obra feminina tem um peso cada vez maior no sindicato. “Temos atraído muitas mulheres para este sindicato nos últimos anos, algo que há 10 anos era impensável. Os salários são iguais, independentemente do género. Neste sindicato acreditamos na igualdade salarial porque todos são iguais”, sublinhou. 

Shannon Whitten nunca se imaginou num escritório fechada entra quatro paredes. “Nunca gostei muito de estar sentada durante longos períodos de tempo e sou mais de pôr as mãos à obra. Mas no verão quando está calor e tenho de usar calças penso nas minhas amigas que podem usar saia no local de trabalho (risos)”, informou.

Depois dos alunos receberem os certificados, foram entregues três prémios de excelência. 2019 General Contractors’ Section Toronto Ontario Youth Apprenticeship e 2019 Floor Covering Installer Apprenticeship, enquanto que Paul Richer, da PCL Constructors Canada Inc, levou para casa o prémio comemorativo de excelência.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close