Desporto

O agente infiltrado

O agente infiltrado-portugal-mileniostadium

Num jogo onde emoção foi coisa que não faltou, ficou a dúvida: será, na realidade, o ex-dragão Otamendi um agente infiltrado?

A missão estava marcada para o dia 4 de outubro, na receção ao Farense, no Estádio da Luz. A primeira parte deste encontro foi bem jogada, com bom ritmo e contou com boas ocasiões para ambos os lados. No entanto, foram as águias a adiantarem-se no marcador, aos 15’, quando remate de Pizzi levou consigo uma pitada de sorte, ao ser desviado para o fundo das redes da baliza de Defendi.

Já no segundo tempo, a formação algarvia mostrou-se mais atrevida e, graças à passividade da defesa encarnada (mais precisamente de Otamendi), empatou, por Lucca (53’), na sequência de um canto. Isto já depois de Otamendi ter cometido penálti, de Vlachodimos ter defendido, do árbitro da partida ter mandado repetir… e do guardião grego-alemão ter defendido novamente.

Jorge Jesus não esteve com meias medidas e lançou Weigl, Pedrinho e Seferovic de uma só vez, antes de, aos 58’, o Farense ainda se ter colocado em vantagem, mas o VAR viria a anular o golo a Isidoro por fora de jogo de Ryan Gauld.

A aposta de Jesus viria a dar frutos: aos 79’, Seferovic devolveu a vantagem às águias, após cruzamento de Grimaldo. O avançado suíço voltou a marcar aos 87’, com assistência de Darwin Núñez, calando muitas bocas que o acusam de não corresponder na hora H.

Antes do apito final, mais uma peripécia na novela “Otamendi”: já nos descontos, o argentino perdeu de forma escandalosa uma bola, o que deu origem ao segundo golo dos algarvios. Ainda assim o Benfica saiu vitorioso, isolando-se na liderança com nove pontos. Missão falhada (até ver), Otamendi. Menos “sorte” para os dragões, que foram derrotados, no Dragão, pelo Marítimo.

Ainda que a primeira oportunidade tenha pertencido aos portistas, os madeirenses não se “encolheram”, deram alguns avisos e, aos 24’, chegaram mesmo ao golo: passe espetacular de Winck para Rodrigo Pinho que, com classe, rematou e fez o primeiro da noite. A resposta azul e branca chegou aos 42’: assistência teleguiada de Alex Telles para o 12º golo de Pepe com a camisola do FC Porto. Aqui, tudo fazia prever que o clube portista “ia para cima” dos madeirenses… mas não foi o que aconteceu. Aos 52’, Getterson enviou a bola à barra – esta foi então ter com Rodrigo Pinho que, sem pensar duas vezes, bisou.

Aos 87’, Alex Telles teve a oportunidade de empatar a partida, mas Amir defendeu a grande penalidade cobrada pelo brasileiro. Nanú assinou um grande terceiro golo maritimista à entrada da área, aos 90+4’, e  Otávio, aos 90+9’, ainda reduziu mas não evitou a derrota dos dragões. Os campeões nacionais ocupam o terceiro lugar, em igualdade pontual com o Sporting, que venceu fora o Portimonense.

O segundo triunfo consecutivo da equipa de Rúben Amorim ficou decidido no primeiro tempo, com golos de Nuno Mendes (4’) e Nuno Santos (11’). Parece que a humilhação europeia ficou no passado e os leões seguem firmes no campeonato. Moreirense e Boavista dividiram pontos, não tendo ido além de um empate a uma bola.

Angel Gomes desbloqueou o marcador com um golaço marcado do meio-campo aos nove minutos, enquanto que Fábio Abreu, já na segunda parte e da marca dos onze metros, restabeleceu a igualdade em Moreira de Cónegos. Os axadrezados seguem no 14.º lugar, enquanto que o Moreirense é oitavo, com os mesmos quatro pontos que o Gil Vicente (7.º), Belenenses (9.º), Vitória SC (10.º) e Famalicão (11.º).

Vamos então por ordem: nos Açores, naquele que foi o primeiro jogo da I Liga com público, os “galos” de Barcelos não conseguiram levantar a crista frente ao Santa Clara. A partida terminou empatada e sem golos, sendo que os açorianos acabaram por ceder os primeiros pontos nesta edição da prova – ocupam o segundo lugar, com sete pontos.

Ainda nas ilhas, mas desta vez na Madeira, o resultado foi exatamente o mesmo… só mudaram os “protagonistas”: Nacional e Belenenses. A equipa de Petit ficou pela primeira vez em branco nesta época, numa partida em que até se assistiu a uma boa primeira parte – já a segunda deixou algo que a desejar em termos de qualidade. Com cinco pontos, o Nacional ocupa o quinto lugar da tabela classificativa.

Vamos então aos jogos com golos: em Guimarães, foi André André quem, aos 83’ e na marcação de uma grande penalidade, deu a primeira vitória aos vimaranenses na Liga, na receção ao Paços de Ferreira. Os castores, que continuam sem conseguir vencer, somando apenas um ponto (1-1 na deslocação a Portimão), seguem em 15.º lugar, em igualdade pontual com o Portimonense e o Tondela. Os auriverdes são a primeira equipa abaixo da linha d’água depois de terem sofrido, em casa, uma goleada por 0-4 frente ao Braga, construída em 21 minutos. O primeiro golo surgiu aos 22 minutos,  com assinatura do defesa central Bruno Viana, seguindo-se os tentos de Galeno, aos 26’, e Ricardo Horta, aos 29’. O bis de Galeno, que estabeleceu o resultado final, chegou ainda no primeiro tempo, aos 43’.

Finalmente, o Famalicão e Rio Ave empataram a uma bola no Estádio Municipal de Famalicão – os famalicenses foram os primeiros a marcar, aos 21’, num remate de fora de área de Rúben Lameiras, enquanto que os vilacondenses empataram a partida aos 78’: canto batido por Diego Lopes e, após uma má saída de Zlobin, Aderlan Santos aproveita para cabecear a bola para o fundo das redes.

Este fim de semana não temos jogos da Liga NOS… mas temos Liga das Nações! Por isso já sabem… todos a torcer por Portugal no domingo (11), dia em que enfrentamos a seleção francesa. Vamos Portugal!

Inês Barbosa/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW