Madeira

Sete personalidades e duas instituições homenageadas pelo Governo Regional

A ‘geração autonomia’ foi esta tarde homenageada pelo Governo Regional. Foi assim que Conceição Estudante rotulou o leque de personalidades e entidades presentes numa cerimónia que serviu para entregar nove insígnias: duas de Valor, duas de Distinção e cinco de Bons Serviços. A representante dos agraciados e ex-secretária do Turismo da Madeira – que exprimiu repetidamente a palavra gratidão pelo título recebido – assumiu que estas condecorações são representativas de vários sectores de actividade da Região, dirigidas a pessoas que vivenciaram “um extraordinário período da história da Madeira”.

“Em 1974, quando Abril trouxe a democracia a Portugal, abriu-se caminho para uma nova era no percurso histórico desta ilhas atlânticas portuguesas. Éramos jovens e ao entusiasmo próprio da idade apresentaram-se desafios extraordinários e entusiasmantes. Tudo era novo. Tudo era possível”, recordou Conceição Estudante, que aproveitou a ocasião para agradecer, a título pessoal, ao antigo presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, “pela oportunidade” que a concedeu em “integrar os seus governos durante cerca de 15 anos”.

Insígnia Autonómica de Valor Insígnia Autonómica de Distinção Insígnia Autonómica de Bons Serviços
Conceição Estudante José Nelson Abreu Centro Social e Paroquial de São Bento da Ribeira Brava
José Prada Porta 33 – Associação Quebra Costas Centro de Arte Contemporânea Maria dos Santos Pereira
Felicidade Ferraz Branco
Maria da Cruz dos Santos
José Figueiroa

Em nome de todos os galardoados, Conceição Estudante – que até começou por dizer que “estava destreinada” em matéria de discursos -, não se coibiu de elogiar o grupo homenageado que entre si partilhava do mesmo sonho no pós-revolução de 1974: trazer “maior bem-estar e progresso a estas ilhas”.

Na área social, na justiça, nos negócios, na saúde, na informação, na cultura e também no turismo e na política estes “pensadores, decisores e autores deram o seu tempo e energia, as suas competências e capacidades, a esta terra e às suas gentes, sempre procurando o melhor de si próprios”.

“Somos testemunhas de uma transformação radical que arrancou a Madeira e o Porto Santo da idade média e projectou a Região no século XXI. Uma sociedade fechada sobre si mesma, com limitadíssima comunicação com o exterior tornou-se um espaço cosmopolita interactivo com a Europa e o Mundo”, vincou Conceição Estudante.

Albuquerque pede autonomia “mais ampla”

O presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, marcou presença nesta cerimónia e começou por relevar o “comportamento exemplar do povo madeirense na presente crise”, expressando a sua “solidariedade para com todos aqueles que foram, directa ou indirectamente, afectados pela actual crise de saúde pública”. E foi por aí, sobretudo devido a “estes meses da crise pandémica”, que o chefe do executivo madeirense pediu uma autonomia “mais ampla”.

“Neste Dia da Região cumpre também reflectir sobre duas dimensões incontornáveis da nossa vida colectiva: por um lado foi mais do que evidente, aos olhos de todos, sobretudo nestes meses da crise pandémica, quão necessário é assegurar para a nossa Região uma autonomia mais ampla que pressione com maiores poderes de decisão os nossos órgãos de governo próprio. Por outro lado, sendo as nossas comunidades espalhadas pelo Mundo a afirmação da nossa identidade, há que reforçar os laços institucionais de ligação às mesmas. Proximidade e presença. A Madeira é hoje o que é graças também à sua diáspora”, disse Miguel Albuquerque, arrancando aplausos no Salão Nobre do Palácio do Governo.

Quanto às sete personalidades e duas instituições agraciadas, Miguel Albuquerque assumiu que “numa época em que muitas vezes se confude exibicionismo superficial com mérito intrínseco, importa que nós madeirenses continuemos a prestar homenagem a pessoas e instituições que constituem um exemplo para todos nós”, visto que “este escrutínio cívico é hoje um alicerce importantíssimo para continuarmos a construir no nosso dia-a-dia uma sociedade decente e humanista onde predominam os valores da solidariedade, responsabilidade, mérito e trabalho”.

“As pessoas e instituições que são hoje galardoadas merecem o nosso reconhecimento. Cada um dos homenageados teve na sua respectiva área de actividade um percurso profissional brilhante e relevantíssimo. Bem-haja por tudo o que fizeram e representam”, arrematou o presidente.

DN Madeira

Redes Sociais - Comentários

Fonte
DN Madeira
Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

Close
Close