Açores

Presidente do Hospital de Angra explica-se

Depois do Presidente do Governo Regional dos Açores ter desautorizado o Secretário Regional da Saúde, ordenando a abertura de um inquérito urgente ao caso do “desvio” do helicóptero, por interferência da Presidente do Hospital de Angra, Olga Freitas, para evacuar um seu familiar em S. Jorge, a própria emitiu agora uma nota a toda a comunicação social, que passamos a transcrever na íntegra.

“Nos últimos dias o meu nome ocupa as primeiras páginas dos jornais, os telejornais e artigos de opinião, sendo acusada de desviar meios aéreos de modo a privilegiar a evacuação de um familiar (uma jovem de 20 anos) em detrimento de uma criança de 13 meses.

O caso, ou melhor os factos, serão esclarecidos em sede de inquérito, em boa hora aberto pelo Presidente do Governo Regional, Dr. Vasco Cordeiro, e que, pela primeira vez, me permitirá esclarecer as razões pelas quais intervi, naquela noite, no processo de evacuação da jovem de São Jorge.

Bem sei que o Senhor Presidente imprimiu um caráter de urgência à realização do inquérito, porém o apuramento dos factos exige o tempo necessário à sua conclusão, razão pela qual cumpre-me na qualidade de profissional de saúde e atual responsável por uma Instituição pública, o Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira, já esclarecer, sobretudo aos que não me conhecem, qual tem sido o meu comportamento ao longo da minha vida profissional dedicada na sua grande maioria ao serviço público.

E porquê?

Porque as acusações são gravíssimas e põem em causa a minha dignidade profissional, que sempre se pautou por servir a causa pública, tendo como pilares o Serviço Nacional de Saúde e o Serviço Regional da Saúde, de tal modo que em 2005 encerrei o meu consultório privado para me dedicar apenas e em exclusivo ao serviço público, ou melhor ao Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira, evitando assim problemas de conflito de interesses, que sempre poderão existir quando se mistura a esfera pública com a esfera privada.

São estas, e muitas outras, as razões pelas quais considero profundamente injustas as acusações que me são agora dirigidas, por pessoas que desconhecem os factos e razões que levaram ao seu acontecimento e que possivelmente terão outros propósitos que nunca foram, não são, nem serão os meus.

Não posso, porém, deixar de publicamente lamentar o facto de não ter sido, em momento algum, notificada pelo Presidente de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores e/ou pela Diretora Regional de Saúde, os quais tinham por obrigação dar-me conhecimento da queixa emitida pela Dra. Catarina Soares contra a minha pessoa, possivelmente ainda em 2017, de modo a assegurar, em tempo útil, o devido direito ao contraditório, facto que culminou com a tomada de conhe- cimento da existência da queixa através do jornal “Diário dos Açores”, de dia 7 de Agosto de 2018, pois se tivesse sido informada, ter-me-ia defendido na altura e em sede própria, evitando, possivelmente, as acusações de que sou alvo.

Termino informando aqueles que sempre acreditaram em mim e continuam a confiar, sobretudo aos utentes do Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira, a quem sempre procurei servir com todo o profissionalismo e dedicação, cumprindo a minha obrigação, bem como a todos os demais, que não cometi qualquer ilegalidade e reafirmando que, porque sou médica, não poderei deixar de cumprir o Juramento de Hipócrates, assim sempre que alguém solicitar o meu parecer, seja ele familiar ou não, não o vou recusar, tal como aconteceu naquela noite.

A decisão final, no meu entender, foi a melhor! Não sei quem decidiu, e espero que em sede de inquérito a verdade seja integralmente reposta!

A cidadã e médica,

Olga Maria Martins de Freitas”.

 

Secretário da Saúde diz que não se demite

O Secretário Regional da Saúde, Rui Luís, disse quinta-feira aos jornalistas que não se demite “enquanto o Presidente do Governo Regional dos Açores assim o entender”

O governante foi confrontado pelos jornalistas no final da assinatura de um acordo com o Sindicato dos Enfermeiros, a propósito da polémica sobre o “desvio” do helicóptero pela Presidente do Hospital de Angra para evacuar um familiar em S. Jorge.

Rui Luís afirma que a sua “determinação é a vontade de continuar a servir o Serviço regional de Saúde. Sinto-me com vontade de servir os açorianos”.

O Secretário Regional da Saúde escusou-se a responder à pergunta se continuava a manter confiança na Presidente do Conselho de Administração do Hospital de Angra do Heroísmo, di- zendo que “está a decorrer um inquérito, e o que faz sentido neste momento é esperarmos pelo resultado”.

Recorde-se que o inquérito foi ordenado pelo Presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER