Futebol

Surprise, surprise…

Apesar de encontrarmos no pódio as mesmas equipas da ronda anterior, a verdade é que esta 13.ª jornada trouxe consigo alguns resultados surpreendentes.

No jogo inaugural, o líder Benfica goleou, no Estádio do Bessa, o Boavista por 1-4. Carlos Vinícius inaugurou com uma bomba o marcador aos 34’, já depois de Pizzi ter visto um golo ser anulado por fora de jogo, mas Nikola Stojiljkovic marcou aos 44’, levando assim a partida empatada para intervalo. O brasileiro aparece novamente, desta vez a assistir Cervi no segundo golo encarnado, aos 52’. Passados dez minutos mais um golão: novamente de pé esquerdo, o homem do jogo (leia-se Vinicius) conduziu o esférico ao ângulo superior da baliza de Bracali – e assim vai calando as bocas de quem diz que custou demasiado aos cofres benfiquistas. Já perto do apito final, Gabriel ainda teve tempo para, após livre de Grimaldo, cabecear e fazer o quarto golo das águias. Estava feito o xeque-mate.

Uma noite de sonho para Vinicius, jogador que já conta com 13 golos em 18 jogos, e de pesadelo para o Boavista – chegou a este encontro num orgulhoso quinto lugar e acaba a ronda em nono, com 18 pontos. Faltou, sobretudo, ambição.

Do dérbi insular ninguém saiu por cima apesar do mesmo ter sido disputado literalmente até ao último minuto – o encontro entre Marítimo e Santa Clara terminou empatado a duas bolas. Os madeirenses marcaram ao abrir e ao fechar da partida (Daizen Maeda, de grande penalidade logo, aos 5’, e Rúben Ferreira aos 90+7‘), enquanto que pelos açorianos marcaram João Afonso, aos 41’, e Ukra, aos 61’.

Vamos então ao primeiro “cair de queixo” desta jornada: o (ainda) terceiro classificado, o Famalicão, parece andar a desaprender a lição que andava a praticar nas primeiras jornadas desta época. A jogar em casa contra o atual 8.º classificado, o Tondela, e apesar de, na maioria dos 90 minutos, ter tido o controlo do jogo, o Famalicão viu-se em desvantagem logo aos seis minutos num tento apontado por Pepelu. E como o que está mal, se não for corrigido, tende a ficar pior, eis que aos 19’ António Xavier faz o 2-0. O defesa Roderick reduziu a desvantagem aos 39’ e, aos 54’, de grande penalidade, Fábio Martins restabeleceu a igualdade. A vitória beirã surgiu no sétimo minuto de compensação pelos pés de Murillo e com ele vieram também os assobios dos adeptos minhotos presentes no Estádio Municipal 22 de junho. Onde anda essa cabeça, Famalicão?

Se ainda não estiverem satisfeitos, vamos então a mais uma surpresa desta ronda: o último classificado, o Desportivo das Aves, levantou a crista e fez peito aos Guerreiros do Minho. E não é que, ao contrário do que diz a gíria, correu bem? Mehrdad Mohammadi, aos 8’, marcou o golo solitário desta vitória que, na prática, prejudicou mais o Braga (é sétimo classificado com os mesmos 18 pontos que o Rio Ave, Tondela e Boavista) do que favoreceu o Aves, que continua no fundo da tabela com seis pontos, a dois do Paços de Ferreira, 17.º.

O Vitória de Guimarães chegou, viu… e marcou. Logo aos 2’, Bonatini inaugurou o marcador frente ao Portimonense. Marcus Edwards, aos 61’, viria a fechar as contas desta partida que valeu o quinto lugar aos vitorianos. Os algarvios estão três pontos acima dos lugares de despromoção.

Em Paços de Ferreira, a vitória foi dos sadinos, neste que foi o primeiro triunfo do Vitória de Setúbal fora, para o campeonato. A equipa visitante chegou ao intervalo em vantagem no marcador, com um golo de Éber Bessa (45+2’), mas a emoção estava toda guardada para a segunda parte. Os castores conseguiram virar o resultado em cinco minutos (Diaby, aos 51’, e Hélder Ferreira, aos 56’) mas a turma de Julio Velázquez não se deu por vencida: Zequinha empatou a partida aos 68’ e passados dez minutos Hildeberto Pereira, com alguma ajuda dos deuses, fez o golo que deu a vitória aos sadinos.

Luiz Phellype, aos 79’ (cinco minutos após ter sido lançado por Silas), marcou o golo da vitória do Sporting frente ao Moreirense e arrecadou o título de herói da noite. Aos 12 minutos Bolasie atirou para o fundo das redes de Pasinato mas Artur Soares Dias anulou o golo por fora de jogo de Borja. Clara superioridade leonina numa partida que ficou ainda marcada pela lesão de Neto (fratura na grelha costal com pneumotórax) e pela expulsão de Iago aos 74’, por acumulação de amarelos. Os leões estão agora a apenas um ponto do terceiro classificado.

Avançamos agora para o último resultado inesperado da ronda: o empate a uma bola entre Belenenses e Futebol Clube do Porto. Quando finalmente conseguiu rasgar a barreira defensiva portista, aos 14’, a formação de Pedro Ribeiro chegou à vantagem, por intermédio de André Santos. Um grande golo que fez estremecer os azuis e brancos – no entanto, se há algo que caracteriza a equipa de Sérgio Conceição é o “querer” e o não baixar os braços. Exploraram os lances de bola parada, viram um golo ser anulado por fora de jogo de Danilo e, pelo meio, ainda foram tremendo com algumas investidas dos Azuis do Restelo. De carrinho chegou a falta de Esgaio sobre Corona na área, que Alex Telles converteu. A segunda parte contou com algumas oportunidades para ambos os lados mas o resultado manteve-se inalterado, fazendo com que os dragões estejam agora a quatro pontos do líder Benfica.

Para terminar esta 13.ª jornada, o Rio Ave recebeu e venceu o Gil Vicente. Taremi, da marca dos onze metros, marcou o único golo da partida, acabando por ser expulso aos 87’, ao ver dois cartões amarelos em menos de um minuto por protestar com o árbitro da partida.

Inês Barbosa

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER