Comunidade

Grupo Folclórico da Casa da Madeira de Toronto

Há 36 anos a cantar e dançar a cultura madeirense

O folclore é uma manifestação de cultura popular tipicamente portuguesa. Considerado pela UNESCO como património cultural imaterial da humanidade, os seus trajes, instrumentos e cantigas são facilmente identificáveis e esta cultura tem passado de geração em geração – prova disso mesmo são os 36 anos celebrados pelo Grupo Folclórico da Casa da Madeira de Toronto.

Laurentino Esteves, membro do Comité Ad-Hoc da ACAPO, esteve presente na festa de aniversário deste grupo. Adepto confesso de folclore, Laurentino Esteves possui também um programa de folclore na Camões Rádio, denominado “Raízes do nosso povo”. Na Casa da Madeira, realçou a importância deste tipo de eventos que, acima de tudo, ajudam na promoção da cultura madeirense.

“A minha presença aqui – para além de estar em nome da ACAPO – deve-se ao meu gosto pelo folclore, é uma das minhas paixões, e também porque o folclore é a vitalidade da maioria das associações. Assim, eu acho que celebrar o rancho folclórico é também uma forma de se poder atrair alguma juventude. 36 anos do folclore madeirense é, de facto, um marco histórico e importante na vida desta casa que representa a Região Autónoma da Madeira e que é o único rancho folclórico madeirense no Canadá”, afirmou.

As diversas iniciativas levadas a cabo pela comunidade portuguesa no Canadá possibilitam que todos possam ficar a conhecer as diferentes regiões do nosso país. No entanto, existe uma dificuldade que já não é de agora mas que teima em não desaparecer: o desinteresse da juventude. Laurentino Esteves assume que “a juventude de hoje não procura as mesmas coisas que os jovens de há 30 ou 40 anos procuravam. A juventude hoje é mais universal, mais informada, com mais estudos… e portanto hoje um jovem tem muito pouco interesse em ir a um jogo de cartas, a um Baile da Pinha ou um Baile do Chapéu. Procura alguma coisa que o cative e com a qual se identifique. E eu estou convencido que através da cultura podemos também ir buscar os nossos jovens… é preciso é que nos saibamos moldar, saber acolhê-los”.

Este rancho, que na sua fundação era composto por três grupos, conta neste momento com 17 elementos – 10 dançarinos, cinco tocadores e duas crianças.

Mas há algo que, até aos dias de hoje, não mudou: José de Freitas tem 71 anos e é ensaiador do Grupo Folclórico da Casa da Madeira de Toronto desde sempre!

  “Hoje em dia é diferente de antigamente… antigamente havia mais vontade! Os rapazes, raparigas e adultos não tinham o que temos hoje – hoje temos muita coisa! Temos a internet, temos bola que não havia antigamente… estava tudo amarrado em casa e isto para eles era uma alegria, um divertimento!”, confessou o ensaiador.

Esta noite de aniversário contou ainda com um convidado muito especial: o Grupo Folclórico Transmontano de Toronto. Quando recebeu o convite, Ana Maria Costa, presidente e ensaiadora do Grupo, não hesitou. Afinal, tanto neste como na maioria dos casos, a união faz a força!

“Tal como nós, eles estão a passar por uma crise. É difícil, temos altos e baixos e para eles continuarem temos que dar força. Somos uma família a lutar pela nossa cultura e tradições! Gostaria de desejar ao Rancho Folclórico da Casa da Madeira as maiores felicidades! São os únicos cá, exatamente como nós, e temos que continuar!”, disse Ana Maria Costa.

Celebrar 36 anos de existência numa Casa que também ela irá brevemente celebrar 57 anos não é para qualquer um… Que o diga José Luís Bettencourt, presidente da Casa da Madeira!

“Isso é verdade, não é para qualquer um! Eu tenho orgulho em saber que o Rancho Folclórico da Casa da Madeira faz 36 anos e que eu fui um dos principiantes, embora não pertença ao grupo agora. É um orgulho para os madeirenses e para os portugueses em geral. A tecnologia está muito avançada e os rapazes e raparigas preferem mais a tecnologia, mas era um orgulho ter a juventude connosco. Nós temos de ter jovens na direção – já temos alguns mas não é suficiente. Queremos mais! Nós estamos a ficar um pouco cansados e queríamos ver os jovens continuar com esta casa”, apelou.

Desde que assumiu a presidência, José Luís Bettencourt tem tentado que a Casa da Madeira de Toronto esteja mais ativa, organizando diversas atividades. E podem já marcar na agenda: o próximo evento vai ser carregado de amor, no Dia dos Namorados!

“Gostávamos de fazer um apelo a todos os casais, jovens ou não, que participassem e que viessem. Vamos oferecer flores a todos e era um prazer ver a casa repleta não só de madeirenses como de portugueses em geral e alguns estrangeiros. São todos bem vindos a esta casa!”, lembrou o presidente.

Não se esqueçam que no último fim de semana de maio a Casa da Madeira de Toronto vai celebrar mais um aniversário! Não vão com certeza querer faltar!

Inês Barbosa e Carmo Monteiro/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

DONATE NOW