BlogAmbiente

Rochas – A Memória da Terra

Terra Viva

Rochas A Memória da Terra-mundo-mileniostadium
Foto: DR

A crosta terrestre, com as suas rochas, acumula toda a história da Terra, funcionando como uma memória inscrita no seu próprio corpo.

Existem principalmente três grandes grupos de rochas no nosso planeta, as magmáticas, as sedimentárias e as metamórficas, e todas elas nos permitem perceber o passado, geológico e não só, desta quase esfera, enlaçada com o Sol.

As rochas magmáticas, ou ígneas, são resultado de arrefecimento de magma, essa pasta que se apresenta fluida com temperaturas compreendidas entre os 600ºC e os 1600ºC.  As rochas mais antigas no planeta são exatamente as magmáticas. Pela sua datação, assim como composição, erosão e outros sinais, permitem perceber que em cerca de mais de 3,5 mil milhões de anos, o ambiente e a própria configuração dos continentes foi de uma enorme dinâmica.

Denominadas metamórficas são as rochas formadas pela deformação de outras rochas, sejam as sedimentares, as magmáticas e até de outras rochas metamórficas. Essencialmente são resultantes de alterações das condições ambientais ao longo da existência da Terra. Temperatura, pressão, e a conjugação de ambas, levaram a resultados como o mármore, formado a partir de calcário, ou a ardósia resultante do argilito.

As rochas sedimentares são essencialmente o resultado da erosão, fragmentação, acumulação e compressão de outras rochas que ao longo de milhões de anos foram sofrendo o impacto das variações climáticas, atmosféricas, de movimentos telúricos e de ação de outros agentes como a água, vento, radiações solares, etc.

À imagem de todo o Universo, a Terra está em transformação constante. Existem acontecimentos rápidos, como um relâmpago ou um impacto de um asteroide, e outros de uma lentidão de milhões de anos, como o movimento das placas tectónicas continentais. Muitos acontecimentos foram inscritos nas rochas, funcionando estas como verdadeiros repositórios da história do planeta. Sendo mais que livros, são verdadeiras megabibliotecas.

Muitas rochas sedimentares preservaram restos de animais, plantas, sementes, pegadas e outros indícios da atividade de seres vivos que viveram há milhões de anos. Através desses fósseis, impressões e indícios, conseguimos conhecer diversos momentos da vida na Terra. Sem as rochas sedimentares nunca teríamos noção das eras deste planeta e dos seres que por cá já passaram. Os fósseis mais antigos datam de 3,2 mil milhões de anos, sendo de seres unicelulares microscópicos. Desde seres microscópicos a gigantescos dinossauros, as rochas permitem-nos conhecer o nosso passado.

Na longa história da Terra (longa na perspetiva humana) as realidades foram sendo muito diferentes – as suas paisagens, o seu clima, a sua atmosfera, os seus oceanos, continentes, montanhas e abismos, épocas com enormes quantidades e diversificadas espécies de seres vivos, eras de quase absoluta esterilidade, locais que foram mares e se transformaram em desertos, e porventura se transformaram novamente em lagos, oceanos ou montanhas…

A linha do tempo e de todos os acontecimentos deste planeta está gravada nas rochas, contendo o registo e testemunhos das mudanças biológicas, geológicas e geográficas.

As rochas são o arquivo histórico deste nosso oásis no meio da escuridão e do vazio do espaço. Admiremos, respeitemos e aprendamos com este extraordinário legado.

paulo Gil Cardoso/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Não perca também
Close
Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER