Açores

Santo Cristo com nova capa e corda mesmo sem procissão

Emigrante de São Miguel cumpre sonho de oferecer capa ao Senhor Santo Cristo

Por esta altura Ponta Delgada estaria numa grande azáfama com milhares de devotos a convergiram à maior cidade dos Açores para participarem nas grandes festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres que começariam hoje e terminariam na próxima Quinta-feira, 21 de Maio. Mas a pandemia provocada pelo novo coronavírus obrigou a um confinamento obrigatório e ao cancelamento de praticamente dos todos os eventos, incluindo os religiosos. Ainda assim, e apesar de, pela primeira vez em 320 anos, não se realizarem estas festas, o Santuário preparou alguns momentos para assinalar a data. Apesar da imagem não sair, o reitor do Santuário, cónego Adriano Borges, deu conta que a capa que foi preparada para sair este ano será colocada na mesma, tal como a corda que a imagem sustem nos braços que é totalmente nova, por a outra se encontrar muito danificada.

Assim, este ano, a capa foi oferecida por um emigrante da ilha de São Miguel, Manuel Domingues Mendes Barbosa que está desde 1968 emigrado nos Estados Unidos da América. Como contou ao Diário dos Açores o reitor do Santuário, este emigrante “tinha o sonho desde os seus 20 anos de idade de um dia poder oferecer uma capa ao Senhor Santo Cristo dos Milagres e, finalmente, conseguiu realizar este sonho de jovem, entregando-nos o ano passado este capa”.

A nova capa foi confeccionada em Vila Franca do Campo por uma artesã local e estará colocada sobre a imagem não só durante estes dias que seriam das grandes festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres, e que sairia na procissão, mas, pelo menos, durante todo o Verão e aquando da realização da Missa de Acção de Graças que o Santuário quer celebrar numa fase pós pandemia. De acordo com Adriano Borges, esta nova capa também irá sair, no futuro, na procissão. “Não no próximo ano de 2021 porque já temos um compromisso com outra capa que um grupo de emigrantes do Canadá que nos vai oferecer, mas provavelmente em 2022 sairá a capa oferecida este ano 2020”, refere.

Outra novidade prende-se com as cordas que estão na imagem e que este ano são novas. O reitor explica, a propósito, que depois da festa do ano passado, em que as cordas tinham sido restauradas, este ano foi tomada a opção de fazer umas cordas novas. “Uma vez que são cordas com sensivelmente 300 anos e também por causa do uso, algumas peças ainda continuavam a cair” e, por este motivo, adianta, “tivemos a ideia de realizar uma nova corda porque aquela faz parte do tesouro regional e foi então decidido que não devia sair mais em procissão”.

Quanto às cordas que agora deixam de estar na imagem o reitor avança que “num futuro, que não sabemos quando, e num museu que havemos de criar, esta peça poderá depois ser visitada e vista pelas pessoas”.

A nova corda, criada por Ana Paula Ferreira e a irmã, Ivone Custódio, seguiu a regra da outra, tendo 3 metros e 58 centímetros, contendo ainda duas peças que eram icónicas da outra e que eram amovíveis que é o laço e o cordeiro, que são as duas peças mais visíveis da corda. O restante, foi feito com cordões de ouro, prata e algumas peças que foram oferecidas, ao longo dos tempos, ao Santuário e que agora irão estar na corda do Senhor Santo Cristo dos Milagres e que sairão também em procissão.

Diário dos Açores

Redes Sociais - Comentários

Fonte
Diário dos Açores
Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

Close
Close