Comunidade

“I Don’t Belong Here” – Histórias com rostos

Dia 11 de março a York University reuniu-se para exibir o documentário “I Don’t Belong Here”. A longa metragem traz relatos e histórias de portugueses e lusófonos que passaram por deportações, um cenário que é parte da realidade de muitas famílias de imigrantes na América do Norte. Maria João Dodman, docente na York University, explicou que este é “um problema que ainda é atual”.

Nós tivemos oportunidade de conversar com a Marcie Ponte, do centro comunitário Working Women, que nos contou que ainda esta semana estiveram a lidar com uma história de deportação e que viu muitas histórias como esta retratadas no documentário.  O número de deportações atual já é muito menor, mas é um tema que continua atual. E a melhor forma de evitar estas situações é que a nossa comunidade continue informada sobre estes assuntos, que nos sintamos mais empáticos quanto às questões que foram retratadas no filme”.

O documentário “I Don’t Belong Here” já tinha sido lançado em 2017, mas chegou este ano a Toronto, em estreia no Nat Taylor Cinema. A longa metragem promoveu um debate entre alunos, professores e profissionais da comunidade, como Anabela Nunes, que trabalha com novos imigrantes no Canadá. “Nós ajudamos mais pessoas que estão cá há pouco tempo ou que estão cá pelo menos há 10 anos e que tentam regularizar a sua situação de imigração. No caso do filme, são pessoas que vieram para cá quando tinham, por exemplo, apenas cinco anos, ainda eram muito novinhos. Por isso existe uma pequena distinção. Mas sim, todos os dias lá no centro vemos casos de pessoas que já estão cá há algum tempo e que procuram regularizar a sua situação, obter a residência permanente.

Alertar para estas situações foi um dos objetivos. A exibição do filme decorreu no âmbito do programa de Estudos Luso-Brasileiros e Portugueses com o propósito de partilhar informações e levantar um diálogo sobre temas relacionados com as irregularidades da migração. Maria João Dodman acrescenta que “por um lado é importante que a Universidade fale de temas problemáticos. Neste caso o objetivo é sensibilizar as pessoas, revelar o lado humano e os custos humanos da deportação. Este é um tema que afeta muitas culturas. No caso de hoje falámos da comunidade portuguesa, muitas pessoas que foram deportadas dos Estados Unidos e Canadá para os Açores. Mas isto é um assunto que afeta muitas etnias. Portanto, como Universidade e como instituição pública, a York University deve contribuir para o bem-estar das suas comunidades e deve contribuir para o alargamento das mentes ou das mentalidades. Além disso, um dos objetivos da educação universitária é que os alunos se transformem em melhores cidadãos do mundo. E para compreendermos o mundo precisamos de compreender vários fatores sociais e culturais, assim como históricos”.

O evento teve entrada livre e o documentário está agora disponível para ser exibido noutros ecrãs da cidade de Toronto.

Telma Pinguelo/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW