Futebol

O regresso dos três grandes às vitórias

A segunda jornada da nova época iniciou-se com a vitória do Famalicão, por 1-0, sobre o Rio Ave. Este regresso à I Liga tem sido, até ver, uma agradável surpresa para a equipa e adeptos famalicenses. Já em relação à estreia dos vilacondenses não podemos dizer o mesmo.

O Famalicão jogou sem medos frente a um Rio Ave expectante e pouco reativo – quando o fizeram ainda conquistaram um penalti, desperdiçado por Filipe Augusto.

This slideshow requires JavaScript.

O golo surgiu mesmo da equipa adversária e com assinatura de um “herói” improvável: Patrick.
Quem se estreou (e bem) nas vitórias foi o Moreirense: Fábio Abreu, aos 8’, Bilel Aouacheria, aos 22’ e Luther Singh aos 72’ selaram o 3-0 sobre um Gil Vicente incapaz de dar resposta.

No Jamor jogou-se o Belenenses – Benfica, que terminou com a vitória dos encarnados por duas bolas a zero. Apesar de terem tido várias oportunidades para marcar, esta foi uma vitória sofrida até ao último minuto, muito por culpa da fraca finalização dos avançados.

Nos primeiros 15 minutos de partida as águias registavam apenas 47% de posse de bola frente a um Belenenses muito eficaz nos passes. Antes do intervalo só Vlachodimos conseguiu impedir, com uma enorme defesa, um golo quase certo de Kikas.

O marcador foi aberto por Rafa, aos 59 minutos, num remate forte e sem hipóteses para Koffi. Apesar de estar em desvantagem, a equipa de Silas não se deu por vencida e esteve muito perto de chegar ao empate, aos 78 minutos, por Nico Veléz.

As dúvidas só se desfizeram nos descontos, quando Pizzi rematou rasteiro após assistência de Rafa – a cereja no topo do bolo deste grande jogo do extremo encarnado, que foi um dos jogadores mais importantes e decisivos na vitória encarnada.

Antes disso, aos 84 minutos, já Seferovic tinha visto um golo ser anulado por estar em posição irregular.
Na cidade Invicta o dragão parece ter regressado em força. Decididos a “vingar” a derrota da primeira jornada, os azuis e brancos “vieram com tudo” para cima dos setubalenses e arrecadaram uma goleada.
Se havia quem desconfiasse das capacidades de Zé Luís, bem que teve de engolir muitos sapos durante esta partida – o cabo-verdiano fez um hat-trick (11’, 20’ e 63’) e até marcou de pé direito.

Poucas foram as vezes que o Vitória de Setúbal incomodou a equipa portista, mas quando o fez deu sempre de caras com Marchesín, também ele a justificar a aposta de Sérgio Conceição.

Luis Díaz fechou as contas da goleada aos 64’, após uma boa recuperação de bola de Zé Luís, ainda no meio campo setubalense. Apanhou a defesa do Setúbal desfalcada, meteu um passe em profundidade para Marega e este, na cara do golo, ofereceu a oportunidade a Luis Díaz.

As pazes com os adeptos portistas estão, assim, feitas!

Também o Desportivo das Aves conseguiu a sua primeira vitória esta época – ganhou 3-1 ao Marítimo. Rúben Macedo (5’), Mehrdad Mohammadi (44’, penalidade) e Welinton Júnior (50’) foram os autores dos golos avenses, enquanto que Jhon Cley reduziu a desvantagem aos 38’. O Aves é, neste momento, sétimo classificado com três pontos, enquanto que o Marítimo ocupa a 14ª posição, com apenas um ponto ganho com o empate frente aos leões.

Por falar em leões: a equipa de Marcel Keizer também regressou às vitórias, desta feita no Estádio de Alvalade, onde entraram com a garra necessária para contrariar a maré de azar que tem vindo a atravessar o clube. Logo aos cinco minutos, Bruno Fernandes rematou e causou sérias dificuldades ao guarda-redes Matheus.
Passados dez minutos houve nova oportunidade, desta vez por cabeceamento de Coates. Matheus estava atento, aliviou, Coates voltou a atirar na recarga e Bruno Viana cortou.

Os adeptos sportinguistas tiveram de esperar apenas um minuto para poderem gritar golo: Depois de assistência de Luiz Phellype, Wendel atirou para o segundo poste e não deu quaisquer hipóteses de defesa ao guarda-redes brasileiro.

Foi apenas aos 26 minutos que surgiu a primeira situação de perigo por parte da equipa de Ricardo Sá Pinto, depois de Ricardo Horta assistir Fransérgio, que rematou ao primeiro poste. Apesar do remate ter saído ao lado, não passou longe da baliza de Renan Ribeiro.

Ainda antes do intervalo Bruno Fernandes roubou a bola a Claudemir, arrancou e com um verdadeiro tiro fez o segundo em Alvalade.

Os arsenalistas cresceram mais na segunda parte e foram ganhando mais espaço no jogo, chegando mesmo a reduzir a desvantagem, por Wilson Eduardo, aos 73’. O resultado manteve-se, no entanto, inalterado até ao final da partida e, assim, os leões somaram os primeiros três pontos desta época.

Menos sorte para o Paços de Ferreira que viu o Santa Clara abrir as portas do Estádio da Capital do Móvel e voltar a fechá-las com uma vitória no bolso. Thiago Santana, aos 17’, fez o único golo da partida.

Em Guimarães os vitorianos já se preparavam para fazer a festa quando, aos 94’, Lucas, defesa boavisteiro, marcou o golo do empate.

Este foi o jogo de estreia dos minhotos na Liga e que, sem dúvida, devia ter acabado com vitória caseira.
Aos 16 minutos, Tapsoba fez um passe em profundidade para Davidson, que recebeu de peito e rematou de primeira. Uma bela execução do extremo vitoriano que terminou num verdadeiro golaço. D. Afonso Henriques está orgulhoso, meus caros!

No fecho desta jornada jogou-se o Tondela – Portimonense que terminou com a vitória dos visitantes. A estratégia de António Folha resultou – Boa Morte, aos 36’, e Castilho, aos 45’, marcaram os golos algarvios e Richard marcou, aos 84’, pelos tondelenses.

Inês Barbosa


Autor(a):
Fonte:

Redes Sociais - Comentários

Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close