Editorial

Um mundo repleto de vírus

Editorial

Esta manhã acordei com cerca de 15 cm de neve no chão. Os efeitos contínuos de um longo inverno, juntamente com o aspeto mental, encaminham desejos de uma realidade mais quente no Canadá, que atualmente sofre de uma vaga de descontentamento, mas que não está relacionada com a neve. Uma rajada de vento frio bate-nos na cara, para nos relembrar da crise contínua que afeta o nosso país e o mundo.

Poderia ser dedicada uma prosa substancial à greve dos professores e às suas implicações ou até a tomada de reféns de cada cidadão canadiano por alguns indivíduos indígenas. Esta situação demonstrou que existem dois conjuntos de leis para a população canadiana, que juntamente com dirigentes cobardes, liderados pelo nosso primeiro-ministro, originam situações cujos resultados são medidas de precaução nunca antes vistas neste país.

No entanto, esta semana, o foco está no vírus COVID-19 (coronavírus). Até à data matou 2,114 pessoas na China e há, ainda, 74,639 casos confirmados de contaminação. A nível global existem 71,429 casos confirmados, mas apenas cinco mortes registadas.

A Organização Mundial de Saúde informa que tem desenvolvido documentos de orientação para conter o vírus, particularmente em eventos públicos e multidões. Para muitos, a nível mundial, esta declaração traz pouco conforto, são vítimas da fraca administração dos seus governos na gestão da potencial propagação deste vírus. No Canadá, além dos sete casos confirmados, existem centenas de pessoas em quarentena. Até agora, Portugal tem 12 casos suspeitos, mas nenhum confirmado.

A história do vírus é longa e a maioria da população não compreende o que é um vírus. É um organismo vivo que apenas se consegue replicar numa célula hospedeira. São organismos microscópicos que existem por toda a parte da Terra. Podem infetar animais, plantas, fungos e até bactérias. Alguns vírus podem ser a causa de uma doença fatal, enquanto outros são quase impercetíveis. São considerados parasitas e alguns exemplos são a raiva, o herpes e o Ébola. Os vírus são causadores de várias doenças no ser humano, como a varíola, constipações e gripes, sarampo, varicela, hepatite, pólio, HIV, SARS e dengue. Muitos de nós nunca estiveram expostos a este tipo de vírus, mas a prevenção é fundamental para nos protegermos. Os princípios básicos para reduzir o risco de transmissão de uma infeção respiratória aguda incluem:

Evitar contacto com pessoas que sofram de uma infeção respiratória aguda;

Lavar as mãos frequentemente, especialmente depois de estar em contacto com pessoas doentes ou com os ambientes que frequentam;

Evitar contacto desprotegido com animais de quinta ou animais selvagens;

Pessoas com sintomas de infeção respiratória aguda devem ter em conta as medidas de etiqueta (manter distância, cobrir a tosse e os espirros com um lenço descartável ou com a própria roupa e lavar as mãos);

Em infraestruturas de saúde predominam as práticas padrão de prevenção e controle de infeções, especialmente na sala de emergência.

São muitos os que não seguem os conceitos básicos de higiene e não se preocupam em levar a vacina da gripe mesmo que seja recomendada pelas autoridades de saúde e, por isso,  enchem as salas de emergência dos hospitais que se deveriam dedicar a doenças mais sérias. Estima-se que 25% a 35% das pessoas não lavam as mãos quando visitam uma casa de banho, espalhando fezes e outros organismos em todas as superfícies em que tocam.

Quando andamos pela rua, as várias máscaras usadas fazem-nos questionar se aqueles sem máscara estão a ser irresponsáveis ou se é apenas uma questão cultural adotada por alguns. Têm surgido queixas de racismo contra chineses, relacionado com o facto do COVID-19 ter origem na China, mas parece que este racismo não é nada mais do que o medo do vírus. Vamos praticar o básico da decência e higiene para ultrapassarmos isto.

Com a limpeza da neve a terminar, a esperança é de que melhores dias virão, com o Canadá a voltar ao normal, dirigido por aqueles que foram eleitos para nos mostrar o caminho. É um pensamento interessante, mas com uma lógica desperdiçada, baseada em especulações irracionais, mas desejáveis. Onde estão os nossos líderes?

in english

A World of Viruses

Woke up this morning to another 6” of snow on the ground. The continuing effects of the long winter together with mental wishes for warmth gave way to reality in Canada, which currently suffers from a wave of discontent and not related to snow. A gust of cold wind slaps you in the face reminding you of continuing crisis affecting our country and the world. Substantial prose could be dedicated to the teachers strikes and its implications or the hostage taking of every Canadian citizen by a few indigenous individuals. This situation has shown that there are two sets of laws for the Canadian population, which coupled with spineless leaders led by our Prime Minister, has resulted in a situation whose result may be precautionary measures never before seen in this country.

This week however, the focus is on the COVID-19 virus (coronavirus) which to date has killed 2,114 people in China plus 74,639 confirmed cases of infection. Globally there are 71,429 confirmed cases but only five confirmed deaths.

The World Health Organization reports that it has developed guidance documents for managing the virus, particularly at public events and mass gatherings. This is cold comfort to many people worldwide who have been victims of poor governmental leadership in handling the potential spread of the virus. In Canada there are seven confirmed cases but there are hundreds of people in quarantine. Portugal has 12 suspected cases but non confirmed.

The history of virus is long and most of the population do not understand what a virus is. Viruses are living organisms that cannot replicate without a host cell. They are microscopic organisms that exist almost anywhere on Earth. They can infect animals, plants, fungi and even bacteria. Viruses can cause a disease that is fatal while others are hardly noticeable. They are considered parasitic and examples include rabies, herpes and Ebola. Viruses cause many human diseases including smallpox, common cold & flu, mesles, chicken pox, shingles, hepatitis, polio, HIV, SARS e dengue fever. Most of us are never exposed to many of these viruses, but prevention is key in protecting ourselves. The basic principles to reduce the general risk of transmission of acute respiratory infections include:

Avoiding close contact with people suffering from acute respiratory infections;

Frequent handwashing, especially after direct contact with ill people or their environment;

People with symptoms of acute respiratory infection should practice cough etiquette (maintain distance, cover coughs and sneezes with disposable tissues or clothing, and wash hands);

Within health care facilities, enhance standard infection prevention and control practices in hospitals, especially in emergency departments;

Many do not follow the basic concepts of hygiene and do not bother to get a flu shot as recommended by health officials, filling hospital emergency rooms for more serious illness. It is estimated that 25 to 35 percent of people do not wash their hands when visiting a washroom, thus spreading feces and other organisms on all surfaces they touch.

Walking down the street looking at many wearing masks triggers a reminder if those without masks are being irresponsible or if this is only a cultural way adopted by some. There have been claims of racism against Chinese related to the COVID-19 virus originating in China, but it would appear that this racism is nothing more than virus fear. Let’s practice the basics of decency and hygiene to get through this.

As the snow clearing ends, the hope is for better days ahead where Canada returns to normal led by those who were elected to show us the way. Interesting though but with wasted logic based on mindless but wishful speculation. Where are our leaders?

Manuel DaCosta/MS

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close