Canadá

Tiroteio da Nova Escócia mata 22 pessoas

Uma agente da RCMP está entre 22 mortos confirmados num tiroteio que aconteceu sábado (18) na Nova Scotia. O suspeito foi abatido pelas autoridades no domingo (19) a 100 km do local do crime junto a uma bomba de gasolina.
O tiroteio é o mais mortal da história do país e o autor do crime é um técnico de próteses dentárias de 51 anos que trabalhava em Halifax. A vítima da RCMP, de 23 anos, tinha dois filhos e o tiroteio aconteceu na pequena comunidade de Portapique.

O PM Justin Trudeau lamentou segunda-feira (20) o tiroteio da Nova Scotia e pediu aos media para não divulgarem o nome e a foto do autor do crime. Questionado pelos jornalistas sobre a possibilidade de suspender as medidas de distância física naquela província para que os familiares possam enterrar os corpos, Trudeau disse que compreendia a situação, mas relembrou que nas últimas semanas muitas famílias também perderam pessoas por causa da COVID-19 e foram impedidas de fazer as cerimónias dentro da normalidade.

Os canadianos estão a fazer cada vez mais compras online nos supermercados. Desde que a pandemia começou alguns supermercados registam um aumento das vendas online na ordem dos 400%: é o caso da Inscart que detém 17 grandes superfícies e lojas no Canadá. A empresa disse à CBC que contratou em março 150,000 novos funcionários para responder ao aumento da procura. O Loblaw diz que as vendas mais do que duplicaram nas últimas semanas e que o número de clientes continua a aumentar.

Os agricultores estão preocupados com o atraso na chegada de mão de obra estrangeira temporária devido ao novo vírus e alertam que a produção pode diminuir o que poderá fazer com que os preços dos produtos alimentares aumentem. Todos os anos as quintas canadianas empregam cerca de 60,000 trabalhadores estrangeiros temporários.

O Governo Federal anunciou terça-feira (21) um fundo de $350 milhões para apoiar organizações sem fins lucrativos. Desde o início da pandemia que algumas associações perderam parte das suas doações e este dinheiro vai ajudar a recrutar voluntários, a transportar pessoas vulneráveis e a entregar comida ao domicílio.

Questionado sobre a necessidade de avançar com legislação no controlo de armas, o PM Justin Trudeau disse que o massacre da Nova Scotia veio provar a urgência desta questão. “Estávamos prestes a fazê-lo quando o Parlamento foi suspenso devido à COVID-19. A tragédia na Nova Scotia reforça e salienta a importância de avançarmos no controle de armas. Faremos isso no momento apropriado”, disse no seu briefing diário.

Quando se trata de COVID-19, os canadianos confiam mais no seu médico de família e nos profissionais de saúde do que na Organização Mundial de Saúde e no PM Justin Trudeau.

Uma sondagem conduzida pela Leger e a Association for Canadian Studies pediu aos entrevistados que classificassem o seu nível de confiança em várias instituições, incluindo as autoridades de saúde pública e políticos. Os profissionais de saúde como médicos e enfermeiros obtiveram os maiores níveis de confiança no Canadá, cerca de 92%.

O coronavírus forçou uma das principais fábricas de processamento de carne bovina do Canadá a fechar. A fábrica de Calgary embala 1/3 da carne bovina do mercado canadiano e emprega 2,100 pessoas.
Várias celebridades canadianas vão apoiar o Food Banks Canada este domingo (26). Brian Adams, Céline Dion, Michael Bublé e Shania Twain são alguns dos músicos que vão participar na cerimónia que vai decorrer durante uma hora. Mas para além de cantores, participam também outras celebridades, como é o caso da atleta Bianca Andreescu e da escritora Margaret Atwood.

O Governo Federal anunciou quarta-feira (22) um fundo de $9 mil milhões para ajudar os estudantes que estão a ser afetados pela pandemia. Os jovens podem candidatar-se a um apoio financeiro de $1,250 por mês desde maio até agosto. O apoio pode chegar a $1,750 mensais se os estudantes tiveram a tomar conta de alguém com deficiências. Jovens que terminaram o secundário ou a licenciatura são candidatos a este tipo de apoio financeiro.

A pandemia da COVID-19 mudou a vida quotidiana dos canadianos e também parece estar a influenciar as tendências do crime em todo o país. Embora ainda seja muito cedo para ter uma ideia de como a pandemia pode estar a afetar as taxas de criminalidade em geral, algumas forças policiais têm notado um aumento de arrombamentos em superfícies comerciais e um aumento de rancing nas estradas.

Desde que as estradas ficaram vazias, a polícia diz que os condutores estão a aproveitar para acelerar e a Região de York faz parte desta lista, onde o rancing e os arrombamentos aumentaram.

Por outro lado, desde que o estado de emergência foi declarado em Ontário, as agressões, o roubo de automóveis e os arrombamentos residenciais diminuíram em Toronto. Já os tiroteios mantêm-se semelhantes ao ano passado e até abril as autoridades já identificaram 65 tiroteios.

Com bares, lojas, restaurantes e salões de cabeleireiro fechados, muitos canadianos que ainda têm a sorte de ter rendimentos estão a descobrir que estão a poupar dinheiro.

Dados da Statistics Canada recolhidos no início de abril constataram que, enquanto cerca de 30% dos entrevistados disseram que a COVID-19 afeta a sua capacidade de cumprir obrigações financeiras, quase 50% relataram apenas um impacto menor ou nenhum. Algumas pessoas estão a trabalhar a partir de casa e poupam nos transportes e na alimentação porque acabam por cozinhar em casa.

O Canadá fretou um avião para transportar PPE que acabou por regressar vazio da China. Segundo o Governo, o avião saiu do aeroporto de Shangai sem o equipamento de proteção porque os atrasos nos voos de carga fizeram com que os camiões não conseguissem entregar o equipamento a tempo. Trudeau explicou que desde o início da pandemia que o aeroporto de Shangai limitou o tempo em que um avião pode estar parado na pista e garantiu que o equipamento vai ser enviado para o Canadá num outro voo.

O Governo Federal ajudou a trazer de volta cerca de 20.000 canadianos que estavam presos em todo o mundo devido às restrições nas viagens por causa da pandemia. O Ministério dos Negócios Estrangeiros diz que foi a operação mais complexa de repatriamento da história do país e ao todo foram efetuados mais de 160 voos de cerca de 76 países.

O Governo Federal anunciou quinta-feira (23) um fundo de $1 mil milhões para desenvolver uma vacina para a COVID-19. O plano inclui a criação de um departamento que vai trabalhar a imunidade e um aumento da capacidade para realizar testes nos próximos meses. O vírus já matou quase 2,000 canadianos e o país está a fazer atualmente 20,000 testes diários.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW