Editorial

At Home but Homeless

One of the comforts of life is to have a place to go where we feel secure and away from the vulgarities of life.  Most call this place a home, but many may also feel homeless regardless of the fact that they live within 6 walls, which are supposed to embrace the people living within these walls.

Financing bricks and mortar in our lives has become a challenge which causes many to become desperate, particularly if you live in a city like Toronto.  The costs of mortgages and rents have challenged most, especially the millennials and the future will not provide any comfort.

There are a lot of reasons that rent in Toronto is becoming more expensive, and the most obvious is simple supply and demand.  A lot of people want to live in the city and landlords know they have high demand and they can get away with charging crazy prices.  Life in Toronto challenges all because in addition to rent or mortgage, monthly expenses result in most living paycheque to paycheque but is the problem greedy landlords and developers?  Certainly not.  Bad tenants cause rents to go higher because damages to property continually increase.  The cost of labour to build new structures is edging higher.  It’s predicted that in five years the cost of construction will be 30 to 50% higher due to labour shortages.  Lack of government incentives to build rental housing and government red tape results in delays in receiving approvals.  Often it takes 8 to 10 years from land purchase to receiving a building permit with owners carrying the costs of delays.

Toronto is now the world’s second most overvalued property market but the predicted bubble is not about to burst.  Improving job numbers and wages will keep fueling our love for debt and the steady flow of immigrants, refugees and overseas money will result in a continued appetite for real estate.  The pace of new supply must double in Toronto to meet future demand.  A policy to boost rental supply is needed with specific targets and incentives to achieve them.  In 2018 Toronto had a deficit of 9100 rental units.  When kids should be moving out of parents’ homes, they are staying longer or living with roommates.  To rent a place in Toronto a single person needs to earn a $ 50,000.00 dollar salary before taxes in order to live alone in the city.  A one bedroom apartment, including rent, utilities internet, etc. will cost $ 2,394.00 per month.

The sad part in all of this is that tenants are paying high prices and often living in sub-standard conditions, including unregulated and unhealthy places but are afraid to leave for fear of not finding another place to live.

This madness will not end soon and people will need to utilize their resources to match a lifestyle they can afford. 

There should be a home available for all who feel homeless in any city.

When is a house not a home?

Editorial (in Portuguese)

Em Casa, mas Sem-Abrigo

Um dos maiores confortos na nossa vida é ter um sítio onde nos sentimos seguros e longe de todas as vulgaridades da vida. A maioria chama este sítio de Casa, mas são vários os que se sentem sem-abrigo independentemente do facto de viverem entre 6 paredes, que deveriam abraçar os indivíduos que nela vivem.

Financiar os tijolos e argamassa tem-se tornado um desafio nas nossas vidas e que causa desespero, particularmente se vive numa cidade como Toronto. O custo das hipotecas e das rendas tem-se tornado num desafio, especialmente para os millennials e o futuro não vai garantir conforto.

Existem vários motivos para o aumento da renda em Toronto, e o mais óbvio é a questão da oferta e da procura. Muitas pessoas querem viver na cidade e os senhorios sabem que têm muita procura e podem escapar-se por definirem preços tão altos. A vida em Toronto é um desafio para todos, porque para além da renda e da hipoteca, as despesas mensais conduzem a que as pessoas vivam de cheque a cheque mas será este um problema dos senhorios e dos developers gananciosos? Certamente que não. Os maus inquilinos fazem com que as rendas aumentem porque persistem os danos às propriedades. O custo da mão-de-obra para construir novas estruturas está a aumentar. Prevê-se que em cinco anos, o custo de construção será entre 30 a 50% maior devido à falta de mão-de-obra. A falta de incentivos governamentais para construir unidades de arrendamento e a burocracia do governo resulta em atrasos nas aprovações. Normalmente, demora entre oito a 10 anos o processo desde a compra do terreno até à autorização de construção, sendo que são os proprietários que carregam os custos dos atrasos.

Toronto é considerada como a segunda propriedade mais supervalorizada do mercado, a nível mundial, no entanto a bolha ainda não está perto de rebentar. Melhorar o número de empregos disponíveis e os ordenados continuará a alimentar o nosso amor pelo endividamento, e o fluxo constante de imigrantes, refugiados e dinheiro vindo do estrangeiro, resultam num apetite continuado pelo imobiliário. Para satisfazer a procura que surgirá, Toronto, tem de aumentar o ritmo de oferta para o dobro. É necessária uma política para aumentar a oferta de unidades de arrendamento. Enquanto os filhos deveriam estar a sair de casa dos pais, estão a ficar mais tempo ou a viver com companheiros de casa. Uma pessoa sozinha, para arrendar casa em Toronto, tem de ganhar um salário de $50,000 antes dos impostos, de forma a conseguir viver sozinho nesta cidade. Um apartamento de um quarto, considerando renda, despesas, internet, etc. terá um custo mensal de $2,394.00.

A parte mais triste de tudo isto é que os rendeiros estão a pagar preços elevados, mas a viver em condições débeis, inclusive que não são reguladas e em locais pouco saudáveis, mas têm medo de sair por receio de não encontrarem outro local para viver.

Esta loucura não irá acabar em breve e as pessoas terão de utilizar os seus recursos para combinar com um estilo de vida que possam pagar.

Deveria existir uma casa para todos os que se sentem sem-abrigo nesta cidade.

Manuel DaCosta

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close