Açores

Jovem açoriana representa Portugal na cimeira climática em Nova Iorque

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo manifestou, em Nova Iorque, “imensa satisfação” por os Açores se encontrarem na “vanguarda das posições mundiais” no combate às alterações climáticas.

“Há um foco e uma preocupação enormes no que diz respeito a uma acção climática mais efectiva, com compromissos que têm de ser levados a cabo por todas as instituições”, frisou Marta Guerreiro, que falava à margem da sessão de abertura da 11.ª Climate Week, que decorre até 29 de Setembro, organizada pelo The Climate Group, uma organização internacional sem fins lucrativos.

O primeiro dia ficou marcado por comunicações de líderes mundiais, como o Presidente do Governo de Espanha, o Presidente da República da Costa Rica ou a Primeira-ministra da Dinamarca, como também o Secretário Geral da OCDE, além de presidentes executivos de empresas líderes, que, segundo Marta Guerreiro, abordaram as “mudanças urgentes e necessárias entre tons de optimismo, pelo que já está feito, e de grande preocupação, pelo que urge fazer”.

“Nos Açores, as alterações climáticas não são uma preocupação de hoje”, frisou a titular da pasta do Ambiente, acrescentando que actualmente “ganham outra dimensão operativa através da recente aprovação do Programa Regional para as Alterações Climáticas, que tem agora que ser subsequente”.

A Secretária Regional destacou ainda algumas políticas públicas já em curso, que permitem fazer jus à problemática das alterações climáticas, nomeadamente a implementação da mobilidade eléctrica, o aumento da penetração de fontes de energia renovável e o enfoque dado à eficiência energética.

Marta Guerreiro salientou que “as alterações climáticas, pela sua abrangência universal, reclamam dos vários sectores de actividade e níveis do poder mundial, europeu, nacional e local a tomada de medidas eficazes para o seu combate”.

“Este é um evento inspirador, que continua a crescer e a ganhar maior dimensão, tendo em conta a importância mundial dos temas associados à acção climática”, frisou.

Anualmente, a Climate Week atrai líderes políticos e empresariais, e investidores de todo o mundo, que reconhecem no evento uma importante forma de partilha de conhecimento para que sejam estabelecidas as melhores políticas face a esta temática.

Açoriana representa Portugal na Cimeira

Entre os mais de 500 jovens, incluindo a activista sueca Greta Thunberg, que estão em Nova Iorque para discutir medidas para proteger o planeta, encontra-se a açoriana, engenheira civil, natural da ilha de São Miguel, Rita Amaral, de 31 anos, que é a representante portuguesa nesta cimeira das Nações Unidas (ONU). Em declarações à Antena 1, a primeira jovem portuguesa a integrar a delegação nacional da ONU revelou que “está a ser uma experiência fantástica, muito enriquecedora e inspiradora, adiantando que “foi com muito gosto que aceitei o convite que me foi dirigido”. Um convite que Rita Amaral encara como uma “grande responsabilidade”.

Rita Amaral tem se dedicado à temática da água, fazendo por sensibilizar os governos do planeta para as melhores práticas em serviços como o saneamento.

Aos políticos de todo o mundo, Rita Amaral pede-lhes que “sejam corajosos, mais solidários e que tenham mais responsabilidade inter-geracional”, alertando que não há planeta B, um lema, aliás, que os jovens activistas pelo clima têm vindo a reiterar.

Em Nova Iorque a jovem açoriana está certa ser possível conseguir uma “boa combinação” entre jovens e políticos uma vez que acredita que os líderes políticos com a sua experiência e os “jovens, com o seu dinamismo e energia, ajudam a acelerar os processos”.

A representante de Portugal deixou ainda um apelo a todos os jovens para que se “envolvam, cada vez mais, nestas questões da água e do ambiente, mobilizem-se para exigir esta mudança porque todos os esforços contam”, frisou.

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

Close
Close