Comunidade

Os 12 anos d’Os Camponeses de Toronto

Apesar de ter sido fundado em janeiro de 2007, foi apenas no dia 29 de março de 2008 que o Rancho Folclórico “Os Camponeses de Toronto” fez a sua primeira atuação. 

“O Rancho dos Camponeses foi fundado em 2007. Fizemos a nossa primeira apresentação no dia em que fomos apadrinhados pela Casa das Beiras, em março de 2008. Durante este tempo já atuámos nos Estados Unidos e no Québec. O nosso grupo representa as danças, cantares e tradições da Alta Estremadura, mais propriamente da região de Pombal e Leiria.”, contou, ao jornal Milénio Stadium, Steven Borges, atual presidente, ensaiador e dançarino d’Os Camponeses de Toronto. Foi das suas mãos que este grupo nasceu, tendo como objetivo divulgar as tradições e costumes portugueses e também com o intuito de eternizar este símbolo tão típico de Portugal através dos mais jovens.

“Eu sempre tive uma paixão pelo nosso folclore. Eu comecei noutro grupo quando tinha seis anos e estive nesse grupo cerca de 20 anos. Quando decidi formar um grupo novo tinha como intenção continuar a transmitir os nossos costumes e representar uma região diferente. Não há muita representação do centro de Portugal e nós somos um dos dois grupos de Toronto que representa essa região”, disse o presidente.

“Os Camponeses de Toronto” contam com cerca de 34 elementos, com idades compreendidas entre os 15 e os 65 anos, e fazem parte da Aliança dos Clubes e Associações Portuguesas do Ontário. “Há alguns anos atrás começámos o nosso grupo infantil para transmitir as nossas tradições aos nossos jovens e agora no nosso rancho temos dois grupos e em algumas danças eles dançam uns com os outros. Uma das nossas dificuldades é arranjar rapazes – achamos que os rapazes agora não querem dançar o nosso folclore e eu penso que é uma dificuldade de muitos ranchos e também continua a ser uma das nossas. Não faz mal ser rapariga, rapaz, jovem, adulto…. Estamos sempre a aceitar dançarinos! É só contactar-nos através do nosso número ou no Facebook ou Instagram. Estamos sempre a aceitar qualquer pessoa e ensaiamos às sextas-feiras no First Portuguese”, afirmou Steven Borges.

Todos os pormenores das atuações deste grupo – como as danças, trajes e cantares – representam costumes próprios destas regiões portuguesas que se ligam, essencialmente ao campo, como são exemplo os trajes de camponeses, ceifeiras, peixeiras e pescadores.

Rosário Costa, elemento do Rancho há 12 anos, está encarregue de fazer a apresentação do grupo, das suas danças e canções. “No início tínhamos à volta de, se não me engano, 34 elementos, com idades entre os 4 e 63 anos. Hoje em dia estamos basicamente com os mesmos elementos. As idades foram aumentando, é lógico! Passaram-se 12 anos! O rancho, como a senhora e toda a gente sabe é uma representação daquilo que se passava antigamente e os jovens gostam de se envolver, de fazer parte e fazem o esforço para poder manter as nossas tradições vivas”, contou-nos Rosa.

Já Jorge Vala dança nos Camponeses de Toronto há cerca de três anos, mas garante que o amor pela tradição portuguesa já vem de há muito tempo. “Já em Portugal andava no rancho, representando a mesma região. Cresci no rancho – é sempre uma boa motivação para nunca esquecer as nossas origens”, contou-nos Jorge Vala.

Mais do que um grupo de dança, para Jorge Vala Os Camponeses são, verdadeiramente, uma família.

“Não vemos isto como um rancho mas sim como um grupo de amigos que fazem tudo por gosto! Este grupo também está a precisar de dançarinos – o convite é feito sempre a toda a gente. Seja de 5 ou 50 anos… venham reviver, saiam de casa, larguem os computadores, as playstations! Vamos reviver o passado, vamos socializar com as pessoas e vamo-nos divertir, principalmente”.

Nancy dos Santos é outro dos elementos que já acompanha Os Camponeses desde o início assumindo, no presente, o cargo de Secretária do grupo. Mas… estamos curiosos! O que é que uma Secretária faz, afinal, num grupo de folclore?

“Normalmente, quando há reuniões, eu estou lá a fazer as minhas notas e tudo mais. Mas fora isso ajudo a organizar o nosso rancho, o aniversário e também em qualquer coisa que seja preciso – às vezes é a fazer entrevistas, outras vezes é arranjar DJ… O que é preciso eu faço”, explicou Nancy.

Este foi o 12º aniversário do grupo, mas Os Camponeses de Toronto irão, com certeza, continuar a mostrar, dentro e fora do Canadá e por muitos anos, umas das mais belas tradições de Portugal.

Inês Barbosa


Autor(a):
Fonte:

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close