Açores

Ponta Delgada é o 10.º município do país com mais dormidas

No gráfico que publicamos aqui ao lado apresentam-se os municípios que concentram 75% das dormidas nos estabelecimentos de alojamento turístico de todo o país, com Ponta Delgada em 10.º.

A Lisboa corresponderam 19,9% do total das dormidas em maio, quota que sobe para 22,3% no período de Janeiro a Maio.

Neste período acumulado, em Lisboa, as dormidas de não residentes representaram 83,6% do total de dormidas registadas no município, tendo concentrado 26,0% do total de dormidas de não residentes do país.

Albufeira apresentou pesos de 12,8% do total das dormidas em maio e de 11,0% desde o início do ano. Neste período, as dormidas de não residentes representaram 84,4% do total neste município, tendo registado 12,9% da totalidade das dormidas de não residentes.

O município do Funchal representou 7,0% das dormidas totais em maio e 8,7% desde o início do ano. Neste município, 90,0% das dormidas registadas desde o início do ano foram relativas a não residentes.

No município do Porto registaram- se 6,7% das dormidas totais em maio e 6,9% do total desde o início do ano. O peso relativo dos não residentes situou- se em 80,5%, no período acumulado de Janeiro a Maio.

Estada média aumenta nos Açores

Em Maio, a estada média nos estabelecimentos de alojamento turístico (2,51 noites) reduziu-se 3,5% no país, mas aumentou ligeiramente (0,4%) nos Açores.

A estada média dos residentes cresceu 1,0% enquanto a dos não residentes recuou 5,0%. Neste mês, o Alentejo destacou-se com um crescimento de 2,4% neste indicador.

Na RA Madeira e no Algarve as estadas médias atingiram 4, 75 e 3,83 noites, respectivamente, mas com reduções (-3,7% e -6,5%, pela mesma ordem).

Os proveitos registados nos estabelecimentos de alojamento turístico atingiram 398,9 milhões de euros no total e 295,7 milhões de euros relativamente a aposento, em maio, traduzindo-se em crescimentos de 6,2% e 5,9%, respectiva- mente (+10,1% e +11,0% em Abril, pela mesma ordem).

Açores é líder no crescimento dos proveitos

Entre as várias regiões, em Maio destacaram-se os acréscimos registados na RA Açores (+14,0% nos proveitos totais e +16,3% nos de aposento), Alentejo (+13,5% e +14,7%, respectivamente) e Norte (+12,2% e +11,8%, pela mesma ordem).

Em Maio, a variação dos proveitos foi positiva nos três segmentos de alojamento e na maioria das tipologias.

Na hotelaria, os proveitos totais e de aposento (quotas de 89,1% e 87,6% no total do alojamento turístico, respectivamente) aumentaram 4,6% e 4,1%, pela mesma ordem.

Considerando as mesmas variáveis, os estabelecimentos de alojamento local (quotas de 8,4% e 9,9%) evidenciaram-se com aumentos de 25,3% e 24,3%, respectivamente, enquanto no turismo no espaço rural/de habitação (representatividade de 2,5% e 2,6%) se verificaram subidas de 8,4% e 5,1%, pela mesma ordem.

No conjunto dos estabelecimentos de alojamento turístico, o rendimento médio por quarto disponível (RevPAR) situou-se em 52,5 euros em maio, a que correspondeu um ligeiro aumento de 0,4% (+5,0% em abril).

Na AM Lisboa o RevPAR ascendeu a 90,6 euros, apesar de refletir uma redução (-3,1%).

Redes Sociais - Comentários

Fonte
Diário dos Açores
Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close