Comunidade

Federação entrega 37 bolsas de estudo

A Federação de Empresários e Profissionais Luso-Canadianos (FPCBP) entregou no passado sábado (23) 37 bolsas de estudo, uma bolsa por cada ano de vida da Federação. O evento decorreu no Pearson Convention Centre e o orador principal, que tem uma empresa sediada em Silicon Valley, garante que o céu é o limite para os nossos sonhos.

This slideshow requires JavaScript.

“Os luso-canadianos são inteligentes, trabalhadores árduos e têm uma grande comunidade que se apoia mutuamente. Não se esqueçam de olhar à volta e perceberem o que podem fazer a seguir, o céu é o limite”, disse Andrew Arruda da ROSS Intelligence ao Milénio Stadium.

No próximo ano o jovem anunciou que vai financiar uma das bolsas de estudo da FPCBP e a presidente da Federação, Eduarda Lee Sousa-Lall, deposita muita esperança em cada um destes bolseiros.  “Hoje é a grande noite e vamos encorajar cada um destes jovens a representar as raízes portuguesas e a honrar a memória dos pioneiros. Trabalhamos muito para que isto fosse possível e tenho de agradecer à minha equipa e aos nossos empresários”, disse.

A Federação recebeu muitas candidaturas e coube a um comité composto por vários académicos fazer uma seleção dos vencedores. Os bolseiros mantêm uma forte ligação com as suas raízes e no futuro esperam poder fazer a diferença. “Sinto-me muito feliz por poder receber esta bolsa. É uma grande ajuda, sobretudo para a universidade e um dia espero tornar-me enfermeira. Tenho uma forte ligação com o Clube Português de Oshawa e danço no rancho de folclore desde os três anos”, explicou Maya Ganhão ao nosso jornal.

Matthew Carias é estudante de medicina na McGill University em Montreal e lamenta que seja o único português da sua turma. “É um grande alívio receber esta bolsa porque assim não tenho de pedir dinheiro emprestado ao banco e posso concentrar-me apenas nos meus estudos. Nasci no Quebec, mas os meus pais são de Braga e de Leiria. A medicina é fascinante e eu gostaria de me especializar em cirurgia, mas se por acaso não for possível, uma carreira como médico de família também me parece bem. Infelizmente não temos muitos médicos portugueses na província, mas espero que isso mude um dia”, contou.

O Abrigo Centre e três luso-canadianos foram também premiados pelo seu trabalho e pela sua dedicação nas mais variadas áreas. José Melo, presidente e fundador da Allstone Quarry Products venceu o Business Excellence Award; George Pimentel, fotógrafo de celebridades, venceu o Professional Excellence Award; Larry Vieira, assistant Crown Attorney, ganhou o New Generation Award e o Abrigo Centre recebeu o Humanitarian Award.

José Melo disse sentir-se muito honrado por se terem lembrado dele depois de 50 anos de carreira e garantiu que, apesar dos seus 74 anos, ainda quer abrir pedreiras, sobretudo para extração de granito. George Pimentel, que já fotografou algumas das maiores celebridades do mundo, não esquece as suas raízes e sublinha que é sempre bom voltar ao Little Portugal depois de passar algum tempo em Hollywood. O seu primeiro contacto com a fotografia foi através do estúdio do pai e o seu irmão deu-lhe a primeira máquina fotográfica aos 12 anos.  Quando lhe perguntámos qual a sua celebridade preferida, ele respondeu que agora é a Lady Gaga. No seu discurso apelou à união da comunidade portuguesa. 

Larry Vieira, assistant Crown Attorney, estava visivelmente emocionado e recordou o seu percurso profissional. “Comecei por ser polícia com 21 anos. Fui colocado na área portuguesa e sei bem o que é o serviço público. Como falava português, as pessoas procuravam-me para ajudar com traduções. Quando fui estudar para ser advogado já tinha mais de 30 anos e era o único português da turma”, explicou. 

O Abrigo Centre recebeu o prémio humanitário e Ed Graca agradeceu aos funcionários da associação por ajudarem a recomeçar vidas todos os dias. 

Os empresários doaram mais de 1,2 milhões de dólares para ajudar a construir um país melhor e deixam conselhos que podem ser úteis aos futuros líderes. “Se nós damos uma bolsa a um estudante temos de ter a certeza que esse dinheiro é empregue em educação. Gostava que a Federação acompanhasse o futuro destes jovens e percebesse se realmente fizemos alguma diferença na vida deles. Tenho pena que os prémios sejam sempre atribuídos a homens porque temos mulheres extraordinárias na nossa comunidade. O sucesso é mental e há quem o confunda com dinheiro, poder e fama. Mas nós podemos ter tudo isso e sermos miseráveis, o que interessa é podermos fazer alguma diferença na sociedade”, sublinhou Manuel DaCosta, da Viana Roofing & Sheetmetal Ltd.

No final assistimos à atuação da Luso-Can Tuna e ao sorteio de viagens e estadias em Portugal. O evento foi ainda animado por Manuel Moscatel, na guitarra portuguesa e Tony Melo, na guitarra clássica.

Joana Leal

Redes Sociais - Comentários

Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER

Close
Close