Desporto

O leão facilitou

O leão facilitou -portugal-mileniostadium
Crédito: DR.

 

O Sporting empatou em solo minhoto, interrompendo uma série de cinco vitórias no campeonato português. Ainda assim, não abandonou o primeiro lugar, mas viu o Benfica aproximar-se (está agora a dois pontos).

Depois de Nuno Santos ter falhado um penálti aos 21’, Pedro Gonçalves inaugurou o marcador, aos 37’: o médio recebe a bola de costas para a baliza, deixa vários adversários para trás e remata colocado, fora do alcance do estreante guardião famalicense.

Cinco minutos depois, após um livre de Bruno Jordão, Gustavo Assunção empatou a partida, contando com uma preciosa ajuda de Adán, que teve uma saída em falso.

Já em cima do intervalo, mais um golo de bola parada – desta vez com a assinatura de Pedro Porro. O defesa espanhol marcou um fantástico golo de livre direto. A 10 minutos dos 90’, Pote viu o segundo amarelo e acabou expulso (vai falhar a receção ao Farense no próximo dia 19).

Depois, quando a sexta vitória consecutiva já parecia certa, Jhonata Robert “tirou o pão da boca” aos leões. Como não há duas sem três, também este golo foi apontado de livre: Valenzuela simulou e o brasileiro rematou certeiro à baliza leonina. Coates ainda marcou aos 90’, mas o golo acabou anulado e prevaleceu o empate em Famalicão.

No Estádio da Luz assistiu-se a um belo jogo de futebol, e até foram os pacenses os primeiros a marcar: canto batido, Vlachodimos afasta a bola e  Oleg, de primeira, marca um golaço. Na realidade, o 2-0 até poderia ter surgido no minuto seguinte… mas a pontaria de Douglas Tanque não estava afinada.

Rafa ainda marcou durante a primeira parte, mas o golo foi anulado por mão do médio.

O Paços mostrava-se bastante confiante em campo… talvez até demasiado! É que aos 58’, numa jogada de contra-ataque, Rafa e Gilberto fizeram uma boa combinação e o português, já dentro da grande área, atirou para o fundo das redes pacenses, colocando a partida novamente em igualdade.

Jorge Jesus já via a sua cabeça a prémio quando a “ajuda divina” chegou… em forma de Waldschmidt. Aos 90+4’, Gabriel cruzou, o alemão ganhou asas e desviou de cabeça para o golo da vitória encarnada. Ai Jesus!

Mas se queremos falar de emoção temos obrigatoriamente de ir até ao Dragão! Nesta jornada, os azuis e brancos receberam o Tondela e bem que tiveram que suar para conseguir os três pontos.

Num jogo com sete golos, o Tondela mostrou que tem as suas fraquezas na defesa, mas que por outro lado também tem muita força no ataque! Já depois de Otávio servir Zaidu para o 1-0 aos 4’, Rafael Barbosa colocou, com um grande passe, a bola em Mario González que, na cara de Marchesín, não falhou.

E seria exatamente Rafael Barbosa quem viria a operar a primeira reviravolta no marcador: Enzo Martinez cruzou e, ao segundo poste apareceu o português que, já quase sem ângulo, atirou a contar.

Apenas três minutos depois, na sequência de um canto, Marega só teve que encostar para restabelecer o empate. Já no início da segunda parte o maliano bisou na partida e aos 56’, após grande jogada individual, Uribe cruza a bola e Taremi faz o 4-2.

O Tondela não baixou os braços e, aos 74’, Mario Gonzalez reduziu a desvantagem de cabeça. Ainda antes do apito final o Tondela poderia ter feito o quarto golo no Estádio do Dragão, empatando a partida, não fosse a barra da baliza de Marchesín.

Ricardo Soares, que começou a época no Moreirense mas que entretanto se mudou para Barcelos, reencontrou a antiga equipa nesta 9ª jornada. Depois de uma primeira parte com poucas oportunidades, foram os gilistas que se colocaram em vantagem no segundo tempo, com um tento de Rúben Fernandes. A equipa de César Peixoto chegou ao empate num lance de bola parada, onde o guarda-redes Denis ficou (muito) mal na fotografia. Um verdadeiro galo!

O golo da vitória do Vitória de Guimarães sobre o Portimonense surgiu numa jogada de contra-ataque, onde Bruno Duarte assistiu André André, aos 32 minutos.

Este triunfo levou o Vitória de Guimarães  ao quinto posto, com 16 pontos, a dois do eterno rival Braga (quarto), que nesta jornada surpreendeu… pela negativa!

Depois de seis vitórias consecutivas, os Guerreiros do Minho caíram frente ao Belenenses, perdendo por 2-1. Os golos dos azuis foram apontados por Miguel Cardoso (33’) e Afonso Sousa (45+1’) e Paulinho (70’) reduziu de penálti para os minhotos, já depois da expulsão de David Carmo.

O Santa Clara, por seu turno, regressou aos triunfos na visita ao Nacional. Carlos (23’), Osama Rashid (34’, de grande penalidade) e Thiago Santana (86‘ também da marca dos onze metros) marcaram pela equipa de Daniel Ramos. Já Kenji Gorré, aos 38’, reduziu a desvantagem dos madeirenses. Este resultado permitiu que o Santa Clara subisse à sétima posição, ultrapassando o Nacional, que está em 10.º.

Ainda que se tenha assistido a uma ligeira superioridade do Rio Ave, em Vila do Conde não se foi além do empate a zero na recepção ao Boavista. Os axadrezados até estiveram perto de desbloquear o marcador próximo do final da partida mas, até hoje, Nuno Santos ainda não percebe como conseguiu falhar. Mais sorte para a próxima!

Já o Farense trocou de posição na tabela classificativa com o Marítimo – depois de ter sido derrotada, por 2-1, no Estádio São Luís, a ex-equipa de Lito Vidigal é agora o lanterna-vermelha do campeonato, com sete pontos. Um golo de Bilel, aos 10’, e outro de Ryan Gauld, aos 63’, na conversão de uma grande penalidade, valeram o segundo triunfo consecutivo em casa da equipa algarvia, que ocupa agora o 14.º lugar, com oito pontos. Pelos insulares marcou o brasileiro Rodrigo Pinho, aos 60 minutos.

Inês Barbosa/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER