Açores

Guerra interna no CDS/PP Açores

A deputada do CDS-PP, Graça Silveira, foi afastada pelo líder do partido de toda a actividade parlamentar, revelou ontem a Antena 1 Açores. A própria confirmou que foi afastada da Comissão de Economia e de toda a actividade parlamentar, numa decisão que lhe foi comunicada pelo próprio líder, Artur Lima.

Graça Silveira adianta que será difícil ficar calada no parlamento, porque foi eleita pelos açorianos, uma eleição que, segundo diz, Artur Lima desrespeita. Na base da decisão de Artur Lima estará a falta de apoio de Graça Silveira à sua recandidatura à frente do partido, numas eleições que terão lugar em Junho próximo, em congresso. Artur Lima, questionado pela Antena 1 Açores sobre este assunto, recusou para já fazer qualquer comentário.

Luis Silveira disputa liderança?

De acordo com uma fonte do CDS-PP, em declarações ao nosso jornal, este caso “é apenas o primeiro a aparecer publicamente, porque o conflito interno é muito maior”, devido à disputa da liderança partidária.

A mesma fonte assegura que Luis Silveira, Presidente da Câmara de Velas de S. Jorge, estará disposto a disputar a liderança do CDS nos Açores, contando já com vários apoios internos. Nesta altura estão a decorrer eleições em comissões de ilha e a disputa de listas diferentes é “bastante renhida”, como ficou demonstrado com o apoio da deputada Graça Silveira à lista de Nuno Melo Alves, na Terceira, que ganhou à lista apoiada por Artur Lima e há três semanas uma outra lista contra Artur Lima, na ilha das Flores, também venceu.

O regresso de S. Miguel?

Ainda de acordo com a mesma fonte, várias pessoas que pertenceram ao CDSPP de S. Miguel e que se afastaram, estão a ser contactadas para regressarem ao activo, “mas a equipa de Artur Lima está a fazer tudo para que ele seja reeleito e com represálias contra os adversários, como acontece com a deputada Graça Silveira”.

Artur Lima no Corvo

Entretanto, na ilha do Corvo, onde esteve nos últimos dias, Artur Lima conseguiu organizar uma comissão política de ilha com antigos e novos militantes, muitos deles próximos do deputado do PPM, Paulo Estêvão. Naquela ilha, o líder do CDS-PP denunciou o que diz ser um “atentado à tradição e à cultura” na ilha do Corvo, por via de uma “recuperação deficiente” da calçada tradicional no centro histórico da vila.

Em nota enviada à imprensa, o líder dos centristas açorianos diz ter-se inteirado de “diversos problemas” no Corvo que “condicionam o desenvolvimento económico e social” da ilha. Além da questão da calçada tradicional, que pode trazer “problemas de inundações às casas particulares”, Artur Lima chama a atenção para os reservatórios de água da ilha, que estão “vazios”, o que “pode trazer problemas à agricultura e lavoura do Corvo, se o verão for novamente seco”.

“A gestão e manutenção desses reservatórios de água é da responsabilidade da Câmara Municipal do Corvo, que se mostra incapaz de resolver o problema. Assim sendo, cabe ao Governo Regional intervir em defesa da população do Corvo, resolvendo esta situação”, frisou, citado na nota de imprensa do CDS-PP.

Quer o Governo Regional quer a autarquia local são do PS, sendo que no final do mês o executivo desloca-se à ilha em visita estatutária. No que refere à praia de areia do Corvo, que já tinha motivado uma intervenção parlamentar recente do PPM, o líder do CDS nos Açores pede que sejam restabelecidas as “condições originais” do espaço, depois de uma intervenção que deixou o espaço “repleto de pedras”.

Artur Lima reuniu-se também com pescadores da ilha, pedindo que estes sejam ouvidos pelo executivo regional e pela autarquia de modo a que sejam promovidas melhorias na suas “condições de exercício de actividade”.

Redes Sociais - Comentários

Fonte
Diário dos Açores
Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close