Comunidade

O que seria do Natal sem as crianças?

Numa época marcada por tradições, há uma que não pode falhar: o Natal da Criança, organizado pelo Portuguese Cultural Centre of Mississauga.

 

Mas da mesma forma que até as tradições mais antigas acabam por sofrer algumas alterações ao longo do tempo, também este evento não é exceção. Tal como contou ao nosso jornal Joana Carreira, diretora da juventude desta casa, nesta noite os presentes assistiram a algumas novidades, entre elas um verdadeiro casting para o lugar de Pai Natal! Modernices…

“Esta noite nós vamos ter a mesma apresentação do nativity mas, ao contrário dos anos anteriores em que nos inspirámos num filme, como por exemplo o Elf ou o Grinch, e que era mais direcionado aos adultos, este ano decidimos fazer uma Santa Claus audition, um “casting” para ser o Pai Natal. Porque o Pai Natal está muito velho, está cansado, já não quer fazer isto este ano. Quer ir de férias! Então nós temos pessoas diferentes a fazer entrevistas para ser o Pai Natal”, explicou-nos a diretora.

A peça apresentada ao público nesta noite demorou cerca de dois meses a ser preparada, e contou com cerca de 25 pessoas no elenco. Esta vontade e espírito de iniciativa do grupo deixou, naturalmente, Joana Carreira bastante orgulhosa. “Temos de nos sentir orgulhosos de um grupo de juventude que todos os anos quer e tem gosto em fazer estas coisas pelo Clube. Eles são muito bons, ajudam-me todos os anos e fazem o melhor trabalho!”.

Andrew Câmara é diretor do Rancho do PCCM mas nesta noite assumiu sem medos um novo cargo: o de MC da juventude.

“Eu sou parte desta comunidade de folclore mas sou sempre da juventude! A diretora da juventude é a Joana Carreira, é a ela que devemos esta “missão” de termos sempre uma secção de natividade, da história de Jesus e tudo mais. Então nós temos a honra de continuar essa tradição mas ao mesmo tempo ir buscar ideias a filmes da Disney e da “western community”, também com a história de Jesus. Eu sou narrador da peça. Eu estou por trás da cortina a falar e às vezes sou também a voz do Pai Natal! Eu já fui o menino Jesus, o pastor, o Rei Mago…. Mas agora os outros jovens precisam de trabalhar as suas personagens e eu vou mudar para outra coisa!”, disse.

Quando questionado se ainda acredita neste homem com uns quilinhos a mais que desce por uma chaminé para, caso nos tenhamos portado bem durante o ano, nos oferecer uma recompensa, Andrew Câmara respondeu que acredita que todos nós somos “Pais Natais” já que, nas suas palavras, “podemos todos dar aquela magia a todas as crianças que gostam do Natal. Então, para nós, Pai Natal é aquilo que se dá à criança durante o Natal para garantir que a sua imaginação continua pura”.

O Natal é, sem dúvida, uma época mágica. Mas grande parte dessa magia depende das crianças que carregam dentro de si um sem número de sonhos. E são precisamente elas que têm a capacidade de tornar esta noite tão especial.

“É sempre bonito de se ver uma casa cheia como hoje e com muita criança, com muitos meninos a correr por esta sala fora. É a coisa mais engraçada, mais bonita e o que nos faz ter uma casa destas. Não há palavras para explicar”, afirmou Jorge Mouselo, vice-presidente do PCCM.

No decorrer do evento surgiu a ideia de se fazer um sleepover no Centro… e parece que calhou a Jorge Mouselo a “fava” de assumir o papel de babysitter! Apesar disso, Mouselo garante que faz “tudo e qualquer coisa para apoiar a nossa juventude. Eu adoro a nossa juventude, eu acompanho-os, eu sinto-me jovem perto deles. Ver a vontade que eles têm em fazer uma noite como hoje, que durante duas semanas quase todos os dias ensaiavam… é engraçado e tenho muito orgulho!”.

Também Tony de Sousa, visivelmente orgulhoso, enalteceu o trabalho e empenho de toda a juventude em organizar este evento de Natal.

“Tem sido giro, estas semanas, os ensaios que eles têm feito. É bonito vê-los a fazer – antigamente éramos nós que o fazíamos e eles depois só faziam peça deles, mas desta vez achámos que deviam ser eles a fazer tudo. Eu acho que tem que ser assim – é a única maneira de termos os jovens connosco nesta casa, e como vocês veem estão sempre jovens cá, hoje ainda mais. Eu sinto-me orgulhoso porque não são todos os clubes que têm jovens “aos pontapés” como nós!”, disse.

Em jeito de despedida, Tony de Sousa agradeceu a presença do jornal Milénio Stadium em mais um evento de sucesso levado a cabo pelo PCCM e deixou uma pequena mensagem de Natal: “Para vocês todos um obrigado. Obrigado por estarem sempre aqui connosco. Boas Festas!”

Inês Barbosa/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER