Açores

Governo decidiu estabelecer cordão sanitário no concelho da Povoação até 13 de Abril

O Governo dos Açores, após recomendação das autoridades de saúde concelhia e regional, ter ouvido o Município da Povoação e em articulação prévia com o Representante da República para os Açores, determinou o estabelecimento de um cordão sanitário no concelho da Povoação, ilha de São Miguel, até às 00h00 de 13 de Abril.

Conforme se pode ler no comunicado do Governo dos Açores, “esta decisão, que se afigura fundamental para a protecção da saúde pública, surge da necessidade de conter a população da Povoação no seu concelho, onde, nas últimas 24 horas, foram registados vários casos positivos pelo novo coronavírus”.

O Governo dos Açores determinou igualmente interditar a circulação e permanência de pessoas na via pública naquele concelho, excepto para deslocações necessárias e urgentes, devidamente autorizadas pela Autoridade de Saúde Regional.

Tendo-se verificado casos de transmissão local, foi considerado, assim, necessário proceder a esta contenção de mobilidade da população para permitir a identificação dos contactos próximos dos casos positivos, com vista à respectiva colheita de amostras biológicas para análise laboratorial.

Trata-se de uma situação está a ser acompanhada pela Delegação de Saúde Concelhia, em articulação com as demais entidades envolvidas, designadamente autarquias, forças de segurança e bombeiros, estando em curso os procedimentos definidos para caso confirmado e de vigilância de contactos próximos.

A Autoridade de Saúde Regional alerta que o não cumprimento do período obrigatório de quarentena constitui crime de desobediência e, como tal, será apresentada queixa dos infractores às autoridades judiciais, reiterando ainda que a saúde de toda a comunidade depende do estrito cumprimento das decisões e recomendações da Autoridade de Saúde Regional e das Delegações de Saúde Concelhias.

Presidente da Câmara considera que cordão sanitário “é a forma mais correcta” de actuar

O presidente da Câmara da Povoação considerou que a criação de um cordão sanitário no concelho é “a forma mais correcta” de actuar face aos casos de covid-19 no município.

Como explicou Pedro Melo, “se isso por um lado pode ser difícil porque há aqui o fecho de muitas empresas, por outro lado é o tratar de uma situação que nos está a pôr todos em perigo e que dessa forma é a forma mais correcta no momento de actuar”.

Pedro Melo destacou que se actuou de “forma rápida” no controlo das entradas e saídas do concelho, com o objectivo de conter a propagação do vírus, não existindo, por isso, motivos para alarmismos.

“[Quero passar] uma mensagem de tranquilidade, nada de alarmismos, porque a situação não requer isso. Nós estamos a ver o que está a acontecer pelo mundo fora e esta medida foi tomada precisamente com a preocupação de nós não permitirmos a propagação do vírus”, assinalou.

O concelho da Povoação, com cerca de 6.300 habitantes, é composto pelas freguesias de Povoação, Faial da Terra, Furnas, Nossa Senhora dos Remédios, Água Retorta e Ribeira Quente.

Sobre as autorizações sobre quem poderá entrar e sair do concelho, o autarca frisou que não sabe como “irá ser feito”, uma vez que ainda se aguardam as indicações da Autoridade de Saúde.

“Não tenho muitas dúvidas que pessoas que trabalham no ramo da farmácia e dos minimercados vão eventualmente ser autorizadas e vai haver algum controlo com essas pessoas na entrada e na saída”, referiu. Pedro Melo considera que “agora a exigência será ainda maior” para os habitantes do concelho, apesar de nos “últimos dias” se ter visto “muito pouca gente a circular pelas ruas”, com excepção de “algum irresponsável que faz o que não deve”.

“É uma situação difícil, mas que nós temos de passar por ela com tranquilidade e sempre serenos, porque só assim” é que se vai “conseguir passar esta situação da melhor forma possível”, assinalou.

Diário dos Açores

Redes Sociais - Comentários

Fonte
Diário dos Açores

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW