BlogTemas de Capa

Mais de 329,000 canadianos usam a canábis para fins terapêuticos

mais de 329 mil canadianos usam canabis-canada-mileniostadium
Crédito: DR.

Até final de março de 2020, mais de 329,000 canadianos usavam a canábis para fins terapêuticos. Os números são da Statistics Canada e revelam que entre janeiro e março do ano passado cada cliente comprou em média dois gramas de produto seco. A nível de províncias, Ontário é a província canadiana onde mais pessoas usam a canábis para fins terapêuticos – cerca de 171.107 pessoas estão registadas na província como clientes. Em segundo lugar, mas bem atrás de Ontário, surge Alberta, com 73.629 clientes, e logo depois é que aparecem na tabela a Colúmbia Britânica, com 17 053 clientes e o Quebec com 16 904.

A canábis para uso terapêutico está sujeita a regras diferentes da canábis para uso recreativo. A produção da canábis para fins terapêuticos é regulada exclusivamente pelo Governo federal e as únicas formas de comprar canábis para uso terapêutico são: através de um produtor federal licenciado para vender online; por prescrição escrita, por telefone e entrega por correio registado.  A outra opção poderá ser obter uma licença da Health Canada para produzir a sua própria canábis terapêutica em casa.

De acordo com a Health Canada mais de 6000 empresas estão autorizadas a produzir canábis no Canadá, mas apenas 260 têm licença específica para produzir canábis para fins terapêuticos. Cerca de 10 destas empresas estão localizadas em Ontário e a primeira empresa a produzir canábis para fins terapêuticos em Ontário foi a Ontario Inc, que obteve uma licença em maio de 2015.

Ainda assim alguns médicos não concordam com esta prática e não prescrevem canábis aos seus pacientes. Em declarações ao Milénio Stadium, o médico Taylor Lougheed, um especialista da área que é membro da Ontario Medical Association (OMA), diz que as razões são muito variadas. Lougheed explica que ainda não existem evidências científicas de peso sobre esta substância e que a própria formação universitária dos médicos focou-se, durante muito tempo, apenas nos efeitos adversos da droga. Mas “soma-se a isto o processo de autorização em si que é separado do processo de prescrição típico com o qual muitos estão familiarizados e que representa uma barreira que pode ser difícil de superar numa clínica movimentada, o custo e a falta de cobertura pelos seguros de saúde”, avançou.

Lougheed diz-nos ainda que o custo, a disponibilidade de produtos (cápsulas de gel ou óleos) e o plano de dosagem que a empresa produtora apresenta também são fatores que pesam na hora do paciente decidir optar pelo tratamento com a canábis. Caso decida ir em frente, o especialista recomenda que comece por consumir a substância em “pequenas doses” e depois vá aumentando de forma gradual. “Deve acompanhar os efeitos colaterais e os potenciais efeitos para perceber se o seu plano de dosagem deve ser alterado”, informou.

Embora a canábis seja usada por pacientes com osteoartrite, problemas neurológicos, distúrbios convulsivos ou com esclerose múltipla, o médico sublinha que apesar da investigação científica nesta área estar a avançar de forma rápida, “a canábis medicinal não é aprovada ou geralmente recomendada como primeira opção para tratar uma doença”.

No site da Health Canada é possível perceber que a prescrição de canábis para fins terapêutico é feita através de 10 etapas:

  • O médico ou o especialista têm de preencher um formulário do Access to Cannabis for Medical Purposes Regulations (ACMPR);
  • O médico tem de rever, com o paciente, a lista da Health Canada de produtores licenciados para produzir a medicação;
  • O médico escolhe um produtor licenciado para registar o seu paciente e certifica-se que a medicação tem as quantidades certas de THC e CBD que o paciente precisa;
  • O médico tem de informar o paciente sobre vaporizadores e produtos comestíveis e perceber quais são as melhores opções para o seu caso;
  • Imprimir o registo do produtor licenciado e certificar-se que o paciente o completa;
  • Enviar por e-mail os documentos médicos originais e o registo do paciente para o produtor licenciado;
  • O produtor licenciado vai entrar em contacto com o médico para verificar a informação médica do paciente;
  • Logo que o processo esteja completo, o produtor licenciado vai contatar o paciente para informá-lo de que o registo está completo;
  • O paciente pode fazer a sua encomenda junto do produtor licenciado;
  • O produtor licenciado vai enviar para o paciente a sua medicação, diretamente para a sua morada.

mais de 329 mil canadianos usam canabis-canada-mileniostadium

 

A província de Ontário é responsável pela distribuição e pela venda da canábis. Quem licencia na província de Ontário é o Alcohol and Gaming Commission of Ontario (AGCO) que avança em comunicado de imprensa que até dezembro do ano passado já tinha recebido 1300 pedidos para obter licença.  Cerca de 305 foram aprovados e 269 lojas já abriram ao público. A província deu indicações para atribuir cerca de 20 licenças por semana, o que corresponde a cerca de 80 por mês.

Recentemente um MPP de Scarborough veio a público manifestar-se contra a abertura de tantas lojas no seu riding e pediu à Câmara Municipal de Toronto para criar legislação mais apertada para evitar que tantas lojas deste género possam operar em áreas industriais. O autarca John Tory está de acordo e quer limitar a abertura de lojas de venda de canábis, sobretudo para manter os jovens seguros.

Joana Leal/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER