EditorialBlog

Carne de tubarão – És tu?

Editorial

Mais um dia da sua vida que o leva para a autoestrada às 5h30 da manhã. Conduzir para a cidade na 400, na direção sul, em luta com os cowboys que ocupam a estrada, com os seus cavalos de ferro e sem qualquer respeito pela vida ou morte.  O que acontece às pessoas quando entram num carro? Ao observar a expressão das pessoas vejo os instintos maníacos ou assassinos esboçados nas suas caras zangadas, relembrando-nos do filme Ben-Hur e as corridas de carruagens. Estas observações pessoais nada têm a ver com a capa da edição desta semana do Milénio Stadium, exceto que o tubarão pode ser adotado para muitos propósitos e os cowboys na autoestrada representam um perigo e consagram o medo de que qualquer um deles nos pode matar a qualquer altura. A ilegalidade está a comandar a sociedade, ao mesmo tempo que promovemos cortes políticos e as nossas estradas são o exemplo perfeito. Meus amigos, avizinham-se tempos assustadores em autoestradas ensolaradas.

 

Cartoon by Stella Jurgen

 

Com a falsa sensação de um regresso à normalidade, a pressão financeira aumenta e os cidadãos deste país têm de recorrer a quaisquer medidas disponíveis para sobreviver, sendo que a maioria espera que seja uma situação temporária. Uma das indústrias com maior crescimento são as instituições financeiras alternativas e as casas de penhores. O Milénio Stadium testou o sistema para avaliar o funcionamento interno de um negócio que parece pouco controlado e pode ser um veículo para lavagem de dinheiro ou atividades duvidosas. Providenciam serviços para acomodar condições desesperadoras que afetam pessoas sem opções. O levantamento alternativo de cheques e o recurso a casas de penhores onde alguém deixa os seus bens às mãos de empresas gananciosas que cobram demais pelos seus serviços, nunca é uma boa experiência. Aqui fica a minha revelação numa loja de penhores chamada Harold’s.

M: Estou desesperadamente a precisar de dinheiro e tenho este relógio Rolex que posso deixar aqui como depósito de segurança. Poderá avaliá-lo e dar-me o máximo de dinheiro que puder?

H: O valor do relógio é $5,000 (há dois anos paguei $10,000 por ele) e com base nesse montante, poderei dar-lhe 60% do valor do relógio. Os $3,000 acarretam um juro mensal de 24% ou $720 por mês. Se os $3,000 não forem pagos no prazo de três meses fico com o relógio.

M: Estes juros não são acima daquilo que é permitido por lei?

H: Senhor, você é que precisa do dinheiro, por isso ou quer ou não quer.

M: Mas senhor, acabei de comprar este relógio por $10,000. Como é que o avaliou? H: Sou um profissional, não me pode culpar se pagou demais.

M: Obrigado pela sua ajuda, mas vou procurar outras alternativas.

Esta não foi uma experiência fora do normal, até porque diversos conhecidos já me tinham relatado histórias muito piores. São muitos os indivíduos que acabam por cair nestes esquemas devido às circunstâncias desesperantes em que se encontram e os tubarões estão a multiplicar-se a ritmos alarmantes.

A Joana Leal escreverá sobre o levantamento de cheques e serviços de empréstimos temporários, o que representa outro conjunto de desafios para as pessoas sem conta bancária. Apesar de providenciarem um serviço necessário, o abuso na cobrança por estes serviços requer um maior controlo por parte do Governo.

Com o aumento do desemprego e com as empresas a procurarem proteção ao credor, os tubarões vão-se alimentar da miséria dos cidadãos enquanto estes tentam sobreviver. As cerca de 35,000 pessoas que levantam cheques no Money Mart pagam $2,99 por cheque e ainda, 3% do valor total do cheque.

A mim parece-me boa carne de tubarão.


in english

Shark meat – Are you?

Another day in life which takes you to the highway at 5:30 a.m. Traveling to the city on highway 400 South fighting the cowboys which occupy the road with their steel horses racing forward showing no respect for life or death. What happens to people when they get into a car? Looking at people’s faces the observance of manic or killer instincts sketched on the expressive and angry faces reminding you of the Ben-Hur movie and the chariot races. These personal observations have nothing to do with this week’s Milénio Stadium cover except that the shark can be adopted for many purposes and the cowboys on the highway pose a danger and enshrine a fear that any of them can kill us at any time. Lawlessness is taking over society in many ways while we promote political cutbacks and our roads are a perfect example. Scary times on sunny highways my friends.

 

Shark meat Are you-editorial-mileniostadium
Cartoon by Stella Jurgen

 

A s the fake perception of returning to normalcy continues, financial pressures are on the rise and the citizenry of this country has to resort to any measures available to survive, which most hope are temporary. One of the highest growth industries is alternative banking and pawnshops. Milénio Stadium is testing the system to assess the inner workings of an industry which appears to have lax controls and may be a vehicle for money laundering and other dubious activities. They provide services to accommodate desperate conditions affecting people without options. Alternative cheque cashing and pawning your treasures to greedy companies overcharging for their services is never a pleasant experience. Here’s my exposure and story at a pawnshop called Harold’s.

M: I’m in desperate need of cash and have this Rolex watch that I can leave as temporary security. Can you appraise it and give me all the cash you can?

H: This watch is worth $5,000.00 (paid $10,000.00 two years ago) and based on the value I can provide 60% of the value of the watch. The $ 3,000.00 carries monthly interest of 24% or $ 720.00 per month. If the $ 3,000.00 is not repaid at the end of three months, I keep the watch.

M: Aren’t these interest rates above what is allowed by law?

H: Sir you need my money so take it or leave it.

M: Sir I just purchased this watch for $ 10,000.00 so how did you value it?

H: I’m a professional and I can’t be blamed if you overpaid for it.

M: Thank you for your help but will find other alternatives.

This was not an unusual experience as some acquaintances have related much worse stories. Many individuals fall for those scams due to desperate circumstances and the sharks are multiplying at an alarming rate.

Joana Leal is writing about cheque cashing and temporary loan services which poses another set of challenges for people without bank accounts. While they provide a needed service, the abuse of overcharging for these services requires tighter controls by governments.

As job lasses grow and companies seek creditor protection, the sharks will feast on the misery of citizens simply trying to survive. About 35,000 people who cash cheques at Money Mart each week pay $ 2.99 per cheque plus 3% of the cheque total.

Sounds like good shark meat to me.

Manuel DaCosta/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

DONATE NOW