Açores

Voltamos aos primeiros lugares da mortalidade infantil

Os Açores possuem a terceira taxa mais elevada de mortalidade infantil, segundo os últimos dados agora revelados pelo INE, no estudo sobre a demografia de todo o ano de 2018.

A taxa de mortalidade na Região situa-se nos 4%, sendo ultrapassado apenas pelo Algarve (4,2) e Área Metropolitana de Lisboa (4,1).

As restantes regiões do país possuem taxas mais baixa: Madeira 2,1; Centro 2,4; Norte 2,8; Alentejo 3,5. A taxa de Portugal é de 3,3.

Os Açores vinham registando taxas baixas, nomeadamente em 2017, com 2,3%, e 2016, com 1,8%, voltando à casa dos 4%, que só tinham sido ultrapassada em 2013, com 4,7%, e em 2015, com 4,4%.

Em pior situação estamos na mortalidade neonatal. Com efeito, a mortalidade infantil pode ser decomposta em mortalidade neonatal, que ocorre durante o primeiro mês de vida (óbitos de crianças com menos de 28 dias de vida), e mortalidade pós-neonatal, que ocorre no período após o primeiro mês de vida e até ao primeiro ano de vida.

No ano passado os Açores registaram a taxa mais alta, 3,1%, enquanto a região Centro, com 1,6%, registou a mais baixa.

Os Açores estão, ainda, em primeiro lugar na taxa de mortalidade perinatal (8,8), na mortalidade fetal tardia (6,6) e ainda na neonatal precoce (2,2).

Diário dos Açores

Redes Sociais - Comentários

Fonte
Diário dos Açores
Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close