Ilha de Santiago, Cabo Verde

Views: 98
Manuela Marujo
Manuela Marujo

Conhecia já um pouco de África – Angola, Moçambique e Guiné-Bissau – mas ainda não tinha tido a oportunidade de visitar nenhuma das dez ilhas de Cabo Verde. A minha querida amiga cabo-verdiana, a viver em Toronto, não hesitou em aconselhar-me: “Vai a Santiago, a minha ilha. Vais gostar da Praia, a capital!”

Uma semana em Santiago foi o ideal para ficar a conhecer o interior e a costa. Na viagem de carro da Praia ao Tarrafal, surpreenderam-me as montanhas elevadas com majestosos rochedos de formas misteriosas e os vales profundos, resultantes da origem vulcânica do arquipélago. A costa a pique é recortada por pequenas praias de areia escura onde os pescadores recolhem os seus barcos coloridos.

Montanhas – Cabo Verde
Montanhas – Cabo Verde

Ir à antiga prisão política do Tarrafal, hoje intitulado Museu da Resistência, é comovente. Lugar de tortura e sofrimento de tantos homens, só por terem ousado acreditar na liberdade e democracia, faz-nos refletir sobre prepotência e injustiça e torna-nos mais resistentes a qualquer ideia de regresso a ditaduras. Um museu, estátua e nome de praça, na cidade da Praia, dedicados a Amílcar Cabral ajudam-nos a compreender melhor a luta pela independência de Cabo Verde quando era colónia portuguesa.

Gostei muito de visitar a “Cidade Velha”, património da humanidade desde 2009. Chamou-se Ribeira Grande e foi a primeira capital da ilha. Restam as ruínas da catedral, o pelourinho, a igreja de Nossa Senhora do Rosário, a Rua de Banana e pouco mais. Vista da Fortaleza de São Filipe, construída no século XVI durante o domínio dos espanhóis, a Cidade Velha é um deslumbramento. Ao pôr do sol, minha hora favorita do dia, a paisagem era quase mágica. Só apetecia ficar em silêncio e refletir na coragem de um punhado de navegadores que ali aportou, no ano de 1460.

Diogo Gomes, ao serviço do Infante Dom Henrique, foi o principal descobridor, com estátua em lugar de destaque no Platô, no centro histórico da cidade da Praia (Praia de Santa Maria), fundada em 1615, e capital do arquipélago desde 1770. No Platô encontramos também os palacetes do governo, o Museu Etnográfico e a Casa da Cultura.

Mercado Cabo Verde
Mercado Cabo Verde

Cabo Verde tem um clima árido, com temperatura média anual de 25o C. Tive sorte de ter escolhido ir na estação de chuva, que vai de agosto a outubro, em que toda a ilha estava verde e aprazível. Nos pequenos e profundos vales, abundavam árvores de fruto: coqueiro, mangueira, goiaba e outras frutas tropicais. O milho, cereal usado nos pratos mais básicos da população, cresce por todas as encostas, quintais ou bermas das estradas. Compreendi porque é que o delicioso cuscuz ou saborosa cachupa são encontrados em qualquer restaurante.

Cabo Verde é terra de música: morna, coladeira, funaná, batuque e outros géneros musicais. A artista mais conhecida até hoje foi Cesária Évora – a Rainha da Morna – que levou essa música a todo o mundo. Acompanhada por clarinete, violino, guitarra e cavaquinho, nunca esquecerei a “Diva de Pés Descalços”a atuar, na sua grande simplicidade, uma vez no no Massey Hall e outra no Convocation Hall da Universidade de Toronto. Tornou-se uma estrela internacional aos 47 anos e morreu com 70.

Cidade Velha e ruinas catedral
Cidade Velha e ruinas catedral

Quem viajou apenas por uma ilha não pode dizer que ficou a conhecer o país. Desta vez foi Santiago; talvez um dia possa voltar a Cabo Verde e aprender mais sobre o arquipélago.
Gostou de ler sobre esta viagem?

Contribua fazendo um donativo (“tax credit donation”) para uma viagem de estudante da Universidade de Toronto.

THE MANUELA MARUJO TRAVEL SCHOLARSHIP
www.spanport.utoronto.caclique em: “Donate to the Department” e siga as instruções.

Comments: 0

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.