Açores

Presidente da SATA ocultou prejuízos

Afinal o prejuízo do Grupo SATA no primeiro semestre deste ano atingiu os 33,5 milhões de euros, piorando em relação aos resultados do mesmo semestre do ano passado, apurou o nosso jornal.
Na conferência de imprensa de ontem, para apresentação dos resultados, o Presidente da Sata apresentou apenas os resultados operacionais, ocultando o exercício total, que na Air Açores foi de -6,6 milhões euros e na Internacional de -27,9 milhões de euros, conforme documento das contas a que o nos- so jornal teve acesso e que publicamos nesta notícia.
O que foi avançado aos jornalistas é que os prejuízos cifravam-se em 27,9 milhões de euros.
O prejuízo que foi divulgado para a Air Açores, de 2,5 milhões, não corresponde ao prejuízo do exercício total, já que não conta com o pagamento de juros neste semestre, no valor de 4,8 milhões de euros.

PSD responsabiliza Vasco Cordeiro

O líder do PSD/Açores, Alexandre Gaudêncio, defendeu ontem que é urgente retomar o processo de privatização da companhia aérea açoriana Azores Airlines, responsabilizando o presidente do Governo Regional (PS) pelos prejuízos do grupo SATA no primeiro semestre do ano.

“Neste momento, o mais urgente é retomar-se o processo de privatização dos 49% para que este processo fique resolvido o quanto antes. E depois tem de haver uma administração capaz e que, acima de tudo, perceba do negócio e que não seja só um capricho do presidente do Governo Regional a nomear pessoas que pouco ou nada percebem do sector”, noticia a imprensa citando a agência Lusa.

Para o líder regional social-democrata, estes números comprovam que o Presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro, “falhou novamente”.

“Desde que Vasco Cordeiro é presidente do Governo, a SATA está literal- mente a afundar-se num buraco sem fim”, afirmou, acusando o presidente do executivo açoriano de ser “o grande responsável” pela situação atual da empresa.

Segundo Alexandre Gaudêncio, o rumo que a empresa está a tomar merece “preocupação”, porque só no primeiro semestre do ano já foi ultrapassado o volume de prejuízo previsto para todo o ano.

“Foi dito publicamente no ano passado que o ano de 2019 teria metade dos prejuízos que a SATA teve em 2018. Só no primeiro semestre deste ano já se ultrapassou toda a previsão que se tinha para o ano todo de 2019”, avançou.

“É urgente a privatização”

O líder do PSD/Açores considerou que a situação financeira do grupo SATA resulta de “uma política errada de estratégia de promoção dos Açores em outros destinos, que em nada favoreceram os açorianos”.

“Primeiro estão os Açores e primeiro estão os açorianos. Nós temos percorrido todas as ilhas e temos inúmeros casos de pessoas que não conseguem sair das suas ilhas por razões diversas, desde a questão da saúde, por exemplo, em que há muita gente que não consegue ir a uma consulta de urgência fora da sua ilha, porque não há lugar nos aviões”, apontou.

Nesse sentido, disse ser “urgente” que a empresa retome o processo de privatização de 49% da Azores Airlines e que dê “estabilidade aos mais de 1400 funcionários”. “Este assunto está no segredo dos deuses e não se sabe neste momento o ponto de situação”, criticou.

Em 2018, a SATA registou um prejuízo de 53,3 milhões de euros, um agravamento de 12,3 milhões face ao ano de 2017.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER