Canadá

Conservadores querem que programas federais de apoio à COVID-19 sejam mais flexíveis

Conservadores querem que programas-canada-mileniostadium
Crédito: Facebook/reprodução

O líder conservador Erin O’Toole diz que os programas de apoio federal ainda não estão a fazer o suficiente para ajudar as empresas e os trabalhadores a sobreviverem à pandemia e está a pedir mudanças para que mais pessoas tenham acesso à ajuda federal.

Esta semana O’Toole apresentou uma moção para exigir que o governo torne o subsídio ao arrendamento comercial e o apoio salarial mais flexíveis. Antes do PC apresentar a moção o governo federal publicou legislação sobre os novos programas de apoio à COVID-19.  O’Toole disse que o objetivo do PC não é fazer com que as empresas enriqueçam, mas garantir que os critérios para beneficiar dos programas de apoio são mais flexíveis e por isso mais empresas continuam abertas e mais funcionários continuam empregados.

A moção também pede a Otava que suspenda auditorias a pequenas empresas que receberam o subsídio salarial de emergência pelo menos até junho de 2021. O’Toole diz que um grande número de empresas foi colocado, desde setembro, sob auditoria pela CRA, a Agência de Receitas do Canadá, o equivalente à Autoridade Tributária e Aduaneira de Portugal. O líder dos conservadores diz que esta auditoria coloca exigências onerosas sobre os empresários enquanto tentam sobreviver à segunda vaga da pandemia.

O’Toole disse esta semana no Parlamento que “mais uma vez os liberais rotularam as pequenas empresas como potenciais autores de fraude fiscal e queriam investigá-las no meio de uma crise”. A posição de O’Toole representa uma mudança de ideias do partido conservador, cujos parlamentares criticaram duramente os liberais durante a primeira fase da pandemia e pediram ao governo que investigasse empresas que receberam apoios fraudulentos. 

A moção de O’Toole veio um dia depois de a ministra das Finanças, Chrystia Freeland, ter apresentado uma legislação que continha mudanças há muito esperadas no apoio ao arrendamento comercial. O programa anterior foi muito criticado e um dos aspetos que foi duramente criticado pelos empresários foi o facto do programa ser ativado apenas pelo proprietário do espaço. O novo subsídio ao arrendamento comercial vai substituir o antigo CECRA.

O novo apoio ao arrendamento comercial permite que empresas, instituições de caridade e organizações sem fins lucrativos que viram as suas receitas caírem durante a pandemia se qualifiquem. As empresas vão ter no máximo 65% das suas despesas elegíveis cobertas até 19 de dezembro. O apoio federal aos salários de funcionários de empresas que viram as suas receitas cair com a pandemia também se vai estender até junho de 2021. Outra das novidades apresentada esta semana por Freeland foi o apoio ao bloqueio, um subsídio que vai ajudar empresas que tiveram de encerrar devido às ordens das autoridades de saúde pública.

A entrevista que publicamos abaixo foi feita antes de Otava lançar um pacote com as novas medidas de apoio à COVID-19. O’Toole acusa o governo liberal de não lutar pelos interesses do canadiano comum e diz que é preciso fazer mais pelas pequenas empresas para garantir que continuam a poder manter os níveis de emprego. Se for eleito, o novo líder do PC promete “criar oportunidades para os canadianos” e defender as indústrias e os empreendedores para que a economia possa recuperar. O’Toole elogiou a criatividade e a capacidade dos canadianos durante a primeira vaga da pandemia e diz que é precisar retirar lições para enfrentar a segunda vaga da pandemia.  Sobre o plano de imigração que Otava apresentou na passada sexta-feira (30) que pretende trazer para o Canadá 1.2 milhões de imigrantes nos próximos três anos, Erin O’Toole critica os atrasos do governo federal que entregam os imigrantes à “incerteza”. “Sabemos que os canadianos não querem ir agora às urnas”, Erin O’Toole, líder do PC.

Milénio Stadium: O primeiro-ministro Justin Trudeau e o governo federal da minoria liberal sobreviveram a um voto de confiança que garantiu o apoio necessário para evitar que o país fosse às urnas durante a pandemia. Que leitura é que o PC faz deste acordo?

PC: Enquanto lutamos contra a COVID-19 como país, muitos canadianos estão a enfrentar dificuldades. As pessoas estão focadas na sua saúde e segurança e nas suas condições financeiras e sabemos que os canadianos não querem ir agora às urnas.  Agora é a altura de todos os eleitos trabalharem juntos e retirarmos conclusões das lições que aprendemos com a primeira vaga para ajudarmos os canadianos durante a segunda vaga. É vergonhoso que o governo liberal não esteja disposto a trabalhar com os conservadores e outros partidos para obter as respostas que os canadianos merecem. Mas eu e a minha equipa vamos continuar a pedir contas ao governo e a lutar por todos os canadianos que o governo liberal de Trudeau deixou para trás.

MS: Alguns especialistas afirmam que se não houver eleições nacionais neste outono, os canadianos vão ter de ir a votos na primavera do próximo ano. Se isso acontecer, quem é acha que vai governar o país?

PC: Neste momento estou focado em trabalhar duro para os canadianos. Sabemos que Justin Trudeau deixou muitas pessoas para trás na sua resposta lenta e confusa à pandemia. Os canadianos esperam mais do seu governo – como aliás deve ser. As pessoas precisam de um líder que não deixe a sua arrogância e o seu título atrapalhar. Precisam de um líder que entenda o canadiano comum- eu sei o que significa viver com um orçamento limitado, poupar para comprar a primeira casa e planear o futuro dos nossos filhos. Vou continuar a encontrar-me com pessoas de costa a costa para me apresentar e partilhar a minha visão para um Canadá forte no futuro.

MS: A COVID-19 vai mudar a política no Canadá?

PC: A COVID-19 mudou o mundo. Temos visto criatividade e adaptabilidade em todos os setores e essas mudanças vão ter um impacto por muito tempo. Mostrou-nos também que existem áreas no Canadá que precisam de ser abordadas. Mais do que nunca, ter cadeias de abastecimento domésticas fortes e confiáveis é a chave para o sucesso do nosso país, e isto é válido tanto à medida que continuamos a lutar contra a COVID-19 como no futuro depois da pandemia. Seja a colocar alimentos de agricultores locais nas mesas dos canadianos ou equipamentos de proteção pessoal para os nossos trabalhadores de linha de frente, o Canadá precisa de fortalecer a sua capacidade de responder à procura a nível nacional.

MS: Trump deve continuar mais quatro anos à frente da liderança dos EUA ou os americanos devem dar uma oportunidade a Biden? Qual dos dois candidatos é o melhor para a economia canadiana?

PC: O Canadá e os EUA compartilham uma aliança histórica baseada em valores comuns e em laços económicos estreitos. Um governo conservador vai trabalhar com a administração dos EUA, independentemente do partido que for eleito, em questões importantes como a luta contra a COVID-19, o fortalecimento dos laços económicos entre Canadá-EUA e a colaboração para enfrentar a ameaça representada pelo regime comunista chinês. Esperamos que o governo liberal trabalhe com os eleitos em questões de interesse comum.

MS: Qual é o plano do Partido Conservador para recuperar a economia canadiana?

PC: Os conservadores estão empenhados em criar oportunidades para os canadianos. Sabemos que as pessoas não querem receber o CERB durante os próximos dois anos, querem voltar ao trabalho. A recuperação do emprego é cada vez mais difícil quando Justin Trudeau está focado em fotos encenadas e em hashtags, em vez de criar um ambiente que apoie pequenas empresas e encoraje novos investimentos. O Canadá precisa de um líder que defenda as nossas indústrias, apoie os nossos empreendedores e ajude as famílias nestes tempos difíceis. Os conservadores vão continuar a oferecer aos canadianos um plano sólido para fazê-los voltar ao trabalho.

MS: O plano de imigração de três anos que foi revelado na sexta-feira passada (30) atende às necessidades de mão de obra do país?

PC: As pessoas que escolhem o Canadá como seu o novo lar merecem um plano baseado na dignidade, compaixão e respeito. A abordagem dos liberais em relação à imigração levou à má gestão, atrasos de anos e incerteza. O anúncio mais recente do governo Trudeau não inclui um plano sobre como implementar com segurança as suas metas ou como adaptá-las para atender às necessidades da nossa economia. Os conservadores acreditam firmemente em medidas de compaixão para ajudar na reunificação da família e para manter a tradição humanitária do Canadá como um porto seguro para refugiados e equilibrar as nossas necessidades de trabalho.

MS: A investigação às viagens do ex-ministro das Finanças através da WE Charity terminou e o não ficou provado que Morneau violei as leis. Este foi o desfecho que o PC esperava?

PC: O governo Liberal de Trudeau provou que não pode ser confiável para agir no melhor interesse dos canadianos. É vergonhoso que Justin Trudeau preferisse forçar os canadianos a uma eleição durante a segunda vaga de COVID-19 do que dar aos canadianos as respostas que eles merecem sobre como os seus dólares de impostos foram gastos. Há um grupo para os membros liberais e para os seus interesses especiais e outra para todos os demais. Os conservadores vão continuar a pressionar os liberais para responderem e lutarem pelos canadianos que não fazem parte da elite liberal.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER