Açores

Graça Silveira abandona CDS-PP

A deputada do CDS-PP Açores, Graça Silveira, anunciou ontem, em conferência de imprensa, que irá suspender a sua participação no Grupo Parlamentar do CDS, presidido pelo Deputado Artur Lima. Em causa estão divergências entre Graça Silveira e o líder dos populares. A deputada avançou que irá manter as suas funções de parlamentar, mas como independente.

Graça Silveira deu conta que na origem desta decisão esteve o facto de ter sido “impedida de exercer” a actividade parlamentar, para a qual, refere, “fui legitimamente eleita, uma vez que deixei de ter assento nas comissões especializadas onde as iniciativas parlamentares são analisadas, discutidas e votadas”. Graça Silveira considera que foi “alvo duma perseguição por parte do presidente do CDS, Artur Lima, por ter assumido publicamente o meu apoio à candidatura de Luís Silveira à liderança do partido”.

Para a parlamentar, “a minha exclusão de todas as Comissões impedindo-me de exercer o meu mandato com dignidade e seriedade, é uma humilhação inaceitável, quer perante os eleitores, quer perante os meus pares nesta Assembleia”.

Graça Silveira diz “lamentar esta postura do presidente do meu partido, que sempre servi de forma empenhada, responsável, e leal, tendo sempre representado com elevação tanto os cargos que ocupo, como as funções para as quais fui eleita”.

Assim sendo, garante a deputada, “enquanto Artur Lima mantiver esta atitude vingativa e persecutória em relação a uma Deputada também eleita pelo seu Partido e enquanto não se esclarecerem um conjunto de preocupantes suspeições que fogem ao controlo democrático do Grupo Parlamentar, mas que lhe dizem directamente respeito, suspendo a minha participação no Grupo Parlamentar do CDS, presidido pelo Deputado Artur Lima”.

Graça Silveira dá conta que desde modo, desde ontem, passará de novo a exercer as funções enquanto deputada, eleita pelo CDS, mantendo a militância no CDS, continuando a cumprir com as obrigações enquanto dirigente regional e nacional do CDS, mas fora do Grupo Parlamentar presidido pelo Deputado Artur Lima, que, frisa, “a isto me obrigou, quando entendeu que a única noção válida de democracia e liberdade é a que ele pratica”.

Graça Silveira garante que “assim, quando se verificar uma clarificação de todos os actos que envolvem e perturbam o Grupo Parlamentar do CDS, estarei sempre disponível para voltar a ocupar o meu lugar”.

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close