Editorial

Dear Oh! Dear

Editorial

Existiu um momento na vida de muitos de nós em que a única forma de enviar uma mensagem para alguém era escrevendo uma carta. Hoje em dia, devido à progressão óbvia da comunicação a nível mundial, a correspondência pessoal faz-se, maioritariamente,  eletronicamente em vez de ser com a caneta no papel. Há um certo sentido místico em sentarmo-nos e revelarmos os nossos pensamentos a outra pessoa, ao refletirmos na nossa lógica interna o que pode ter um efeito no estado mental da outra pessoa.

Enquanto continuamos presos nas nossas prisões virtuais, o inimigo invisível continua o seu caminho destrutivo. Atualmente existem 2.66 milhões de casos de COVID-19 a nível mundial e somam-se 185,000 mortes. Enquanto os políticos continuam a alertar para a necessidade dos encerramentos e cuidados a seguir, os cidadãos sentem que as suas vidas foram interrompidas pelas forças políticas sem terem em consideração como esta pandemia irá afetar-nos para o resto das nossas vidas. Há várias semanas que o Milénio Stadium tem vindo a relatar a evolução da pandemia e a forma como tem vindo a afetar a vida das pessoas. Sendo um serviço essencial, os meios de comunicação continuam a trabalhar com o intuito de informar, independentemente da potencial exposição ao vírus. Todas as semanas os escritores, compositores e a equipa do editorial para o jornal, Camões TV e Rádio, etc., tentam providenciar uma visão global da nossa comunidade e dos eventos mundiais, através de artigos de opinião focados em determinados assuntos ou notícias relacionadas que alimentam o nosso sistema insaciável de media. Esta pandemia inseriu-se nos nossos corpos e mesmo que não nos sintamos doentes, experienciamos a doença todos os dias. Por este motivo, a direção editorial pediu aos nossos colaboradores para escreverem uma carta: poderá ser dedicada a qualquer pessoa, acerca de um assunto que tenha tido um impacto real nas suas vidas no decorrer desta guerra silenciosa. Por favor, leia e desfrute dos pensamentos daqueles que todos os dias vivem tudo o que é media e informação para mantê-lo informado. Gostaria de agradecer a todos os colaboradores do MDC Media que continuamente acreditaram na importância dos nossos leitores, ouvintes e audiência e na missão de continuar a trabalhar mesmo que em circunstâncias desafiantes. Àqueles que decidiram ir embora ou não participar durante este período, desejo-vos o maior sucesso e mantenham-se saudáveis.

Todas as semanas escrevo uma carta para si na forma de um editorial, por isso a maioria compreende os meus pontos de vista. Tenho várias preocupações, como todos os outros, incluindo quando e como é que vamos voltar à vida normal, quantas pessoas ainda morrerão, preocupações com aqueles que irão perder tudo o que construíram ao longo dos anos, a destruição de muitas unidades familiares devido a problemas mentais causados pelo isolamento, como irão funcionar as fronteiras entre países no futuro e a proliferação do racismo nas nossas vidas.

E por fim, uma grande preocupação é a sobrevivência dos meios de comunicação étnicos devido à falta de valorização e apoio pelas comunidades étnicas que estão sem paixão pela cultura e pela educação cultural. Se não existir um sistema de apoio cultural, duvido que os meios de comunicação livres como os conhecemos continuem a existir depois desta pandemia. Estas são apenas algumas das preocupações a serem exploradas e espero que resolvidas num futuro próximo.

Mantenha-se saudável e fique bem.


in english

Dear Oh! Dear

There was a time in the life of many of us that writing a letter was the only way to get a message to someone else. Due to the obvious progression of how the world communicates today, personal correspondence is mostly done by electronic means rather than putting pen to paper. There is a certain mystique about sitting down and disclosing your thoughts to someone else by reflecting on your internal logic which may affect the other’s mental state.

As we continue incarcerated within our virtual jails, the invisible enemy continues its destructive path. There are now 2.42 million cases of COVID -19 worldwide and 166,000 deaths. While politicians continue to preach closure and caution, citizens feel that their lives have been interrupted by political forces without due consideration of how this pandemic will affect us for the rest of our lives. Milénio Stadium has been reporting on this pandemic for a number of weeks and its effects on people’s lives. As an essential service, media continues to work to inform regardless of the potential exposure to the virus. Every week the writers, composers and editorial staff for the newspaper, Camões TV and Radio, etc., attempt to provide an overview of our community and world events by opining on certain subject matter or relating the news, which are fed into an insatiable system called media. This pandemic has inserted itself into our bodies and even if we don’t feel sick, we experience the sickness every day. For this reason, the editorial board requested our writers and surmisers to write a letter to anyone in the world about a subject matter that has had a real impact on their lives as the silent war races on. Please read and enjoy the thoughts of those who live media and information on a daily basis to keep you better informed. I want to thank all of MDC Media collaborators who have continually believed it worthwhile that our readers, viewers and listeners are important enough for us to continue working in challenging circumstances. Those who have left or chose not to participate in this period in time, the best of success and keep healthy.

Every week I write a letter to you in the form of an editorial so most of you understand my points of view. I have a number of concerns like everyone else, including how and when we will return to a normal life, how many more citizens will die, concern for those who will lose all they have built over many years, destruction of many family units due to mental health issues because the incarceration, how future borders between countries will work and the proliferation of racism in our lives.

And finally, the survival of ethnic media because of the lack of appreciation and support by ethnic communities without passion for culture or cultural education is a major concern. If support does not become part of a cultural survival system, I doubt that the free media as we know it will continue post pandemic. These are only some stresses to be explored and hopefully resolved in the near future.

Stay healthy and be well.

Manuel DaCosta/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

DONATE NOW