Editorial

Alterações Climáticas: Quente ou Frio

As alterações climáticas expressam uma diferença no clima global da terra ou na região climatérica, durante um determinado período de tempo. Isto poderá acontecer durante um curto período de tempo ou ao longo de milhares de anos, dependendo dos processos e das forças da terra. Recentemente, as atividades humanas têm sido apontadas como a causa das alterações climáticas que, por sua vez, resultaram no aquecimento global. Alguns sugerem que manter o aumento da temperatura da Terra abaixo dos 2ºC é fundamental para a sobrevivência do planeta.

Existem várias causas apontadas como responsáveis pelo aquecimento global, como a desflorestação, minas de carvão, petróleo e os seus derivados, etc. É um problema global sobre o qual muitos falam, mas na prática parece ser impossível regular por isso, pouco é feito.

O UN Climate Action Summit 2019 sugere que as emissões globais estão a atingir níveis recorde, sem sinais de atingir o seu pico. Os últimos quatro anos foram os mais quentes registados e as temperaturas de inverno no Ártico subiram 3ºC desde 1990. Tudo isto resultou na subida do nível de água do mar, recifes de corais a morrer e há provas que apontam para o facto de ser colocada em perigo a vida dos seres humanos devido às alterações climáticas através da poluição do ar, ondas de calor e riscos para a segurança alimentar. António Guterres, Secretário-Geral da ONU apelou aos líderes mundiais para se dirigirem a Nova Iorque a 23 de setembro, de 2019, com “planos concretos e realistas que melhorem a contribuição da sua Nação” na perspetiva de, na próxima década, reduzir em 45% as emissões de efeito de estufa e anular as emissões líquidas até 2050. Baniu certas Nações, que não cumpriram com o Acordo de Paris, de fazerem apresentações tais como os EUA, China, Arábia Saudita, etc. Esta ação deve alertar as outras Nações para a importância da obediência.

1.8 milhões de jovens mobilizaram-se, por todo o mundo, para evidenciar que têm uma palavra a dizer sobre o futuro do nosso planeta. Dirigido e encorajado por Greta Thumberg, uma ativista de 16 anos da Suíça, o movimento contra as alterações climáticas tomou proporções nunca antes vistas. A inocência de uma jovem de 16 anos que vê o mundo a preto e branco e que quer lutar pelo futuro, está a instalar o medo nos governos e corporações ao destacar problemas atuais como os incêndios na floresta da Amazónia e em partes do Ártico, a subida do nível de água, tempestades, queimadas, secas e inundações. A negação é mais fácil do que enfrentar a terrível verdade do que está para vir. A maioria de nós não tem noção da nossa própria poluição porque vivemos confortavelmente e isolados daquilo que se passa no resto do mundo. Os principais maldizentes das alterações climáticas têm medo das evidências que mostram que criaram um monstro chamado poluição que tem de ser morto e foi precisa uma criança para liderar um movimento que o faça.

Toronto concordou em juntar-se a 800 governos locais de todo o mundo e declarar uma emergência climática e reduzir 80% das emissões de gases de efeito de estufa até 2050.

A Universidade de Coimbra baniu a carne de vaca dos refeitórios para reduzir o gás metano. Gestos simbólicos e de curto prazo, como este, não são a resposta. É necessária uma abordagem a nível mundial e a nível pessoal. Em Nova Iorque, foi feito um anúncio de que 87 Corporações com 4.2 milhões de trabalhadores se comprometeram a aderir a uma neutralidade global da pegada de carbono até 2050. Mais uma vez, estes são gestos simbólicos e que, na sua maioria, não são postos em prática. Vamos punir aqueles que poluem seja onde for. Da próxima vez que atirar as beatas do cigarro para o chão, perceba que o impacto não se revê apenas em si, mas em toda a gente.
A longo prazo, a vigilância da poluição mundial irá salvar-nos.

Climate Change: Hot or Cold

Climate change means the difference in the earth’s global climate or in regional climates over a period of time. This can happen over a short period of time or over thousands of years depending on the processes and earth forces. Recent human activities have been the most spoken cause of climate change, which has resulted in global warming. Some have suggested that keeping the earth’s temperature increase below 2ºC (36ºF) is essential for the survival of the planet.

There are many causes suggested for global warming such as deforestation, coal plants, oil and oil products, etc. It’s a global problem that many speak about but in practice appears to regulate and therefore little is done.
The UN Climate Action Summit of 2019 suggests that global emissions are reaching record levels and show no sign of peaking. The last four years were the four hottest on record and winter temperatures in the artic have risen by 3ºC since 1990. This has resulted in rising sea levels, dying coral reefs and evidence suggests life-threatening impacts on climate change on health through air pollution, heatwaves and risks to food security. António Guterres, UN Secretary-General, asked world leaders to come to New York on September 23rd 2019, with concrete, realistic plans to enhance their nationality determined contributions in line with reducing greenhouse gas emissions by 45 per cent over the next decade and to net zero emissions by 2050. He has banned nations from making presentations which do not comply with the Paris Accord such as USA, China, Saudi Arabia, etc. This move should alert other nations that compliance is important.

1.8 billion young people have mobilized throughout the world to claim that they have a say in the future of our planet. Led and encouraged by Greta Thumberg, a 16-year-old activist from Sweden, the movement against climate change has taken an approach not seen before. The innocence of a 16-year-old who sees the world in black and white and wants to fight for the future by instilling fear in governments and corporations by highlighting current problems such as burning of the Amazon Forest and parts of the Artic, rising sea levels, vicious storms, wildfires, droughts and floods. Denial of course is easier that confronting the terrifying truth of what is to come. Most of us are oblivious to our own polluting because we live comfortably and isolated from much of what is going on in the rest of the world. The loudest detractors of climate change are afraid of the evidence that they have created a monster called pollution that needs to be killed and it’s taking a child to lead a movement to do it.
Toronto has agreed to join 800 local governments around the world declaring an emergency and to reduce greenhouse gas emissions by 80% by 2050.

The University of Coimbra is banning beef from its cafeterias to reduce methane gas. Symbolic and short-sighted gestures such as this are not the answer. A wider worldwide approach is required on a global and personal level. An announcement in NY that 87 Corporations with 4.2 million workers pledged to adhere to a global carbon footprint neutrality by 2050. Again, these are symbolic gestures made which for the most part, are not enforced. Let’s punish those who pollute no matter where. Next time you throw your cigarette butt on the ground, understand that the impact is not just to your insides, but to everyone else’s.

Vigilance on world pollution will save us in the long run.

Cartoon: Stella Jurgen

Autor(a): Manuel DaCosta
Fonte:

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close