Açores

Há falta de equipamentos de protecção

“Estamos a viver momentos de grande preocupação aqui no Hospital do Divino Espírito Santo e é preciso que alguém ponha mão nisto antes que fique descontrolado”.

Este é o desabafo de um profissional de saúde do HDES, em contacto ontem com o nosso jornal, depois de terem conhecimento de mais três casos positivos entre profissionais de saúde daquela unidade.

A mesma fonte garante que não há equipamentos de protecção para todos e que começam a escassear em várias unidades do hospital.

O Presidente da ordem dos Enfermeiros dos Açores, Pedro Soares, confirmou ao nosso jornal as preocupações existentes no Hospital de Ponta Delgada, revelando que “há muitas queixas por parte dos enfermeiros, várias denúncias de casos concretos, inclusive começam a colocar nas redes sociais as suas preocupações, porque principalmente no HDES simplesmente o material é escasso e em alguns casos demora a aparecer.”.

“Temos noção que adquirir o material no mercado está impossível, mas teremos de arranjar alguma solução. Eu já alertei várias vezes a senhora Secretária Regional da Saúde, que me responde que o HDES tem material, mas, segundo os relatos, no terreno ele não aparece”, denuncia o Presidente da Ordem dos Enfermeiros.

O Serviço de Urgências terá sido o primeiro a sofrer essas faltas, “mas neste momento já começa a generalizar-se; temos denuncias das Medicinas e de outros serviços”, acrescenta Pedro Soares.

Demissão na Anestesia?

Fonte hospitalar contou ao nosso jornal que o contágio de um anestesista e dois enfermeiros terá sido através de um doente que veio da ilha Terceira para ser operado.

“A Directora do Serviço de Anestesia tinha proposto que a equipa se deslocasse à Terceira, mas não foi aprovado”, relata ao nosso jornal a mesma fonte, “pelo que a Directora agora demitiu- se”, informação que não conseguimos confirmar ontem junto da administração do hospital.

“Todos os doentes admitidos deveriam ser considerados potenciais covid 19 e ter uma abordagem de acordo com a situação. Há falta de equipamento de protecção e máscaras”, afirma ao nosso jornal outro profissional de saúde, acrescentando que “ainda ontem fui levar as únicas 7 de 10 que tinha comprado a uma pessoa e mandei fazer mais 15 de pano, que tenho usado”.

O Presidente do Governo Regional dos Açores disse ontem que as informações que possui é que não faltam equipamentos e não acreditava que alguém lhe estivesse a mentir.

“É muito fácil: o Sr. Presidente que ligue para cada um dos Serviços do HDES e pergunte qual é a situação”, avança o profissional de saúde.

À Ordem dos Enfermeiros têm chegado relatos de profissionais em desespero, por causa da falta de equipamentos.

Um deles relata um episódio ocorrido no centro de Diálise, onde há utentes do concelho da Povoação, que, agora , decorrente da hemodiálise, o Enfermeiro tem de estar equipado apropriadamente com os EPI’s que estão preconizados .

“Acontece que ontem não haviam EPI’s e o colega recusou, e bem, avançar sem protecção, pelo que foi prontamente apoiado por toda a equipa presente. Decorrente dessa falta de material, os 3 utentes previstos para efectuarem o seu tratamento de hemodiálise tiveram de esperar 3 horas na carrinha que os transportou até termos o material de protecção que precisávamos e teve de ser a chefe da equipa de Enfermagem a ir pressionar e obter o material ela própria”, diz ao nosso jornal Pedro Soares.

Diário dos Açores

Redes Sociais - Comentários

Fonte
Diário dos Açores

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW