Açores

Desemprego aumentou nos Açores

A taxa de desemprego nos Açores foi a mais alta do país durante 2019. Segundo divulgou o INE, a taxa de desemprego no ano passado na região foi de 7,9%, quando a do país foi de 6,5%.

Por regiões, os Açores mantêm a taxa mais alta de desempregados: Norte 6,7%, Centro 4,9%, Lisboa 7,1%, Alentejo 6,9%, Algarve 7,1% e Madeira 7%. No 3.º Trimestre o desemprego nos Açores situava-se nos 7,3%, aumentando no 4.º Trimestre para 7,6%.

Com efeito, segundo o INE, no 4.º trimestre de 2019, a taxa de desemprego foi superior à média nacional em todas as regiões do país, com excepção do Centro (5,2%): Região Autónoma dos Açores (7,6%), Alentejo (7,3%), Norte e Área Metropolitana de Lisboa (7,1% em ambas), Região Autónoma da Madeira (7,0%) e Algarve (6,8%).

Em relação ao trimestre anterior, e à semelhança do observado globalmente para Portugal, a taxa de desemprego aumentou em todas as regiões. Os três maiores acréscimos trimestrais foram observados no Algarve (1,5 p.p.), na Área Metropolitana de Lisboa (0,7 p.p.) e no Norte (0,5 p.p.).

Em relação ao trimestre homólogo, a taxa de desemprego aumentou no Norte e na Área Metropolitana de Lisboa (0,4 p.p. em ambos os casos), tendo diminuído nas restantes regiões. As três maiores diminuições homólogas verificaram-se na Região Autónoma da Madeira (1,9 p.p.), no Algarve (1,0 p.p.) e na Região Autónoma dos Açores (0,9 p.p.). No ano de 2019, apenas a taxa de desemprego da região Centro (4,9%) foi inferior à média nacional.

As taxas de desemprego mais elevadas, e superiores à média nacional, foram observadas nas restantes regiões: Região Autónoma dos Açores (7,9%), Área Metropolitana de Lisboa e Algarve (7,1% em ambas as regiões), Região Autónoma da Madeira (7,0%), Alentejo (6,9%) e Norte (6,7%).

Em relação a 2018, a taxa de desemprego diminuiu em todas as regiões, com a excepção do Algarve, onde se verificou um acréscimo de 0,7 p.p..

Os três maiores decréscimos ocorreram na Região Autónoma da Madeira (1,8 p.p.), na Região Autónoma dos Açores e no Centro (0,7 p.p. em ambas as regiões).

Diário dos Açores

Redes Sociais - Comentários

Fonte
Diário dos Açores

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW