Canadá

Viajantes americanos trouxeram o vírus para o Canadá

A pandemia global da COVID-19 começou na China, mas dados das maiores províncias do Canadá mostram que foram os viajantes americanos, e não os chineses, que trouxeram o vírus mortal para país. O Governo Federal introduziu primeiro as restrições nos voos de e para a China e só depois é que entraram em vigor restrições nos voos e na fronteira com os EUA. A informação foi avançada quinta-feira (30) pelo National Post que solicitou dados sobre a origem dos casos relacionados com viagens em Ontário, Quebec, Colúmbia Britânica e Alberta, as quatro províncias com mais casos de COVID-19. Recorde-se que Theresa Tam, a autoridade máxima da saúde no Canadá, tem sido criticada por não ter cancelado mais cedo as ligações aéreas entre o Canadá e a China.

As candidaturas para o apoio ao subsídio salarial abriram segunda-feira (27). Os primeiros pagamentos deverão começar a ser processados a 7 de maio e o PM Justin Trudeau disse que durante a manhã candidataram-se ao subsídio quase 10,000 empresas.

O fundo federal vai financiar 75% dos salários de empresas que foram afetadas pela COVID-19 e para concorrer os empresários têm de informar que perderam pelo menos 30% da sua atividade durante a pandemia. O subsídio é válido por três meses, tem afeitos retroativos até 15 de março e vai transferir até $847 por semana para cada funcionário.

Uma equipa de investigadores da Universidade de Saskatchewan está a trabalhar contra o relógio para desenvolver uma vacina capaz de matar o novo coronavírus. O Dr. Volker Gerdts, que lidera o departamento de doenças infeciosas desta universidade, diz que a equipa está extremamente motivada e que todos estão dispostos a fazerem o máximo que puderem para avançar nos resultados. O laboratório da Universidade de Saskatchewan é um dos mais avançados do mundo na área de doenças infeciosas e está a estudar há várias semanas modelos de vacinas para o novo vírus. Esta equipa faz parte da rede mundial de 200 especialistas e investigadores da Organização Mundial da Saúde que trabalha na vacina para a COVID-19.

A Canada’s Chief Public Health Officer diz que não há evidências suficientes para apoiar a tese da imunidade de grupo para reabrir a economia. Numa altura em que algumas províncias canadianas se preparam para reabrir as economias, Theresa Tam recomenta muita cautela. A imunidade de grupo existe quando um número suficiente de pessoas já foi infetado com um vírus e normalmente o número ronda os 60% da população.

As medidas que o Canadá implementou para combater a pandemia estão a resultar e em algumas províncias os números caíram significativamente. O PM Justin Trudeau disse na terça-feira (28) estar satisfeito com os resultados que os canadianos conseguiram alcançar, mas sublinhou que é preciso cuidado na interpretação destes números porque os esforços têm que continuar. Trudeau informou ainda que para reabrir a economia as províncias têm de aumentar a capacidade de testes e disse que no Canadá não há lugar para a discriminação contra a comunidade asiática.

A Canadian Medical Association apelou a uma maior transparência do Governo sobre o fornecimento de equipamento de proteção individual depois de ser divulgado um estudo que avança que a maioria dos profissionais de saúde não viu melhorias no mês passado. O equipamento é essencial para proteger os médicos e os profissionais de saúde do novo coronavírus e, apesar dos esforços do Governo, a associação que representa os médicos está preocupada. Dos 2,500 médicos entrevistados neste estudo em todo o país, 42% não viu melhorias a nível de disponibilidade de máscaras e de outros equipamentos de proteção e 29% diz que agora existe menos equipamento disponível do que em relação ao mês passado.

Enquanto investigadores de todo o planeta correm para encontrar uma vacina para a COVID-19, um novo estudo sugere que os canadianos estão divididos sobre se a compra deve ser obrigatória ou voluntária. O estudo conduzido pelo Leger e pela Association for Canadian Studies constatou que, embora 60% dos entrevistados acreditem que as pessoas devam receber a vacina assim que esta estiver pronta, os outros 40% acham que ela deve ser voluntária.

A Foodora vai encerrar no Canadá no próximo mês. A empresa que entrega comida ao domicílio chegou ao país em 2015 e compete com a DoorDash, com a Uber Eats e com a SkipTheDishes. A Foodora nasceu na Alemanha e está presente em 44 países. No Canadá estava presente em 10 cidades e trabalhava com mais de 3,000 restaurantes. A decisão de encerrar a 11 de maio deve-se ao facto de a Foodora não estar a fazer dinheiro suficiente para justificar a presença no Canadá.

A transmissão de programa “Stronger Together, Tous Ensemble”, que arrecadou milhões de dólares para o Food Banks Canada, foi o programa não desportivo com mais audiências de todos os tempos, segundo dados da Bell Canadá. Mais de 11,5 milhões de telespectadores assistiram a este programa no passado domingo (26). O “Stronger Together” reuniu quase 100 canadianos das mais variadas áreas, desde músicos, atores, atletas a ativistas que fizeram performances e que partilharam mensagens de inspiração sobre a COVID-19.

A mãe do primeiro-ministro Justin Trudeau foi parar ao hospital no início da semana depois de um incêndio deflagrar no seu prédio em Montreal. Margaret Trudeau inalou algum fumo, mas está a recuperar bem.

O McDonald’s Canadá vai começar a importar carne dos EUA e a decisão da multinacional deve-se à grande procura registada no Canadá devido à pandemia. Recorde-se que recentemente encerrou uma fábrica em Alberta que era responsável por abastecer 1/3 do mercado canadiano. A estrutura foi encerrada temporariamente depois de um funcionário morrer e centenas de outros testarem positivo para a COVID-19.

As empresas canadianas de energia Cenovus e Husky anunciaram enormes perdas trimestrais na quarta-feira (29), o que se deve à queda significativa na procura por petróleo nos mercados mundiais e à guerra de preços entre a Arábia Saudita e a Rússia.

Abbigail Cowbrough, da Nova Scotia, está entre as vítimas do helicóptero militar canadiano que caiu quarta-feira (29) no Mar Mediterrâneo. Cinco pessoas da tripulação estão desaparecidas. O helicóptero estava a trabalhar ao serviço da NATO e caiu entre a Grécia e a Itália. O PM canadiano endereçou as suas condolências às famílias dos militares que arriscaram as suas vidas ao serviço do país.

Os estudantes que receberem ajuda financeira de emergência vão ser obrigados a confirmar que estão à procura de trabalho durante o verão, tal como o Partido Conservador tinha sugerido. A legislação no valor de $9 mil milhões já foi enviada ao Senado e o Governo fica obrigado a disponibilizar informações sobre ofertas de trabalho.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW