Editorial

É uma vida de cão – Os Animais de Estimação e Você

Editorial

Ao visualizarmos o processo lento de completa liberdade das nossas vidas durante a pandemia, não podemos ignorar o papel que os animais tiveram na saúde mental de muitas pessoas, já que foram eles que nos distraiam do impacto negativo da Covid.

 

É uma vida de cão-editorial-mileniostadium
Cartoon By Stella Jurgen

 

Não vou fingir que sou um grande amante de animais, mas também não vou desvalorizar a união que muitas vezes existe e a partilha de amor. No final, somos todos animais a fingir que não o somos e as conexões profundas que desenvolvemos trazem-nos muito amor, felicidade, afeto e humor, o que muitas vezes não se pode esperar de seres humanos que enfrentam os desafios das atividades do dia a dia.

Os animais desempenham uma função importante na vida das pessoas. Os cães de apoio a pessoas cegas e cães que podem ser treinados para farejar drogas e pessoas têm, durante séculos, desempenhado um papel fundamental e solidificado um lugar essencial que tem influenciado a relação das pessoas e a sua visão do reino animal, mas e os gatos? Para alguns, os animais de estimação são tão importantes como qualquer outro membro da família, e por vezes até mais. A redução dos níveis de stress, solidão, a ajuda a aumentar as nossas atividades sociais e o desenvolvimento emocional positivo tornou-se vital num mundo que se tem tornado tão isolado. A escolha dos animais que elegemos como companheiros são uma reflexão das nossas personalidades. Muitos de nós pensamos nos animais quando estão nos pratos do nosso jantar, enquanto outros não toleram a ideia de comer carne. E outros acreditam que os humanos não são intrinsecamente mais importantes que os animais, e por isso, têm o dever de valorizar todas as criaturas como seres recetivos capazes de consciência e capazes de ter vidas boas ou más. Para muitas pessoas, humanizar os animais desta forma pode ser um problema moral, onde a separação de humanos e inteligência animal pode ser uma abordagem radical de como vemos os nossos animais de estimação. Sendo assim, quais são as nossas obrigações para com os outros animais? Deixando as visões culturais de parte relativamente à forma como os animais devem ser usados, é essencial um tratamento adequado a todas as criaturas para a sobrevivência da espécie humana. A ligação entre humanos e animais é uma relação dinâmica e de benefício mútuo. Durante milhares de anos, os humanos têm beneficiado com esta ligação única e não poderiam ter sobrevivido sem eles. A radicalização de como alguns veem o parentesco humano-animal será um desafio no futuro uma vez que muitos consideram os animais com uma ligação ao nosso bem-estar e por isso o seu papel é sustentar as nossas almas e não os nossos estômagos.

Precisamos de tratar os animais com simpatia e amor, tal como faríamos com outro ser humano, mas não podemos esquecer que são animais e não seres humanos.

Por isso, vá, pode rugir, rosnar, latir, miar, piar ou fazer hee-haw. Qual é o seu? Eu, irei apenas assobiar quando me servirem um bife pouco saboroso.


t’s a Dog’s Life – Pets and You

Visualizing the slow process to achieve complete freedom of our lives during this pandemic, we can’t ignore the role animals have played in the mental health of many people as they assisted in the provision of diversions from the negative impact of Covid on our beings.

 

É uma vida de cão-editorialEN-mileniostadium
Cartoon By Stella Jurgen

 

I won’t pretend that I’m an animal lover but won’t dismiss the attachment of many to their creatures and the love they share.  In the end, we are all animals pretending not to be and the deep connections we develop bring much love, joy, affection and humour, which often cannot be expected from human beings as they battle the challenges of everyday activities.

Animals play an important role in people’s lives.  Seeing-eye dogs and dogs that can be trained to search for drugs and people have for centuries played an important role and solidified a crucial place which have influenced people’s relationships and their view of the animal kingdom but cats?  To some, pets are as important as any other member of their family and sometimes even more.  The reduction of stress levels, loneliness, the help to increase our social activities and positive emotional development have become vital in a world which has lately become isolated.  The choices of animals we choose as companions are a reflection of our personalities.  Many of us think of animals when they are on our dinner plates while others cannot fathom the thought of eating meat.  Many make the case that humans are not intrinsically more important than animals and therefore we have a duty to value our fellow creatures as receptive beings capable of consciousness and able to have lives that may be good or bad for them.  Humanizing animals in this manner can be a moral issue for many where the separation of human and animal intelligence can be a radical approach to how we view our pets.  So what are our obligations to other animals?  Putting aside cultural views of what animals should be used for, proper treatment of all creatures is essential to the survivability of human species.  The human-animal bond is a mutual beneficial and dynamic relationship.  Humans have benefited from this unique connection for thousands of years and humans would not have been able to survive without them.  The radicalization of how some view the human-animal kinship will be challenging in the future as many see animals as a connection to our well-being and therefore to be used for sustenance of our soul and not our stomachs.

We need to treat animals with sympathy and love just like we would another human being, but we can’t forget that they are animals not humans.

So go ahead and roar, growl, bark, meow, chirp or…hee-haw.  Which one is yours?  Me, I will just hiss when I’m served a bad steak.

Manuel DaCosta/MS

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

DONATE NOW

Close
Close