Desporto

Supremacia lusitana

Supremacia lusitana-tabela-mileniostadium-mundo
Foto: DR

 

Na segunda jornada da fase de grupos da segunda edição Liga das Nações não assistimos a grandes surpresas nos resultados finais das partidas.

Podemos salientar, no entanto, o empate sem golos entre Dinamarca e Inglaterra (mas convenhamos que a seleção dinamarquesa esteve à altura e conseguiu aguentar o nulo até ao apito final) e a vitória da Itália sobre os Países Baixos – uma vitória que, em boa verdade, poderia ter sorrido a ambos os lados.

Mas vamos focar-nos na partida de Portugal: a seleção das quinas vinha com bom embalo, após uma vitória expressiva frente à Croácia (4-1, com golos de João Cancelo, Diogo Jota, João Félix e André Silva) e decidida a conseguir mais uma vitória.  Pela frente tinha a Suécia que, por seu lado, vinha de uma derrota, por 0-1, frente à atual campeã mundial, a França.

Em Solna, Fernando Santos construiu o onze inicial com Anthony Lopes, Raphael Guerreiro, Pepe, Rúben Dias, João Cancelo, Danilo, João Moutinho, Bruno Fernandes, João Félix, Bernardo Silva e Cristiano Ronaldo. Já a Suécia alinhou com Olsen, Krafth, Helander Jansson, Augustinsson, Olsson, Svensson, Kulusevski, Forsberg, Isak e Berg.

A partida seria ainda marcada pelo regresso de Cristiano Ronaldo, que havia falhado o jogo da primeira jornada devido a uma infeção num pé. Totalmente recuperado, Ronaldo voltou, viu, venceu… e ainda ultrapassou a barreira dos 100 golos marcados. Mas já lá vamos!

Os suecos mostraram-se mais imponentes nos primeiros minutos da partida e até ficaram perto de abrir o marcador, mas as tentativas acabaram anuladas pela defesa portuguesa.

Foi ao minuto 20 que surgiu a primeira oportunidade para Portugal, quando Bernardo Silva cruzou (e acabou lesionado na sequência deste lance), Danilo não conseguiu o cabeceamento e Pepe falhou por muito pouco o desvio.

Por esta altura já o jogo já estava mais equilibrado, e aos 26 minutos foi a vez de Cristiano Ronaldo, após canto cobrado por Bruno Fernandes, rematar de primeira e obrigar Olsen a defender com os pés.

Aos 45’, Svensson acabou expulso por acumulação de amarelos. Na sequência do lance que valeu o segundo amarelo ao defesa sueco, Ronaldo foi chamado a converter o livre.. E fez magia: um livre direto colocadíssimo sem hipóteses para Robin Olsen – uma belíssima maneira de celebrar o centésimo golo pela seleção nacional (foi o segundo jogador a transpor esta barreira). Para além disso, ainda se tornou no único jogador a fazer dois golos de livre direto na Liga das Nações.

Ainda que com um jogador a menos, a Suécia foi tentando dar a volta ao resultado. Esforço inglório, já que aos 72’ Cristiano Ronaldo voltou a fazer das suas na Friends Arena: Cancelo desmarcou Félix, que por sua vez colocou a bola no capitão. Novo “tiro” colocado e mais um golo que dá gosto ver! 

Com 101 golos marcados, Cristiano Ronaldo fica assim a oito de igualar o iraniano Ali Daei, que fez balançar as redes em 109 ocasiões, e que é, para já, o melhor marcador de sempre.

No mesmo dia, e num género de reedição da final do Mundial 2018, a França voltou a vencer a Croácia… e com o mesmo resultado!  Tal permitiu que a França igualasse Portugal na liderança do Grupo 1 da Liga A – no entanto, a equipa de Fernando Santos está em vantagem, já que tem mais um golo marcado que os gauleses e menos um sofrido. Estas duas seleções medirão forças no próximo dia 11 de outubro. Que vença o melhor… e que o melhor seja Portugal!

Na segunda jornada da fase de grupos da segunda edição Liga das Nações não assistimos a grandes surpresas nos resultados finais das partidas. Podemos salientar, no entanto, o empate sem golos entre Dinamarca e Inglaterra (mas convenhamos que a seleção dinamarquesa esteve à altura e conseguiu aguentar o nulo até ao apito final) e a vitória da Itália sobre os Países Baixos - uma vitória que, em boa verdade, poderia ter sorrido a ambos os lados. Mas vamos focar-nos na partida de Portugal: a seleção das quinas vinha com bom embalo, após uma vitória expressiva frente à Croácia (4-1, com golos de João Cancelo, Diogo Jota, João Félix e André Silva) e decidida a conseguir mais uma vitória.  Pela frente tinha a Suécia que, por seu lado, vinha de uma derrota, por 0-1, frente à atual campeã mundial, a França. Em Solna, Fernando Santos construiu o onze inicial com Anthony Lopes, Raphael Guerreiro, Pepe, Rúben Dias, João Cancelo, Danilo, João Moutinho, Bruno Fernandes, João Félix, Bernardo Silva e Cristiano Ronaldo. Já a Suécia alinhou com Olsen, Krafth, Helander Jansson, Augustinsson, Olsson, Svensson, Kulusevski, Forsberg, Isak e Berg. A partida seria ainda marcada pelo regresso de Cristiano Ronaldo, que havia falhado o jogo da primeira jornada devido a uma infeção num pé. Totalmente recuperado, Ronaldo voltou, viu, venceu… e ainda ultrapassou a barreira dos 100 golos marcados. Mas já lá vamos! Os suecos mostraram-se mais imponentes nos primeiros minutos da partida e até ficaram perto de abrir o marcador, mas as tentativas acabaram anuladas pela defesa portuguesa. Foi ao minuto 20 que surgiu a primeira oportunidade para Portugal, quando Bernardo Silva cruzou (e acabou lesionado na sequência deste lance), Danilo não conseguiu o cabeceamento e Pepe falhou por muito pouco o desvio.  Por esta altura já o jogo já estava mais equilibrado, e aos 26 minutos foi a vez de Cristiano Ronaldo, após canto cobrado por Bruno Fernandes, rematar de primeira e obrigar Olsen a defender com os pés. Aos 45’, Svensson acabou expulso por acumulação de amarelos. Na sequência do lance que valeu o segundo amarelo ao defesa sueco, Ronaldo foi chamado a converter o livre.. E fez magia: um livre direto colocadíssimo sem hipóteses para Robin Olsen - uma belíssima maneira de celebrar o centésimo golo pela seleção nacional (foi o segundo jogador a transpor esta barreira). Para além disso, ainda se tornou no único jogador a fazer dois golos de livre direto na Liga das Nações. Ainda que com um jogador a menos, a Suécia foi tentando dar a volta ao resultado. Esforço inglório, já que aos 72’ Cristiano Ronaldo voltou a fazer das suas na Friends Arena: Cancelo desmarcou Félix, que por sua vez colocou a bola no capitão. Novo “tiro” colocado e mais um golo que dá gosto ver!   Com 101 golos marcados, Cristiano Ronaldo fica assim a oito de igualar o iraniano Ali Daei, que fez balançar as redes em 109 ocasiões, e que é, para já, o melhor marcador de sempre. No mesmo dia, e num género de reedição da final do Mundial 2018, a França voltou a vencer a Croácia… e com o mesmo resultado!  Tal permitiu que a França igualasse Portugal na liderança do Grupo 1 da Liga A - no entanto, a equipa de Fernando Santos está em vantagem, já que tem mais um golo marcado que os gauleses e menos um sofrido. Estas duas seleções medirão forças no próximo dia 11 de outubro. Que vença o melhor… e que o melhor seja Portugal-liga-mileniostadium-mundo

Inês Barbosa/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW