Comunidade

LiUNA Local 183 atribuiu 72 bolsas de estudo

Foi no passado sábado, dia 12 de outubro, que a LiUNA 183 atribuiu 72 bolsas de estudo, numa iniciativa já bem conhecida e que tem como objetivo apoiar os estudantes no seu percurso universitário. Desde 2006 e até aos dias de hoje já foram distribuídos mais de $4,5 milhões de dólares – um facto que, sem surpresa, deixa Joseph Mancinelli, vice-presidente da LiUNA, muito satisfeito.

Fantastic! It’s incredible. It seems that it grows every year. We are getting bigger and bigger and more and more students get the opportunity to get a scholarship. I did a quick calculation that it was six million dollars since Jack came in, that he’s been giving this students”, confessou.

Esta iniciativa já se alargou a outras “Locals”, sendo que nestes últimos 30 anos centenas de jovens já foram eleitos e receberam estas bolsas de estudo que têm ainda mais valor tendo em conta o constante aumento dos encargos com a educação, conforme assumiu Joseph Mancinelli ao nosso jornal.

“Well, I think that we are gonna have to continue to increase the amount of money we give to the kids in order to keep up, giving them an adequate amount of money for a scholarship because tuitions keep on going up and they are getting crazy. When I went to school it was very inexpensive and easy to pay. In fact, Nowadays, if the parents can’t afford to pay there are a lot of students out there that finish university with a gigantic debt because, you know, they have to pay to live, they have to pay for their books, they have to pay for tuition… And if you don’t have help like an organization like LiUNA it becomes very difficult and so you end up graduating but you are graduating with a debt as well, which is not good. So our kids are fortunate that they have an organization like LiUNA behind them that’s helping”.

Cada bolsa de estudo tem o valor de 10 mil dólares e Jack Oliveira, Business Manager da LiUNA Local 183, não escondeu que nada disto seria possível caso não tivessem o apoio dos seus sócios.

“Acho que isto tem sido o fruto do trabalho dos nossos sócios em primeiro lugar, porque sem o trabalho deles não podíamos fazer estes eventos. Acho quanto maior for crescimento deste sindicato, que está sempre a abrir portas para poder servir mais os sócios, para poder facilitar e dar mais bolsas de estudo como estamos a fazer esta noite e também temos dado nos anos anteriores, mais oportunidades vamos poder dar aos filhos dos nossos membros ou pensionistas. Este executivo ainda tem um grande trabalho pela frente, o trabalho sindical é um trabalho que nunca tem fim, mas penso que este pedaço de trabalho que fazemos, além da componente de sindicalismo, que é o de ajudar as comunidades e ajudar, como é o caso desta noite, estes estudantes com bolsas de estudo, é um tipo de trabalho onde ainda temos muito a fazer para dar mais oportunidades aos filhos dos nossos sócios e dos nossos pensionistas”, disse.

Também presente na gala de atribuição das bolsas esteve Ana Bailão que, em declarações à imprensa presente no local, confessou que é realmente importante não nos esquecermos do nosso passado e das nossas raízes.

Eu acho que nós nunca nos devemos esquecer de onde vimos e portanto acho sempre importante vir aqui homenagear, relembrar, agradecer a este executivo, aos membros deste grande sindicato que acabam por dar momentos como este e ajudas como esta das bolsas de estudo a jovens e a famílias dos seus membros – estou aqui com um sentimento de gratidão e de orgulho também por ver as nossas famílias, a nossa comunidade contribuir tanto para um sindicato que tem esta visão e que tem este empenho em ajudar não só o trabalhador que é o seu membro, mas também as suas famílias e pensar no futuro”, disse a vice-presidente da Câmara Municipal de Toronto.

Luís Pinto foi um dos estudantes que recebeu uma bolsa de estudo: “Eu agora estou a estudar no Humber College, portanto pagar a escola vai ser caro, mas tendo esta bolsa de estudo não vou ter que me preocupar em pagar quando terminar, posso concentrar-me nos estudos. Sim, vou estar a trabalhar mas não vou ter que poupar tanto nem fazer um esforço tão grande. Vai ser muito mais fácil estudar e continuar a minha paixão”.

Também Noah Cabral, que frequenta o primeiro ano de Engenharia na Queens University se mostrou bastante orgulhoso e feliz por ter conseguido obter esta bolsa de estudo: “I think that it’s a very good thing that they are doing because people, like all of us who received the scholarship, I’m sure they really needed it to support our education – I certainly did and I’m very thankful for getting it. I found out about the scholarship through my parents and I wrote about the construction industry in my essay and about how it was the most prominent industry and it supports the economy the best of all industries”.

Tal como Noah, também Victoria Freitas ficou a saber destas bolsas de estudo através da sua mãe. “My mother told me about the scholarships – she heard about it I think on Facebook. The Union is something very important to my grandfather: he works in the Union for many number of years so I said: ‘Yeah, I wanna do this!’. My essay was about why second generation immigrants don’t necessarily want to enter the trades – I talked about how their parents work so hard to get them here and they want a better future for them and those are generally more educational careers like lawyers or doctors and that sort of thing. I’m a first year student at Brock, I’ve been there for about a month now. I’m studying Psychology and Drama and I’m hoping that I can sort of combine those two together to make a positive impact in the world – I want to help people!”.

E é exatamente isso que a LiUNA faz com esta iniciativa – ajudar as pessoas que querem e lutam por um futuro melhor.

Parabéns à organização e a todos os bolseiros!

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close