Açores

Porto das Velas de São Jorge com investimento de 23 ME

O Presidente do Governo inaugurou hoje as obras de reordenamento e ampliação do Porto de Velas, um investimento de cerca de 23 milhões de euros, onde apelou às entidades públicas e privadas de São Jorge para que contribuam para fazer desta infraestrutura “uma ferramenta moderna e eficaz” ao serviço do desenvolvimento da ilha.

“O desafio está lançado e está aí frente aos empresários, aos agricultores, às indústrias, às Câmaras Municipais e, naturalmente, também ao Governo: que o novo Porto Comercial de Velas seja uma ferramenta moderna e eficaz, ao serviço do desenvolvimento de São Jorge”, afirmou Vasco Cordeiro.

No início da visita estatutária do Executivo à ilha, o Presidente do Governo salientou que, fruto deste novo investimento significativo, São Jorge passa a dispor de uma estrutura portuária moderna, funcional e eficiente para servir a sua população e a sua economia, quer no que diz respeito ao transporte de passageiros, quer no que refere ao transporte de mercadorias.

Nesse sentido, Vasco Cordeiro recordou que, em 2012, foi construída a rampa ‘roll on/rol of’f, a qual, num investimento de perto de um milhão de euros, veio permitir a operação de navios ferry neste porto e, consequentemente, mais facilidade, mais comodidade e mais rapidez no transporte de passageiros e de viaturas, incluindo já alguma carga, nas ilhas do Triângulo.

Além disso, a construção de uma nova e moderna Gare de Passageiros, que entrou em funcionamento no início de 2018, veio permitir e garantir níveis de conforto, para além do reforço das condições de segurança, para essa operação.

Agora conclui-se a terceira componente, com a obra de prolongamento do cais comercial em mais 150 metros e a ampliação do terrapleno para 2200 metros, a intervenção ao nível das redes técnicas existentes, de água potável, água salgada de combate a incêndios e elétrica e de iluminação, para além da construção de um edifício de oficina, armazém e garagem para máquinas.

“Como resultado direto e imediato desse investimento, a ilha de São Jorge passa a dispor de um porto comercial que permite a operação de dois navios em simultâneo, que tem reforçadas as condições de segurança no tráfego de passageiros e viaturas em navios ferry, permitindo também a sua operação em simultâneo com os navios comerciais”, destacou Vasco Cordeiro.

Na sua intervenção, o Presidente do Governo salientou, por outro lado, o investimento público na ilha de São Jorge nas mais várias áreas de atuação do Governo.

“Temos obras no Centro de Saúde da Calheta e vamos ter obras no Centro de Saúde de Velas, temos obras em estradas regionais, em caminhos agrícolas e caminhos da orla costeira e também na orla costeira, como é o espaço adjacente ao Campo de Jogos de Santa Catarina, temos obras na escola da Calheta, no Museu Francisco de Lacerda e vamos tê-las também na Santa Casa da Misericórdia, no Porto do Topo, e, voltando a Velas, temos obras no Entreposto Frigorífico, isto entre tantas e tantas outras intervenções”, referiu.

Segundo disse, é necessário ter uma perspetiva permanente de ligar a realização do investimento, não a um simples dispêndio de dinheiro, mas à sua utilidade e reprodutividade em termos de contributo para o bem-estar das populações e para o desenvolvimento da Região e de correta utilização do dinheiro dos Açorianos.

“A decisão de investir esse montante nesta obra baseia-se na convicção profunda de que este é um investimento que pode, que deve, servir de instrumento, de ferramenta, de impulso para o desenvolvimento económico e, consequentemente, para a criação de riqueza e de emprego em São Jorge e, portanto, nos Açores”, preconizou.

Nesse sentido, Vasco Cordeiro manifestou, em nome do Governo, a total confiança na capacidade dos Jorgenses para responderem afirmativamente a esta questão, apontando exemplos do crescimento que se tem verificado em várias áreas.

“Em 2009, no Porto Comercial de Velas, foram carregadas cerca de 6.800 toneladas. Em 2017, último ano de que temos dados estatísticos, foram carregadas mais de 10.000 toneladas, um crescimento de cerca de 50 por cento. Isto, ao mesmo tempo que, nesse período temporal, diminuía a quantidade das mercadorias descarregadas de cerca de 67 mil para 64 mil”, disse.

Especialmente significativo, nesse domínio, é o que se passa com a exportação de gado bovino em carcaça, adiantou o Presidente do Governo, ao referir que, em 2009, saíram de São Jorge, naturalmente por via marítima, 516 carcaças de bovinos abatidos, enquanto em 2017 saíram de São Jorge 2.715 carcaças, um crescimento de quase de 500 por cento.

Além disso, em 2009, o movimento de passageiros no Porto de Velas foi de cerca de 65 mil passageiros, subindo em 2017 para cerca de 100 mil passageiros, um crescimento de 53 por cento.

“É, pois, à capacidade empreendedora, à capacidade de realização e à vontade de vencer desta pareceria entre entidades públicas e privadas que aqui se concretiza e realiza em São Jorge e que alcançou esses números impressionantes que hoje, aqui, eu apelo”, concluiu Vasco Cordeiro.


Autor(a):
Fonte:

Redes Sociais - Comentários

Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close