Editorial

Ame os seus vizinhos

Love Thy Neighbor

Com o prolongamento da pandemia e do confinamento, está na altura de pensar naqueles que sofrem em silêncio porque não têm ninguém com quem partilhar os efeitos negativos do isolamento a que estão sujeitos. A solidão, o isolamento social e a falta de recursos financeiros criaram um segmento da sociedade que muitos privilegiados ignoram. Mas, poderemos continuar a ignorar? O que é que cada um de nós pode fazer para aliviar o desequilíbrio? Muitos pensam que o seu mundo é uma ilha, mas a realidade é que de alguma forma estamos todos interligados. Estar com fome relembra-nos que não temos comida e por isso comemos, contudo, são muitos os que não têm essa escolha.

Esta semana, a edição do Milénio Stadium examina o conceito da responsabilidade de cada um para assegurar que se dissipam as desigualdades da sociedade. As nossas falhas pessoais no que diz respeito à responsabilidade social podem ser facilmente resolvidas ao ajudarmos um indivíduo. A forma de salvar o mundo é vivermos em harmonia e a boa vontade que espalhamos hoje, dará frutos no futuro. 

As novas gerações serão confrontadas com grandes desafios, criados pela perceção de que os recursos são infinitos. É um mito e a atual destruição de recursos terá um peso negativo em toda a gente. As novas gerações têm de parar com o delírio de que têm que continuar num caminho de destruição. A justiça social e a pobreza são questões com que devemos lidar se queremos erradicar um dos principais problemas, de forma a garantir que o mundo permanece em paz. A retirada de estátuas para rescrever a história e o incêndio de edifícios para provar um ponto de vista não vão ajudar os oprimidos, os explorados, os esfomeados e os solitários.

No futuro, o longo período de isolamento terá consequências negativas desde suicídio, a mortes por overdose, depressão e outras questões relacionadas com saúde mental. O stress do isolamento irá provavelmente estimular mais pessoas a recorrer a opióides, a álcool e a qualquer outra coisa que os faça esquecer a realidade da vida, nem que seja apenas por um certo período de tempo. Para se salvarem vidas da pandemia, a realidade é que a longo prazo irão ocorrer mais mortes devido ao isolamento social e ao aumento das funções cognitivas que enfraquecem o sistema imunitário e aumentam as doenças cardíacas.

A privação económica está associada a efeitos negativos. Para muitos, o confinamento exigido pelo Governo resultará em anos de reconstrução de plataformas financeiras que se encontrarão devastadas. Os relatórios apontam que nas últimas quatro semanas o número de tentativas de suicídio equivale ao período de um ano. Para aqueles que pensam que o confinamento é o mais acertado, os efeitos a longo prazo irão fazê-lo mudar de ideias e quando o Governo bater à sua porta para ser reembolsado, as consequências irão acentuar a dor dos oprimidos.

Está na altura de avaliar as necessidades daqueles que são maltratados, através da implementação de medidas individuais para diminuir um dos males mais graves da sociedade, a pobreza.

Ajude da forma que puder ajudar, mas ajude.

Os nossos futuros dependem disso.


  • in English

As this pandemic and lockdown continue, it is time to think about those who suffer in silence because they have no one to share the negative effects of the incarceration, which they are being subjected to. Loneliness, social isolation and lack of financial resources has created a segment of society which many of the privileged ignore. But can we afford to ignore? What can each of us do to ease the imbalance? Many think that their world is an island, but the fact is that we are all somehow connected. Being hungry remind us that we have no food and thus we eat, however, many don’t have that choice.

This week’s Milénio Stadium examines the concept of our responsibility to each other to ensure that the inequalities in society have a remedy. Our personal shortcomings in social responsibility can easily be mitigated by starting with helping one individual. Living in harmony is the way to save the world and the goodwill we spread today will pay off in the long run.

New generations will be confronted with great challenges created by the perceived availability of infinite resources. It’s a myth and the current destruction of resources will become a negative weight in everyone’s necks. New generations should stop having delusions that they can continue in a path of destruction. Social justice and poverty are issues that must be dealt with if we are to eradicate one of the main challenges to ensure the world remains at peace. Taking down statues to rewrite history and burning down buildings to make a point will not help the downtrodden, the exploited, the hungry and the lonely.

Long lockdowns will in the long term have negative consequences from suicide, overdose deaths, depression and other mental health issues. The stresses of lockdown will likely cause more people to use opioids, alcohol and anything else that can make people forget the reality of life for a while. In the name of saving lives from the pandemic, reality is that in long term more deaths will happen due to social isolation due to decreases in cognitive functions that weakens immune systems and increases heat disease

Economic deprivation is associated with negative outcomes and for many will result in years of reconstruction of financial platforms devastated by government mandated isolation. It’s been reported that in the last four weeks there’s been one year’s worth of suicide attempts. To those who think the continued lockdowns are the way to go, the long-term effects will make you change your mind and once the government knocks at your door to be repaid, the consequences will accentuate the pain on the oppressed.

It is time to assess the needs of those who are maltreated by individually implementing measures to decrease one of society’s most serious ills, poverty.

Help any way you can, but help.  Our futures depend on it.

Manuel DaCosta/MS

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

DONATE NOW

Close
Close