Fadista Duarte nos 36 anos da Casa do Alentejo

Views: 20

Semana Cultural decorre de 15 a 24 de fevereiro

O fadista Duarte é a grande atração da 35ª edição da Semana Cultural do Alentejo. O cantautor, natural de Évora, vem apresentar o seu 4.º álbum que se chama “Só a cantar”.

Em declarações à Agência Lusa, o fadista que, recentemente esteve em digressão pela Europa, classifica o seu álbum como  “esperançoso” e explica que surge de “um conceito diferente que não é o de cantar o fim”, como nos trabalhos anteriores, mas “é mais positivo”, porque “canta uma dimensão da condição humana que é a capacidade de estar só, bem diferente de estarmos em solidão, que é muito mais devastador”.

A Casa do Alentejo de Toronto foi a pioneira das semanas culturais nas associações portuguesas que estão fixadas na cidade, um marco que o novo presidente quer continuar a manter, tal como avançou ao nosso jornal. “Quando fundámos esta casa ela era mais pequena e enfrentava dificuldades financeiras. Agora vivemos uma fase estável e temos que continuar a apostar na excelência da cultura alentejana. A pintura, a literatura, a música e o teatro sempre tiveram lugar na nossa casa e a nossa responsabilidade como direção é perpetuar este legado para as gerações futuras”, disse José Brito de Fialho.

A Semana Cultural realiza-se de 15 a 24 de fevereiro e o cartaz é bem recheado. O escritor Francisco do Ó Pacheco, natural de Sines, vai apresentar o seu novo livro; o pintor António Paisana traz uma exposição de pintura inspirada no surrealismo e directamente de Aljustrel e de Castro Verde vêm os grupos de canto alentejano “Maravilhas do Alentejo” e “Moços d’Uma Cana”. As deslocações ao Canadá são financiadas pelas autarquias do Alentejo e o Grupo de Aljustrel vem acompanhado por vários produtores de vinhos, azeites, queijos, enchidos e outros produtos típicos que estão interessados em exportar para o Canadá.

Maria do Céu Capela, uma antiga cozinheira natural de Aljustrel, vem apresentar o seu livro “Uma vida a Cozinhar”, onde partilha os seus conhecimentos e a sua experiência nesta arte. Todos os dias vão ser servidos pratos típicos do Alentejo, desde a famosa carne de porco à alentejana até às célebres migas.

A Semana conta ainda com um dia dedicado ao sócio, à juventude e à terceira idade. Destaque também para a actuação do Grupo Experimental de Teatro “O Projeto”, para a celebração dos 35 anos da Casa do Alentejo e para uma noite de folclore internacional onde vão estar presentes quatro grupos portugueses.

Brito quer recuperar folclore

Na presidência desde maio, José Brito de Fialho informou que quer arrancar com a Escola de Folclore da Casa do Alentejo. “Se tudo correr bem será em breve. Gostava de retomar aquele que já foi considerado um dos melhores ranchos de folclore de Toronto em três categorias em simultâneo. As aulas vão ser aos sábados e os coreógrafos já fizeram parte do antigo grupo da casa. Esperemos que a Escola traga os pais e os mais jovens até à Casa do Alentejo”, divulgou.

Outro dos projetos do atual presidente passa por revitalizar o Grupo Coral; aumentar o espólio do Museu; divulgar a Galeria Alberto Castro e organizar festivais para os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP). “O nosso grupo coral tem cerca de 14 elementos e todos eles têm mais de 60 anos. Precisamos de jovens para continuar com esta tradição. A nossa galeria pode receber visitas de alunos de escolas portuguesas e canadianas”, adiantou.

Source:Joana Leal/MS
Comments: 0

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.