Madeira

Governo Regional vai proibir colocação de covos nas Desertas

O presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, presidiu esta segunda-feira, dia 3 de Fevereiro, à cerimónia comemorativa do Dia do Vigilante da Natureza, que decorreu na Quinta Magnólia, no Funchal.

Na ocasião o líder do Governo- que começou a sua intervenção por agradecer o “trabalho essencial” dos vigilantes da natureza “na preservação do património natural que vamos entregar às próximas gerações” -anunciou algumas medidas que visam, precisamente, salvaguardar este património natural.

É o caso do lobo-marinho das Desertas e, com o intuito de preservar esta espécie, Miguel Albuquerque confirmou que o Governo Regional vai proibir colocação de covos (artefactos de pesca, feitos de vimes ou fios entrelaçados para apanhar peixes e crustáceos) naquelas ilhas.

“Vamos proibir a colocação de covos nas Desertas para evitar a mortandade juvenil na população e lobos-marinhos”, disse o presidente do Governo.

A medida não será consensual, nomeadamente entre os pescadores que recorrem a esta técnica de pesca artesanal, porém Albuquerque nota que “sempre que actuamos num sentido há determinados sectores da nossa sociedade que não compreendem (…) mas não temos e agradar a toda a gente”, vincou.

Outra medida anunciada no âmbito da preservação de espécies protegidas foi a colocação de armadilhas nas serras para defender a Freira da Madeira – “uma espécie única no mundo” da qual existem apenas 80 casais -da ameaça dos gatos selvagens.

Em ambos os procedimentos, o Governo Regional conta com “os vigilantes da natureza”.

O Corpo de Vigilantes da Natureza é presentemente composto por 36 elementos, que asseguram uma vigilância em permanência (365 dias/ano) nas áreas protegidas marinhas e terrestres, de todo o arquipélago.

Com efeito, a Madeira é “uma das regiões no mundo e da Europa que, em termos proporcionais, quer no espaço terrestre quer no espaço marinho , mais zonas protegidas”, salientou com orgulho Miguel Albuquerque durante a cerimónia.

Actualmente, 75% do mar territorial e 66% do território terrestre da RAM tem protecção.

DN Madeira

Redes Sociais - Comentários

Fonte
DN Madeira

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW