Açores

‘International Emmy Awards’ coloca a ilha do Corvo na televisão mundial

A Directora Regional do Turismo salientou que a realização da semifinal dos International Emmy Awards coloca “a mais pequena ilha do arquipélago dos Açores na história da televisão mundial”, o que, certamente, marcará a memória futura de todos os corvinos, motivo pelo qual o Governo dos Açores não podia deixar de estar presente nesta iniciativa.

“Esta é, sem dúvida, uma oportunidade única de colocar na ribalta uma ilha também de si, única, por todas as particularidades que a diferenciam, não só no contexto do arquipélago, mas de Portugal e do mundo”, frisou Marlene Damião, que falava no âmbito desta iniciativa.

Segundo a Directora Regional, “associar um evento com grande exposição mediática como este à mais pequena e uma das mais belas ilhas dos Açores é uma honra para os corvinos, em particular, e para os açorianos, em geral”, por permitir “fazer parte desta aventura internacional e do percurso de sucesso que tem vindo a ser percorrido pela indústria televisiva internacional”.

Marlene Damião aproveitou a ocasião para agradecer à marca Universo, do Grupo Sonae, “pela escolha e pelo empenho em superar o desafio de organizar este evento neste cantinho açoriano, na periferia da Europa”, numa ilha com a chancela de Reserva da Biosfera da UNESCO.

Os International Emmy Awards são atribuídos anualmente pela International Academy of Television, Arts and Sciences, com sede nos EUA, para distinguir, em múltiplas categorias, a excelência da produção televisiva global, sendo Portugal o país escolhido para duas das semifinais: uma na ilha do Corvo e outra em Lisboa, a 13 de Setembro.

Levar Emmys até ao Corvo foi difícil mas todos dizem que valeu a pena

A semifinal dos International Emmy Awards levou onze personalidades da televisão portuguesa até à ilha do Corvo, com um esforço que valeu a pena, garantem os membros do júri, a organização e a população.

Foi uma logística difícil disseram tanto o Presidente da Câmara de Vila do Corvo, José Manuel Silva, como o embaixador da Academia Internacional de Televisão, André Sampaio, mas o esforço de trazer a semifinal em que foram votados os nomeados para a categoria de melhor actor nos prémios televisivos foi recompensado.

Durante todo o dia de Sábado reuniu-se no Salão Nobre do único município da mais pequena ilha dos Açores o júri do evento, formado por António Pedro Cerdeira, Fernanda Serrano, Helena Forjaz, Jorge Corrula, Kelly Bailey, Lourenço Ortigão, Luís Esparteiro, Marco Delgado, Oceana Basílio, Paulo Pires e Vanda Correia.

Do trabalho que ali aconteceu nada será revelado por agora, nem aos próprios jurados, que apenas saberão quem são os nomeados para melhor actor em produções televisivas internacionais, em meados de Setembro, altura em que a Academia Internacional de Televisão anunciará os escolhidos para todas as categorias do galardão.

No Corvo, a presença de uma comitiva de cerca de 30 pessoas, entre as quais 11 caras conhecidas da televisão portuguesa, numa ilha que soma pouco mais de 400 habitantes, causa impacto, tanto para os que lá aterraram, como para quem os recebe.

O actor Paulo Pires considerou que esta foi uma experiência importante para perceber que o Corvo, “afinal de contas, não é assim tão longe” e que “fazer um evento destes num sítio destes é provar que não há lugares mais ou menos importantes”.

“Todos os lugares são importantes para quem faz televisão”, rematou.

Para Fernanda Serrano, que gosta de “sítios assim, com poucos habitantes, que são uma comunidade”, porque lhes adivinha “um lado utópico”, a resposta chega em forma de pergunta, mas é esclarecedora: “Porquê fazer sempre em grandes cidades, mais do mesmo?”

Se a ilha e as pessoas que nela habitam a deixaram rendida, o propósito que trouxe a actriz até aqui também não desiludiu e garantiu estar satisfeita, “especialmente porque” conseguiu perceber que os actores portugueses não estão “tão distantes assim da realidade de outros países”.

O sentimento de agrado é partilhado por Nathaniel Brendel, director do Júri dos Emmys, que também se mostrou “muito satisfeito, como já sabia que ficaria”, adiantou, explicando que “o objectivo da academia é garantir que os programas são avaliados pelas melhores pessoas da indústria” e é por isso que viajam pelo mundo, afirmou.

“Quando o André Sampaio me disse que conseguia trazer os melhores talentos de Portugal até uma ilha, claro que disse que sim”.

Todo o isolamento e o secretismo que envolvem a votação foram depois compensados pelo contacto com a população, durante o jantar e a celebração das Festas de São Pedro, na qual actuaram Luís Alberto Bettencourt e Pilar Silvestre, que trouxeram música tradicional açoriana, e o músico terceirense, Flávio Cristovam.

De todos os jurados que foram sendo abordados pela população ao longo da noite, foi Kelly Bailey quem despertou maior interesse, principalmente junto dos mais novos, que formaram uma pequena multidão ao seu redor.


Autor(a):
Fonte:

Redes Sociais - Comentários

Fonte
Diário dos Açores
Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close