Madeira

Madeirenses vão entregar contentor de 20 pés a Moçambique

Missão cumprida. A campanha solidária ‘Madeira e Porto Santo: Juntos por Moçambique’ cumpriu o seu objectivo e encheu um de 20 pés de bens de primeira necessidade, que ruma no próximo domingo (14 de Abril) a Moçambique, para apoiar a população afectada pelo ciclone ‘Idai’.

Durante os treze dias da campanha, que decorreu de 29 de Março a 10 de Abril, foram recolhidas “4 toneladas de água, 2 toneladas de produtos de higiene, 2 toneladas de enlatados e 450kg de fraldas”,revelou ao início desta tarde a secretária Regional da Inclusão e Sociais, durante o balanço realizado esta quinta-feira, no Centro Comercial Centromar, no Funchal (local onde esteve centrada a recolha ajuda para o país africano).

Na ocasião marcou também presença o secretário regional da Saúde, Pedro Ramos, bem como os representantes do Banco Alimentar Contra a Fome na Madeira, da Cáritas Diocesana do Funchal e da Delegação da Madeira da Cruz Vermelha Portuguesa, as três entidades que partilharam a operação de recolha.

A esta iniciativa, que mobilizou cerca de 24 voluntários, associaram-se ainda outras entidades privadas, como é o caso do Grupo Sousa, Grupo Enotel, Farmácia Madeira e Farmácia Funchal e os Distribuidores de Medicamentos da Região Autónoma da Madeira, além do DIÁRIO de Notícias da Madeira, JM e RTP-Madeira, que colaboraram na divulgação da campanha.

Recorde-se que a campanha ‘Madeira e Porto Santo Juntos por Moçambique’ foi anunciada pelo Governo Regional, através da Secretaria Regional da Inclusão e Assuntos Sociais, na sequência da reunião do Conselho de Governo de dia 28 de Março, que lançou uma campanha de recolha de alimentos, produtos de higiene pessoal e roupas, com o fim de apoiar a população moçambicana afectada, no mês passado, pelo ciclone ‘Idai’, que provocou centenas de mortos, milhares desalojados e deixou uma região fortemente devastada a nível de infra-estruturas.

Com término inicialmente previsto para dia 7 de Abril, a campanha viria a ser prolongada por mais três dias, de modo a concretizar o objectivo de encher totalmente o contentor de mercadorias com enlatados (atum, salsichas, grão, feijão…), garrafas de água, fraldas para bebé, produtos de higiene (sabão azul e branco/glicerina), lixívia e purificadores de água, além de roupas. Tarefa esta agora alcançada com sucesso.

De referir que os medicamentos não estavam incluídos na lista, porque foram coordenados entre o Serviço Regional de Saúde (SESARAM), a Ordem dos Farmacêuticos e distribuidores.

Além do antigo hipermercado, a solidariedade dos madeirenses para com Moçambique chegou de vários pontos de recolha espalhados pela Madeira, como é o caso das Farmácias Funchal e Madeira, as Casas do Povo da Calheta, Ponta Delgada (São Vicente), Porto Moniz, Santa Cruz e São Roque do Faial (Santana), e ainda, o Lar de Nossa Senhora da Piedade, no Porto Santo.

Redes Sociais - Comentários

Fonte
DN Madeira
Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close