Desporto

Portugal goleia Ilhas Faroé

 

Na preparação para a Hungria, domingo às 14.45

Portugal, 5 – Ilhas Faroé, 1.
Dó, ré, mi, tudo ao ritmo de Cristiano Ronaldo

 A seleção portuguesa de futebol somou o sexto triunfo consecutivo no Grupo B europeu de apuramento para o Mundial de 2018, ao golear as Ilhas Faroé por 5-1, no Estádio do Bessa, no Porto.

O ‘capitão’ Cristiano Ronaldo foi a grande figura lusa, ao apontar o seu quarto ‘hat-trick’ – ao qual junta um ‘póquer’ -, com golos aos três, 29 e 65 minutos, o segundo de penálti, passando a somar 78, em 144 jogos, e já 13 na qualificação, em seis.

William Carvalho, aos 58 minutos, e Nelson Oliveira, aos 84, apontaram os outros tentos da formação das ‘quinas’, que passou a somar 18 pontos, para se manter a três da Suíça, enquanto Rogbi Baldvinsson marcou o tento de honra dos forasteiros, aos 38.

Segue-se a Hungria, no domingo, às 14.45, num desafio que será bem mais difícil do que aquele que Portugal acaba de disputar contra as Ilhas Faroé. Mais uma final, pois Portugal tem de ganhar se quiser manter as suas aspirações ao primeiro lugar do grupo e automática qualificação para o Mundial 2018.

Sinfonia completa: pontapé de bicicleta afinado em dó, grande penalidade disparada em ré, simulação de corpo e finalização simples dedilhadas em mi. Cristiano Ronaldo foi Wolfgang Amadeus Mozart, génio maior da Seleção Nacional, compositor e executante de mais uma orquestração de mestre. Três golos às Ilhas Faroé, e vão 78 por/para Portugal.
E se houve um vislumbre de Mozart em Ronaldo, então William Carvalho foi Antonio Salieri, o rival eterno na busca fratricida pela perfeição na clave de sol. Um golo num belo golpe de cabeça e uma assistência afinadíssima para Cristiano fechar o «hat trick».

Curiosamente, neste saudável cumprir de obrigação da Seleção, os destaques vão direitinhos para os dois homens que atravessam um maior período de inatividade. Cristiano por estar a cumprir cinco jogos de castigo em Espanha, William por ter sofrido uma mialgia e ser atingido pelo vírus do mercado de transferências.
Tudo normal, tudo belo no Estádio do Bessa, com a única nota fora de tom a ser o golo do anónimo Rógvi Baldvinsson, em cima do intervalo. Um belo golo, aliás, num pontapé de primeira, após o enésimo lançamento lateral longo e um desvio de cabeça do incansável Edmundsson.

Antes e depois dessa nódoa na partitura lusitana, a melodia não saiu disto: bola nos pés portugueses, a derivar da esquerda para a direita, com mais velocidade do que imaginação e cruzamentos trás de cruzamentos para a defesa dos homens das Faroé.
Cédric mais aventureiro do que Eliseu, William fantástico no passe curto e longo, João Moutinho muito interventivo no meio, com Bernardo Silva e João Mário a não darem a explosão necessária nas alas.

O adversário, humilde, cumpriu na íntegra o papel de entregue à degola. Frágil e inexistente no ataque, entregue à sua pouca sorte com a bola, valente no processo defensivo, numa muralha branca enorme, a lembrar outras guerras e outros tronos.
Cenário visto e revisto em fases de qualificação para Europeus e Mundiais, palco desnivelado na peleja de David e Golias. Uma equipa obrigada a fazer golos, muitos golos, quanto mais cedo melhor; e a outra, condenada à partida a ser figurante no espetáculo, quase como um intruso na festa de um desconhecido.

Pois bem, a festa foi de Cristiano Ronaldo, um desportista capaz de projetar o nome e os golos pelo planeta afora, ao mesmo ritmo e à mesma dimensão das pautas de Mozart.

Três golos, excelentíssimos senhores, e mais duas assistências. Uma para o William, o Salieri de serviço, e outra para o reaparecido Nélson Oliveira.

5-1, um bom aperitivo antes da dura viagem a Budapeste.

 

Jogo no Estádio do Bessa, no Porto.

Portugal – Ilhas Faroé, 5-1.

Ao intervalo 2-1.

Marcadores:

1-0, Cristiano Ronaldo, 03 minutos.

2-0, Cristiano Ronaldo, 29 (grande penalidade).

2-1, Rogvi Baldvinsson, 38.

3-1, William Carvalho, 58.

4-1, Cristiano Ronaldo, 65.

5-1, Nélson Oliveira, 84.

 

Equipas:

– Portugal: Rui Patrício, Cédric, Pepe, José Fonte, Eliseu, William Carvalho, João Moutinho (André Gomes, 73), João Mário (Ricardo Quaresma, 59), Bernardo Silva, Cristiano Ronaldo e André Silva (Nélson Oliveira, 81).

(Suplentes: Bruno Varela, Beto, Ricardo Pereira, Fábio Coentrão, Danilo Pereira, André Gomes, Bruno Fernandes, Gelson Martins, Ricardo Quaresma, Bruma e Nelson Oliveira).

Selecionador: Fernando Santos.

– Ilhas Faroé: Gunnar Nielsen, Jónas Tór Naes, Atli Gregersen, Odmar Faero, Viljormur Davidsen, Roaldur Jakobsen, Rogvi Baldvinsson, Solvi Vatnhamar (Kaj Bartalsstovu, 66), Gilli Sorensen, Rene Joensen Karl Lokin, 80) e Joan Edmundsson (Patrik Johannesen, 73).

(Suplentes: Teitur Gestosson, Simun Hansen, Kaj Bartalsstovu, Hordur Ashkam, Ari Jonsson, Eli Nielsen, Karl Lokin, Patrik Johannesen e Klaemint Olsen)

Selecionador: Lars Olsen.

 

Árbitro: Srdjan Jovanovic (Sérvia).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Cedric Soares (15).

Assistência: 25.087 espetadores.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER