Editorial

O milagre da religião

Bem-vindo/a à nova década e que 2020 seja um ano feliz e próspero para todos.

Os leitores habituais do Milénio Stadium esperam a cobertura de assuntos que são muitas vezes ignorados, mas que têm um impacto substancial na forma como a sociedade funciona. Esta semana, o Milénio examina a proliferação da religião, os milagres religiosos e os fanatismos associados que, muitas vezes, ditam a forma como vemos o mundo e como afeta o nosso dia a dia. Será que a religião se tornou num mar confuso de expectativas irrealistas? O que é a religião? As religiões são coleções partilhadas de crenças transcendentes que foram legadas dos crentes aos convertidos, que carregam uma doutrina documentada severa e reveladora ou práticas culturais estabelecidas. Muitas vezes, as religiões são explicações espirituais que pretendem responder a questões como “porque estamos aqui?” e, com base num código moral, governar a conduta e os assuntos entre humanos.

Ser religioso implica que se acredite num Deus ou num grupo de Deuses. As escrituras em livros como a Bíblia formam a base da conduta moral dos crentes.

Muitos confundem espiritualidade com religião. Apesar das religiões enfatizarem o espiritualismo como sendo parte da fé, pode-se ser espiritual sem ser religioso. Algumas religiões, como o Cristianismo, evidenciam crenças que se desenvolvem, em grande medida, associadas a milagres que ocorreram em vários locais do mundo. Muitas das vezes, os milagres baseados em aparições de santos a pecadores são fenómenos não explicados pelas conhecidas leis da natureza. Sem provas concretas, os crentes em milagres aceitam os factos relatados pela Bíblia ou mitos populares como factos.

Desde os sete milagres de Jesus, muitos outros milagres, incluindo as aparições de Fátima, têm vindo a ser aceites por milhões de crentes. Foram erguidos monumentos como santuários que celebram as aparições e que, ao mesmo tempo, servem de locais de marketing para produtos religiosos que também geram um importante fundo monetário para o Vaticano. Então qual é o custo da religião nas nossas vidas? Espera-se que os crentes apoiem continuamente as organizações religiosas, que são alimentadas pelas ocorrências milagrosas, que são continuamente impregnadas nos nossos cérebros como sendo factos. Acreditamos porque é um facto ou por medo do desconhecido nunca visto? São milhões aqueles que passam as suas vidas comprometidos com a religião, na esperança de que Deus, santos ou padres tornem a sua vida melhor, ignorando todos os crimes cometidos em nome de Deus ou por aqueles que trabalham para Deus. No livro “Homo Deus” é proposto um argumento que questiona o nascimento da religião e a formação do corpo humano e da sua inteligência. O “Homo Deus”, que é um corpo humano criado à imagem de Deus, sugere que a criação corporal não é espiritual, mas sim baseada no desenvolvimento natural do Homo Erectus. São muitos os que questionam: se Deus nos criou à Sua imagem, porquê tantas imperfeições na sua criação? O fanatismo que ataca o cérebro de tantas pessoas em nome da religião irá causar guerras, um comportamento demente e o abuso da espécie humana. As religiões que deveriam ser os guias da moralidade estão a destruir o mundo. Com certeza que é tempo de termos um verdadeiro milagre que mude os caminhos do mundo. Infelizmente, não irá acontecer porque poderemos perder a nossa voz de ignorância e tornarmo-nos instruídos. No final, os Trumpismos e outras religiões semelhantes irão ditar como vivemos. É triste ser isto que as nossas crianças vão herdar devido a mensagens confusas ditadas por aqueles que pregam os princípios morais.

Abrace um mundo em que o seu local de culto é o seu coração

(Editorial in english)

Welcome to a new decade and Happy and Prosperous 2020 to all of you

Regular readers of Milénio Stadium have come to expect coverage of subject matter which is often overlooked but has a substantial impact on the way society works. This week’s Milénio examines the proliferation of religion, religious miracles and associated fanatism which often dictates how we perceive the world and how it affects our daily lives. Has religion become a confusing sea of unreal expectations? What is a religion? Religions are shared collections of transcendental beliefs that have been passed on from believers to converts which carry meaningful and serious documented doctrine or established cultural practices. Often religions are spiritual explanations which attempt to answer the question as to why we are here and based on a moral code governing the conduct of human affairs.

To be religious means that you believe in a God or in a group of Gods. The writings in books such as the Bible form the base for the moral conduct of the believers.

Many confuse spirituality with religion. Although religions emphasize spiritualism as being part of faith, you can be spiritual without being religious. Some religious such as Christianity have emphasized beliefs in combination with miracles which occurred at various locations in the world. Miracles which are often based on appearances by Saints and Sinners are phenomena not explained by known laws of nature. Without concrete evidence, miracle believers are to accept the facts as related by the Bible or popular myths as fact.

Since Jesus’s seven miracles, many other miracles, including the Fatima apparitions have been accepted by millions of devotees. Monuments have been built has shrines celebrating the apparitions which also serve as marketing places for religious products serving as cash cows for the Vatican. So, what is the cost of religion in our lives? Believers have expected to continually support religious organizations which ae fueled by miraculous occurrences which are continually ingrained in our brains as a fact. Do we believe because it’s fact or out of fear of the unknown never seen? Millions spend their lives committed to religions hoping that God, Saints and priests will make their lives better, overlooking all crimes committed in the name of God or by those working for God. In the book “Homo Deus” an argument is proposed which questions the birth of religion and the formation of the human body and its intelligence. “Homo Deus” which is a human body created in the image of God suggests that the bodily creation is no spiritual but based on the natural development of Homo Erectus. Many question the fact that if God created us in His image, why such imperfections with the creation? Fanatism that has attacked the brains of many in the name of religion will cause wars, demented behaviour and abuse of humankind. Religions which are to be the beacon of morality are destroying the world. Surely, it’s time to have a real miracle that will change the ways of the world. Unfortunately, it won’t happen because we may lose our voice of ignorance and become educated. Trumpisms and other similar religions will dictate how we ultimately live. Sad that this is what our children will inherit because of confusing messages by those who preach morality.

Embrace a world where your place of worship is your heart.

Manuel DaCosta

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

VOTE JÁ

Faça a sua nomeação

Close
Close