Canadá

Corrida à liderança conservadora no Canadá

Peter MacKay iniciou oficialmente a sua campanha para liderar o Partido Conservador federal e, é claro, apresentou um discurso divulgando o papel das nações indígenas, imigrantes e indústria na construção do Canadá.

Peter MacKay

Ele também parece ter o dinheiro necessário para apoiar o seu perfil como candidato na corrida à liderança. MacKay enviou o seu pagamento de $300.000 que é necessário para entrar oficialmente na corrida para substituir Andrew Scheer. Além disso, os candidatos devem enviar pelo menos 3.000 assinaturas de apoiantes de pelo menos 30 distritos eleitorais diferentes, em sete províncias e territórios.

Com Pierre Poilievre e Rona Ambrose oficialmente fora, a corrida parece boa para a vitória de MacKay. Erin O´Toole, que terminou em terceiro lugar na última corrida à liderança conservadora atrás de Andrew Scheer e Maxime Bernier, deve lançar uma campanha desafiadora. Outros candidatos que ainda merecem a nossa atenção incluem Marilyn Gladu e Michelle Rempel Garner. O vencedor será escolhido no próximo dia 27 de junho, em Toronto.

A partir de agora até ao grande dia, haverá muito a ser analisado, incluindo se o novo líder conservador deve ser bilingue. A capacidade de falar com os canadianos nos dois idiomas oficiais ajudou e destruiu muitas campanhas no passado e os números das pesquisas dizem que isso importa para o eleitor. Uma nova pesquisa da Léger mostra que os canadianos são a favor de um líder bilíngue e, sem ele, os conservadores podem enfrentar uma derrota esmagadora nas próximas eleições.

Os entrevistados foram questionados do seguinte modo: “O próximo líder conservador deve ser bilingue, ou seja, capaz de falar inglês e francês, ou não é necessário?” Uma clara maioria dos entrevistados, 62%, acredita que o próximo líder dos conservadores deve ser bilingue. Apenas 35% responderam que o bilinguismo não era necessário. O apoio ao bilinguismo para o próximo líder é mais alto em Quebec, Ontário e províncias do Atlântico, nas províncias em que os conservadores precisam aumentar o seu apoio se querem vencer a próxima eleição.

Os dados sugerem que a maioria dos canadianos prefere um primeiro-ministro bilingue, mas essa preferência realmente mudaria as intenções de voto se os membros conservadores decidissem ir com um líder não-bilingue? Para comparar os resultados, Léger primeiro perguntou aos entrevistados suas intenções de voto. Os números nacionais estão estaticamente empatados com a média atual das pesquisas: os liberais (34%) e os conservadores (32%) permanecem num empate estatístico, com o NDP a sair um pouco melhor do que em outubro do ano passado, com 19%. Em seguida, foi perguntado aos entrevistados: “Se uma eleição federal fosse realizada hoje e o líder dos conservadores não fosse bilingue, que partido você provavelmente apoiaria?”

Nesse cenário hipotético (um líder conservador não-bilíngue), os liberais assumiriam uma liderança dominante sobre seus principais rivais e estariam a caminho de uma maioria esmagadora na Câmara dos Comuns. O Partido Liberal recebe o apoio de 38% dos entrevistados decididos – 14 pontos à frente dos conservadores.

Os dados reais de Léger são claros: sem um líder bilingue, os conservadores estão a caminho de uma derrota segura quando a próxima eleição for realizada. Pelo bem de seu partido, todos os candidatos (aspirantes) devem prestar atenção a este fator.

Peter Ferreira/MS

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close