Canadá

PM do Canadá: “Não se vive até se acampar em Portugal”

O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, fez um discurso com rasgados elogios à comunidade portuguesa no Canadá e lembrou com emoção os seus tempos de jovem campista na Praia da Adraga, Sintra, com vinho tinto e chouriço assado.

Justin Trudeau fez um discurso informal na abertura do almoço que ofereceu ao primeiro-ministro, António Costa, sexta-feira no coração de Toronto, no The Carlu. Um espaço aberto deste 1930, projectado pelo arquitecto francês Jacques Carlu e tido como um dos maiores exemplos de arte moderna da cidade mais multicultural do mundo.

“Há 20 anos fui um dos muitos jovens canadianos que fez férias em Portugal, acampando e viajando pelo país. Mas tenho de admitir: Não se vive até se acampar em Portugal”, afirmou, surpreendendo com estas palavras boa parte dos seus convidados presentes no almoço oficial.

O primeiro-ministro canadiano referiu-se depois a uma “noite especial” que passou há duas décadas junto às falésias da Praia da Adraga, no concelho de Sintra. “Esqueçam as batatas fritas ou o strogonoff. A nossa ementa nessa noite foi chouriço assado, um excelente pão e um dos melhores vinhos tintos que provei durante as minhas férias de campismo”, contou.

Para Justin Trudeau, esta experiência que teve “revelou a qualidade de vida que há em Portugal, assim como as amizades que fiz nesse país. Faço figas para que o CETA continue a providenciar aqueles mantimentos para campistas em Portugal”, declarou, numa nova alusão ao chouriço e ao vinho de Portugal, o que provocou imediatamente risos na plateia.

O PM do Canadá destacou ainda a forma como as sucessivas vagas de emigrantes portugueses, muitos com origem nos Açores, contribuiu desde a década de 50 do século passado para “a construção do Canadá moderno, A cultura portuguesa está presente nas nossas vilas e cidades de diversas formas, com valores tradicionais de família, trabalho árduo e paixão pelo futebol. Os luso-canadianos são a chave da explicação do Canadá de hoje”, considerou.

Mas Trudeau foi mais longe nos elogios à comunidade portuguesa no seu país, salientando que “Portugal deu muito ao Canadá, desde a excecional gastronomia, à sua música tradicional e a uma identidade própria vincada”.

Por outro lado, o PM de Portugal, António Costa, referiu no almoço que “o Canadá e Portugal são grandes aliados na NATO e vão continuar a defender o multilateralismo, o desenvolvimento sustentável, a proteção dos direitos humanos, a luta pelas alterações climatéricas ou a construção sociedades inclusivas e tolerantes”, disse.

Em francês, Costa falou sobre David Tavares, um luso-canadiano natural de São Miguel (Açores) que fundou a Globe Star Systems (Connexall), uma empresa que desenvolve software para hospitais e que tem actualmente escritórios no Canadá, nos EUA, no Brasil, em Portugal e na China.

O PM português agradeceu ainda a “recepção calorosa que Trudeau prestou à [sua] comitiva” e terminou dizendo que “esta visita vai ser, eu espero, um novo ponto de partida para as nossas relações antigas”.

O Milénio Stadium teve acesso ao menu oficial entre os dois chefes de Estado.

Entrada: Suflê de queijo de cabra C’est Bon de Ontário com sementes abóbora e girassol tostadas; acompanhado com couve-flor assada regada com vinagrete de Vincotto.

Prato principal: bife de vazia grelhado de Alberta acompanhado com molho de vinho tinto Niagara, raízes de girassol crocantes de Ontário e folhas de mostarda verde salteadas.

Sobremesa: tarte de manteiga artesanal servida com compota de mirtilo de Saskatoon e creme fresco de limão.

 

 

 

 

 

 

 

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

DONATE NOW