Açores

Núcleo museológico da imprensa vai avançar

A imprensa centenária de Ponta Delgada vai ser homenageada pelo município na cerimónia comemorativa dos 474 anos da cidade de Ponta Delgada, que decorrerá a 2 de Abril, às 18h30, no salão nobre dos Paços do Concelho.

Entre os três jornais homenageados está o Diário dos Açores que, no último dia 5 de Fevereiro, celebrou 150 anos de existência. Será agora distinguido com a Medalha de Ouro do Município, a par do Correio dos Açores, que assinala os 100 anos a 1 de Maio. O também centenário Açoriano Oriental será, por seu turno, distinguido com a colocação de duas placas evocativas por ocasião do seu 185.o aniversário, que comemora em Abril.

O anúncio foi feito ontem pelo Presidente da autarquia, José Manuel Bolieiro, que assumiu ainda o compromisso do município na criação de um núcleo museológico dedicado à imprensa centenária regional.

“Dedicamos o dia de Ponta Delgada, 2 de Abril, à valorização da nossa imprensa centenária, dos nossos profissionais e sobretudo de um papel decisivo. Nós acreditamos, enquanto democratas, no papel insubstituível da comunicação social privada, pública, independente, sustentável, devidamente subvencionada pelo erário público, porque fazem a defesa da pluralidade de opinião, da democracia e da busca da verdade”, afirmou o autarca, em conferência de imprensa.

José Manuel Bolieiro destacou tratar- se de uma oportunidade para distinguir o “mérito no contexto da comunicação social de Ponta Delgada”, celebrando-se o “papel cultural e identitário que a nossa imprensa centenária prestou a Ponta Delgada, à ilha de São Miguel, aos Açores e a Portugal”.

O Presidente da Câmara assumiu ainda preocupação com a sobrevivência dos jornais, “como cidadão e político”: “Nós não podemos ignorar a realidade económica e a importância da sobrevivência e da capacidade que estes órgãos de comunicação social possam ter para a democracia, para a pluralidade de opinião e para a informação esclarecida e esclarecedora da opinião pública”, afirmou.

“Os órgãos de comunicação social precisam de ter lastro para garantir a formação ética e deontológica dos seus profissionais”, referiu, acrescentando ser “uma responsabilidade das instituições democráticas assegurarem” apoios de forma “independente”, “escrutinável” e com “transparência”.

A proposta para as distinções honoríficas partiu da Comissão Municipal de Toponímia, Distinções Honoríficas e Património Cultural, presidida por José Andrade, e foi ontem aprovada por unanimidade em reunião de Câmara.

Sobre o Diário dos Açores, Bolieiro dirigiu ao jornal e “aos seus profissionais de hoje e de ontem, uma saudação grata pelo desempenho, ao longos destes anos, no elevar da defesa e honra de Ponta Delgada, dos Açores e de Portugal”.

Além das homenagens aos três órgãos de comunicação, será ainda atribuída a Medalha de Mérito Municipal a título póstumo ao jornalista Gustavo Moura, falecido em Setembro do ano passado, como forma de homenagear o seu “envolvimento cívico” e “dedicação à causa pública, especialmente através da actividade jornalística”.

Sobre o Núcleo Museológico da Imprensa Centenária de Ponta Delgada, Bolieiro frisou que será um “registo visitável e presente” de um legado que, de forma resiliente, ainda subsiste.

“O Presidente da Comissão Municipal de Toponímia já indagou junto dos proprietários das empresas dos órgãos de comunicação social para fazermos a recolha do legado, para ser recolhido e depois exposto”, explicou aos jornalistas.

O autarca sublinhou que o núcleo museológico permitirá às gerações mais antigas “se reverem e matarem saudades”, mas também às novas gerações “ganharem lastro cultural e conhecimento sobre o que é a evolução na comunicação social e nos meios de divulgação que temos”.

O espaço, a ter lugar num edifício da Câmara Municipal na Rua Pedro Homem, em Ponta Delgada, ainda não tem data para a sua inauguração, mas José Manuel Bolieiro apontou para “o mais depressa possível”.

O edifício em causa foi reabilitado pela autarquia, com comparticipação comunitária, e conta com uma sala no rés-do-chão “preparada e adequada para a constituição do núcleo museológico”. Outras instituições ocupam os restantes pisos do edifício.

Diário dos Açores

Redes Sociais - Comentários

Fonte
Diário dos Açores
Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close