DesportoBlog

Aqui vamos nós outra vez!

E cá estamos nós, novamente de coração nas mãos… A razão? A nossa querida seleção. Rima e é verdade! Português que é português já está bem habituado às peripécias – chamemos-lhe assim – que vamos vivendo enquanto acompanhamos o percurso da nossa grande seleção nacional.

Aqui vamos nós outra vez-portugal-mileniostadium
Créditos: DR.

Ora, por estes dias temos vindo a assistir aos jogos de apuramento para o Mundial 2022 – esta que será a 22ª edição deste evento desportivo organizado pela Federação Internacional de Futebol (FIFA). Uma das grandes novidades é inédita e muito amiga do ambiente: um estádio reutilizável, desenhado por uma empresa espanhola. Este estádio, denominado Ras Abu Aboud, terá capacidade para 40 mil espectadores e foi desenhado pela empresa de arquitetura espanhola Fenwick Iribarren. É o primeiro estádio “completamente desmontável”, tal como explica o El País. “Este recinto vai oferecer o legado perfeito, porque pode ter uma nova localização após a prova ou ser transformado em várias instalações desportivas e culturais”, explicou o secretário-geral do Comité Organizador, Hassan Al Thawadi. Mas não ficamos por aqui: este grande e inovador projeto, por ser uma estrutura moldável, precisa de menos materiais de construção, provoca menos resíduos e reduz a emissão de gases.

Bem, mas vamos então “à bola”, por assim dizer! Portugal integra o Grupo A, juntamente com a Sérvia, a República da Irlanda, o Luxemburgo e o Azerbaijão – adversários que já são bem conhecidos pelo nosso país. Ainda assim, Portugal já não media forças com o Azerbaijão desde 2013 e com a Irlanda, em jogos oficiais, desde 2001.

No espaço de sete dias, a seleção de Fernando Santos teve três encontros: o primeiro desta fase de qualificação foi frente ao Azerbaijão, em Turim, que terminou com a vitória lusa, graças a um autogolo de Medved. A exibição da equipa das quinas ficou aquém do esperado: na realidade, podemos até dizer que foi umas das piores exibições dos últimos anos. João Félix surpreendeu, trazendo uma nova “frescura” ao jogo no momento em que pisou o relvado (75’), enquanto que Cristiano Ronaldo, que jogou numa casa que tão bem conhece, não conseguiu brilhar.

Três dias depois, novo desafio, novo oponente: a Sérvia. E aqui a história já foi outra. Apesar de ter saído para intervalo a vencer por 2-0 – um bis de Diogo Jota -,  Portugal conseguiu ir do céu ao inferno na segunda parte. Mitrovic e Kostic, ambos assistidos por Radonjic, marcaram aos e restabeleceram a igualdade aos 46’ e 70’, respetivamente, em Belgrado.

Mas esta partida ficou marcada pelo último lance, onde Cristiano Ronaldo, após um grande passe longo de Nuno Mendes – e com a ajuda de uma saída em falso do guarda-redes sérvio – rematou e a bola ultrapassou claramente a linha de golo. O árbitro da partida – que, recorde-se, não utiliza VAR nem tecnologia de validação de golo – teve um entendimento diferente do lance, e não validou o golo que daria a vitória a Portugal.

As imagens deste momento percorreram o mundo e Danny Makkelie acabou por admitir o erro, confessando ter pedido desculpas a Fernando Santos no final do jogo. Mais uma vez diz a sabedoria popular e bem: as desculpas não se pedem… evitam-se!

Finalmente, esta terça-feira (30) somou uma nova vitória nesta fase de qualificação, desta vez frente ao Luxemburgo, tendo ascendido à liderança do Grupo A europeu, a par da Sérvia, com sete pontos.

O início do jogo não foi o melhor: na realidade, os luxemburgueses adiantaram-se no marcador aos 30 minutos, por Gerson Rodrigues – que nasceu no Pragal, em Portugal – numa altura em que os lusos, simplesmente, pareciam não existir na partida. Pouco ritmo de jogo, muitas bolas perdidas, desinspiração… Parecíamos estar a assistir à receita para o desastre. Mas o golo sofrido pareceu ter dado o abanão que era preciso para Portugal acordar: aos 45+2’, Diogo Jota cabeceou para o empate. A partir daqui foi “trabalhar” para conseguir a reviravolta: Cristiano voltou a calar os críticos e marcou o 2-1 aos 50’ – o seu 103º golo em 173 jogos -, e Palhinha estreou-se a marcar pela seleção e fechou as contas aos 80’.

A seleção voltará a “atacar” em setembro, mais precisamente dia 1, medindo forças com a Irlanda. Até lá, descansem esses coraçõezinhos!

Inês Barbosa/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER